Badboy of' Mine - Capítulo 38 -Parte 2

| | |
- Dinheiro é o hino do sucesso

Hush hush

"Nas nossas drogas e no nosso amor. Nos nossos sonhos e nossa fúria. Turvando as linhas entre realidade e fantasia, eu disse pra você ser realista. Você não sabe com quem está lidando?"

SeuNome P.O.V's
jh
Zayn olhava no fundo dos meus olhos cada vez que repassava algumas de suas técnicas malucas mas que de alguma forma na minha cabeça faziam sentido. Eu corava, ele dava um sorriso lindo. Eu queria mata-lo. Queria mante-lo a salvo. Eu queria matar as pessoas que lhe querem mal. Eu queria não sentir medo. Ele me fazia rir só por se divertir me ensinando coisas que jamais passariam pela minha cabeça sozinha. Aí do nada começava a agir como um idiota, ficava cínico. Em alguns momentos ele se divertia com o meu desespero. Babaca.

Eu: Você vai continuar a falar ou...? -pedi impaciente. Zayn já estava a mais de três minutos "checando" a mensagem que tinha feito seu celular apitar e nos interromper pela segunda vez. Ele revirou os olhos e me aproximei dele para olhar. Li o nome "Emma" no visor de mensagem e minha expressão se fechou completamente. Zayn acompanhou minha cabeça se levantar e meu olhar se direcionar a ele da pior forma possível. -Emma?
Zayn: Ela está resolvendo as coisas dela, se recuperando do susto. Disse que já está bem. -falou normalmente. 
Eu: E precisa de mais de um minuto pra dizer isso? Ou vocês estão conversando tranquilamente enquanto eu estou aqui fazendo papel de trouxa te esperando "checar" UMA mensagem? -minhas próprias palavras fizeram meu estômago revirar. 
Zayn: Você não foi mesmo com a cara dela né? -riu pelo nariz. 
Eu: Nem com a cara e nem com porra nenhuma que tenha a ver com ela. 
Zayn: Não acredito que você vai ter uma crise agora. -ele colocou o celular no bolso com uma expressão que eu não sabia identificar, será que ele estava se divertindo? -Quer ver a mensagem? -riu irônico e impaciente, e isso só piorou com a minha sanidade. Com um solavanco eu me afastei de seu toque, mas então, ele entrou na minha frente. Senti meu coração apertar e aquilo foi péssimo. 
Eu: Não! Sinceramente eu não quero ver nada. A gente já fez muito por essa garota, eu matei, fiquei de babá pra ela e quase levei uma facada na cara e não ouvi nem sequer um agradecimento. -cuspi tudo que me estava engasgado desde aquele dia, mas eu não tive tempo até agora para processar direito. Eu não fazia ideia do que tinha me dado. -Ela ainda vem me dizer na cara de pau que tinha uma queda por você a anos atrás, caralho, eu fui lá pra ajudar ela porque você me pediu e a desgraçada daquela drogada ainda fica procurando briga comigo! O mínimo que ela podia fazer agora é nos deixar em pa...

Eu não tive tempo de terminar de falar. Meus pensamentos foram interrompidos. Ele tinha calado a minha boca com a sua. 

Zayn: Você é totalmente idiota. -sua voz finalmente me desertou do torpor do beijo e eu o empurrei para longe, limpando meus lábios e o fazendo rir da minha atitude. -Eu sei que devia ter argumentado, mas você não calava a boca e me deixava falar! E não, não vou me desculpar porque não me arrependo. 
Eu: Qual o seu problema, cara?! - Eu gritei e avancei para dar um belo tapa naquela cara estúpida, mas ele segurou meu braço no meio do caminho. 
Zayn: Eu já sabia que a Emma tinha uma queda por mim, mas que porra de diferença isso faz? Não é com você que eu estou? -ele disse firme e aquelas palavras fizeram meu corpo todo fraquejar e eu até cambaleei um pouco. -Nunca aconteceu nada entre nós e nem está agora. -foi impossível não sorrir com aquela explicação. Parabéns pra mim que surtou sem nenhum motivo. -Mas gostei de saber que não sou o único ciumento da relação. 
Eu: Eu não sou ciumenta! -rebati e Zayn puxou-me pelo cabelo e me beijou, ainda rindo. Ele nem imaginava que estava inocentemente distraído.
Zayn: Essa parece ser a única forma eficiente de te fazer calar a boca. -disse ao se afastar e eu fiz uma careta. - Saiba que usarei a técnica com bastante frequência. -ouvimos alguns gritos que mais pareciam de alegria do que de qualquer outra coisa do andar de baixo. -Ah! -olhou para baixo e em menos de três segundos, um isqueiro de madeira escrito 'vício’ aparece no meu campo de visão juntamente com uma rosa única. Em cima do aparelho há um pequeno papel com a seguinte mensagem: "Boa sorte". -eu segurei as pequenas coisinhas como se fossem a coisa mais preciosa que já tinha visto. -Aw, olha só, você é babaca até na hora de presentear. -sorri ternamente e Zayn deu risada, revirando os olhos. 
Zayn: Eu ia te dar junto com o vestido mas achei que podia ficar estranho. -mexeu as mãos nos bolsos, seguro de si. 
Eu: Continua estranho. -ri e olhei melhor o isqueiro de madeira. -"Vicio"?
Zayn: Vamos dizer que é como eu te chamo nas horas vagas. E também é seu nome nos meus contatos. Ou seja...É você. -deu de ombros, como se fosse a coisa mais fácil de se dizer. Algo que eu admirava em Zayn era isso. Como praticamente sempre ele não tinha medo de demonstrar sua intenção e ser assertivo. -Achei apropriado o nome do meu isqueiro também ser "vício". 
Eu: Você realmente sabe me surpreender. -levantei seu rosto com meu dedo e levei a flor ao nariz sentindo seu cheiro. Seus olhos encaravam profundamente os meus e eu sem conseguir ficar séria, acabei com o clima apertando com força suas bochechas e batendo nelas de leve em seguida. Seus olhos fecharam e seu rosto fez uma careta enquanto gritou abafadamente para que eu o soltasse. Saí gargalhando do quarto e desci até o saguão encontrando o pessoal todo reunido na sala. Quase todos. Era quase um milagre quando todo mundo estava junto e essa mais uma vez não era um desses raros momentos. Me joguei suspirando no sofá, rodando a rosa pelo caule na minha mão para todos os lados. Mas a minha rara alegria interna não era nada comparado a folia que estava na mesa no meio do saguão, a alguns metros de mim com uma balança, papéis, maletas e uma calculadora, onde Jack e Danny se divertiam contando dinheiro, rindo, falando e falando sem parar. 

Parecia que algo transbordava daquela cena, não tinha como não sorrir, mesmo não tendo certeza ao certo do que era. A oportunidade de conseguir mais riqueza, atingir os objetivos somente com esforço e determinação, essas coisas que tanto nos ensinam a porra da vida toda, a prosperidade depende nada mais do que das habilidades e tralhado. É tudo uma questão de visão para enxergar o "sonho americano" na sua frente. E droga, eu me sentia olhando pra ele.

Piper: Dá pra vocês dois pararem com essa merda?! -olhei para a direita notando a loura tentando usar o celular pela primeira vez desde que entrei, no sofá a esquerda do meu e na mesma distancia dos garotos que estavam virados no cão e com os egos mais altos que eu jamais tinha visto neles.
Jack: Hoje que você leva a enfermeirinha pra brincar num hotel sete estrelas em Dubai. -ria sem tirar os olhos das pilhas de dinheiro pelo chão e mesa no centro do cômodo.
Danny: Cara, ela é o de menos! Tenho que guardar essa grana. -parou de rir e falou parecendo responsável. Os dois se entreolharam por um segundo e depois explodiram na risada de novo, isso porque estavam sóbrios. -AHAM, GUARDAR. 
Jack: CLARO! -continuou, fazendo pressão com o peito para não se engasgar. -Eu vou comprar uns barcos e encher de vadias! Oito de cada lado, pra não passar vontade! -dessa até eu gargalhei.
Piper: Estou com fone mas ainda posso te ouvir Jack. -riu ela como se se importasse. -Cadê o Zayn, SeuNome?
Eu: Tá lá em cima se masturbando. -impliquei e ouvi um grito em resposta de Zayn do andar de cima falando que ia me pegar de jeito. Revirei os olhos, mas ainda sim com um sorriso no rosto.
Jack: E falando nisso o mané, digo, o Logan também sumiu. Alguém sabe onde ele tá? -Danny negou com a cabeça mal prestando atenção, quando sua atenção estava na contagem agora mais séria da grana. Nem eu sabia que a gente conseguia tanto assim. Meu Deus. Jack alcançou o controle do som que havia em meio a uma estante e colocou uma música remixada para tocar, ele começou a atentar o outro idiota que estava fazendo a contagem e os dois voltaram a praticamente brincar e contar as notas, isso pelo visto já estava irritando Piper, tanto que ela se levantou e saiu dali. 
Danny: Que porra deu com ela?
Jack: Me deixa Dan! Não pergunta, eu estou naquele período do mês. -se abanou com um maço de notas em formato de leque fazendo voz fina e piscando os olhos freneticamente na tentativa imbecil de imitar Piper e eu e Danny não aguentamos com nós mesmos de tanto rir. Foi pouco depois desse momento que Danny provavelmente percebeu que nunca seria tão infantil quanto seu amigo. O pensamento deve ter o deixado mais tranquilo, afinal significava pra todo mundo que nossas invenções esdrúxulas não precisavam acabar tão cedo. 

Puxei o celular do Zayn do meu bolso, deslizando os dedos por ele até chegar nas mensagens. Eu sabia que não era certo, mas que droga, eu tinha o pego por alguma razão, antes eu senti a necessidade disso e agora não podia simplesmente devolver e pedir desculpas. Ele tinha me oferecido para ler. Eu só usei o que ele me ensinou: toca aqui, rouba ali. Não me contive, li só a primeira mensagem, que marcava o nome de Emma. 
Não demorou nem dez minutos e Piper volta praticamente arrastando Logan num estado nada bom pelo braço. Do jeito que ele se aproximava apoiado de mal jeito nela, parecia até que não conseguia andar sozinho. Ela o sentou no sofá segurando um copo d' água e uns panos que eu nem prestei muita atenção, e percebi alguns machucados por sua pele, em volta do pescoço e na cabeça, além do fedor de álcool exalar dele a um quilometro de distancia. 

Jack: CARALHO, O QUE ACONTECEU COM VOCÊ?! -ele praticamente gaguejava de rir, e ver Logan desse jeito com certeza não ajudou. Na verdade eu estava mais preocupada com os machucados dele. -Tá cheirando a perfume de stripper!
Piper: Ele não tava conseguindo entrar com o carro aqui, eu fui fumar no jardim e dei de cara com os seguranças não deixando ele entrar porque não lembravam que ele morava aqui. 
Logan: Tá, tá, não precisa repetir que ninguém liga pra mim. Eu já saquei! -sua voz se arrastou ao máximo até terminar de dizer isso. Será que eu era a única que estava com medo de perguntar o que aconteceu? -Esse novo sistema de segurança é muito...é um...-ele ia chorar?
Eu: É foda! -completei tentando ajuda-lo. Os outros riram e eu só conseguia perceber que ele parecia um bêbado triste naquele momento. Pelos olhares que foram trocados na sala, sem que Logan soubesse, resolvemos deixar para falar ou perguntar sobre qualquer coisa que pudesse ter acontecido quando todo mundo estivesse raciocinando bem e a loucura já tivesse passado. Tanto por causa do álcool, dinheiro ou, no meu caso, seja lá o que há comigo. 

Os garotos voltaram ao que estavam fazendo, as vezes jogavam algumas notas em cima de si mesmos e cantavam a música ao fundo, Logan não parava de falar, e sempre parecia que iria chorar a qualquer momento. Estava difícil me manter uma boa amiga e séria naquele momento porque era praticamente impossível a partir do momento em que além de tudo, ele ainda ficava cantando a loira impaciente ao seu lado a cada dois minutos em meio as coisas aleatórias que falava. Só pode ter feito alguma merda pra estar desse jeito agora. Pois é, nunca subestime a burrice dos homens.

Logan: Piper, o seu pai é policial né?
Piper: Pela milésima vez, sim.
Logan: Não, você tem que dizer "não"! -ela olhava para o celular quase espumando. -Fala!
Piper: Não, por quê? -disse contra gosto, fazendo a vontade do garoto.
Logan: Então, é que eu acho que você pegou a algema do seu pai e me prendeu a teus pés! -ri e Jack fez o mesmo, sem aparentemente nem ficar bravo pelo outro dando em cima de sua namorada. Eu estava escutando o que eles diziam, mas minha atenção foi desviada quando vi Logan ainda com aquele pano na mão, e o recortando com uma tesoura. 
Eu: Logan! -gritei e ele saltou no sofá assustado, me encarando e depois voltando a rir. -O que você pensa que está fazendo com essa calcinha?
Logan: Ué, to facilitando as coisas. Tipo, fazendo um buraco grande no meio dela. 
Eu: Solta. A. Minha. Calcinha. Agora. 
Logan: Eu tava entrando pra dentro de casa com a Piper e a gente tava passando pela lavanderia, aí ela me deixou pegar essa e a tesoura.
Piper: É mentira! -quase não conseguia esconder tentando esconder a vontade de rir. Cínica. -Ele não sabe o fala!
Eu: Querida, o álcool entra e a verdade saí, além do mais tem câmeras aqui se eu quiser ver.
Piper: Ui. -entrou na defensiva. -Tá bom, eu deixei ele pegar. Até ficar sóbrio ele precisa passar o tempo. -a encarei o mais dissimuladamente possível. -Não custava tentar! -balancei a cabeça negativamente com meus próprios pensamentos e me dei por vencida deixando Logan em seu estado de embriagues e tristeza picotasse a minha calcinha, como boa amiga que sou.
Logan: Gata, seu pai é policial né?
Piper: Não, por quê? -proferiu de má vontade novamente como se já estivesse programada pra fazer aquilo. 
Logan: Não! Agora você diz que sim!
Piper: Ah, tá. Aham. 
Logan: Pois é, ele ligou querendo saber com qual dos caras dessa casa dormiu com você. -ela arregalou os olhos descrente no primeiro momento, mas depois riu com ele como se também estivesse embriagada. -Ah! Não, não, vamos de novo porque eu errei e...
Piper: Você é um imbecil. -se levantou novamente e pegou seu maço de cigarros e um cinzeiro na mesa. -Esses idiotas estão sob a sua responsabilidade agora, SeuNome. -passou por mim batendo no meu ombro com ironia nas palavras. Saiu do saguão e fechou a porta atrás de si antes de dizer: -Aproveite. 
Logan: Toma! -estendeu a calcinha esburacada. -Um presente para se lembrar de mim. -soltei uma risada. Sério? -E também para facilitar a sua vida sexual.
Danny: Nossa que amor, quero uma também! -disse sarcasticamente e fingiu limpar lágrimas com a grana em sua mão. 
Eu: Obrigada...eu acho. -ele sorriu forçadamente. -Adorei o gesto, você foi lá, escolheu a minha calcinha e eu sei que teve todo um significado. -comecei a ser sarcástica e o sorriso do moreno se desfez lentamente enquanto os outros apenas nos observavam. -Mas, pode ficar pra você. 
Logan: Mesmo? -me fitou com um sorriso malicioso. 
Eu: Sim. 
Jack: Legal, aí o Zayn vai te matar. -contrariou ao ver a cena. 
Logan: Merda. -disse rápido e jogou a calcinha em no lixo perto dele. -Sabia que devia ter pego a da Piper de uma vez. 
Jack: Aí o seu problema ia ser comigo. -disse de bom humor e até eu estranhei. Voltei ao meu pensamento anterior. 
Eu: Logan, você acabou de se tornar o número um na minha lista de homicídios. 
Jack: Matadora de aluguel profissional. -fez uma cara sexy assim como seu tom e aquilo soou muito engraçado. 
Logan: Roubei o lugar do Zayn? -pediu animado. -Sou bom mesmo. 
Eu: Tá feliz por quê? Isso significa que você morre primeiro. 
Logan: Na verdade quer dizer que você perde o seu tempo pensando em mim. 
Eu: Tá dando em cima de mim também? Olha, além do jantar eu vou querer o sutiã esburacado pra combinar! -retruquei e ele sorriu. -Eu não tenho a paciência da Piper pra receber cantadas. -me dei conta fazendo bico e tornando a recostar melhor no sofá. -Que vontade de beber.
Jack: Eu também. Mas hoje não dá, esqueceu que dia é? -eu ia abrir a boca pra falar, droga, o golpe. Eu tinha esquecido completamente nesses últimos momentos. 
Danny: Eu sou a única pessoa mesmo pra poder ficar de olho em você e ser quase responsável, SeuNome.
- Não é verdade. Eu também posso cuidar dela e ser quase responsável. -Zayn surgiu não sei de onde e se sentou do meu lado, me envolvendo com um de seus braços. Finalmente ele desceu. -O que vocês estão fazendo? 
Jack: Contando as verdinhas. 
Zayn: E?
Danny: Aqui tem mais ou menos 125,2 milhões de dólares. -falou incerto. -Como não temos certeza, vou fazer os números e te dou um retorno.
Zayn: De boa. -parecia meio inquieto, sempre passava a mão nos bolsos das calças desde que desceu. Talvez seja por isso que demorou tanto no andar de cima. Eu ri e balancei a cabeça, levantando seu Smartphone na altura de sua cabeça, exatamente como ele fez com a minha pulseira ao me ensinar. 
Eu: Procurando por algo? -ganhei seu olhar sobre mim e ele pegou da minha mão com uma expressão mista de ironia, irritação, e quem sabe, orgulho. 
Zayn: Ham. -assentiu algo para si mesmo mordendo o lábio e se levantou. -Vamos repassar o plano, acho melhor você ir se arrumando ladrazinha. Vocês também caras. -disse friamente e piscou pra mim antes de sair. Joguei a cabeça pra trás. Acho que ele vai ser o primeiro a morrer mesmo. 

[...]

- A Interpol? É sério? -Dan resmungava sem parar desde que tinha visto o noticiário por dois minutos, e mal deixava Jack terminar de nos explicar o plano. -Eu não vou ser preso, você ta vendo esses braços? Eles vão me livrar de pouquíssimos estupros na prisão!
Jack: Você vai ficar bem! -riu da urgência em que o amigo falava. Tinha passado na tv que estava havendo uma onda de tráfico de drogas em Las Vegas, maior que o habitual e disputa, homicídio qualificado, formação de quadrilha. A policia estava completamente perdida tentando investigar mais a fundo e se nada desse certo, chamariam a Interpol. É, não tinha como ficar de boa com isso.
Danny: Não pode garantir isso, nenhum de vocês pode.
Zayn: Olha, você tem que confiar em mim. -lhe encarou seriamente do outro lado da sala e manteve Dan em silencio por alguns segundos.
Danny: Tá, mas vocês ouviram...-continuou. -Se eu parar na prisão eu morro.
Zayn: Eu sei muito bem o que acontece na prisão, dá pra você calar essa boca agora?

Piper: Será que não seria melhor, sair da cidade ou do estado, sei lá, por um tempo?
Zayn: Não, você não entende. -abriu mais a jaqueta e abaixou a blusa para que Piper terminasse a cicatriz improvisada em seu peito. Não era nada agradável ficar vendo aquela garota passar as mãos pelo peito de Zayn criando aquela droga de marca. Por que ele teve de pedir pra ela fazer isso? -Se eu sair de Las Vegas sem resolver isso, o desgraçado do Mitchell vai me caçar até no inferno.
Piper: Pronto, só falta o acabamento. -se afastou, fazendo uma cara de biscate e eu dei graças a Deus por ter terminado. -A Débora acabou de me dizer que chega em alguns minutos e ela tem aqueles produtos dela pra essa merda durar a noite toda.
Eu: E a simulação? -me lembrei, fazendo-os me olhar.
Jack: Bom, conseguimos fazer algumas pequenas simulações do golpe no salão de festas que deve ter mais ou menos a mesma estrutura da parte principal da casa do Keyser.

Assentimos em consentimento e eu subi indo me vestir finalmente. Tinha que ficar o mais atraente possível para ganhar confiança do anfitrião pelo menos para entrar em seu espaço e pegar aquela tal chave. Eu nem sequer fazia ideia de como ela era, mas se consegui identificar o celular de Zayn em um de seus bolsos e pega-lo enquanto ele estava distraído me beijando, sentia que tinha uma chance. Não era a minha primeira vez numa trapaça, eu conseguia. Eu tinha que conseguir. Respirei fundo e me olhei por inteiro no espelho do quarto, puxando um pouco o tomara que caia e fazendo meus peitos se levantarem. Nossa, essa não era eu. Fiz uma careta e ri de mim mesma pela idiotice. Ouvi a voz da Déb no andar de baixo e coloquei rapidamente os brincos prateados, que combinavam perfeitamente com a faixa de brilho no busto, antes de descer.

Débora: Meu Deus, você tá parecendo uma princesa. -disse maravilhada ao me ver no topo da escada. Sorri e corri para abraça-la. Mas eu não me sentia uma princesa. Me sentia uma bandida. E me culpava por gostar disso. Débora parecia cansada e desgastada do trabalho no bar, ela sempre voltava pra casa assim, sendo oito da noite ou ás cinco da manhã como de costume. Mas hoje, eu não sei. Prestei atenção nela, seu sorriso era triste e estava tão claro em seus olhos; seus cabelos estavam em uma desordem tremenda. Que diabos tinha acontecido com ela? Será que discutiu fisicamente com um cliente?
Eu: Tudo bem? Você voltou cedo hoje.
Débora: É, tudo bem sim. -olhou para os garotos. -A Piper me mandou mensagem dizendo que não sabia como terminar a marca no Zayn, então pedi que um barman me substituísse hoje anoite. Eu queria ficar em casa hoje mesmo. -abriu a boca para dizer algo mais, mas não fez. Em vez disso, olhou para o moreno. -Então, vem cá.

Coloquei meus olhos em Zayn enquanto ele se aproximava de Débora para fazer o acabamento. Agora ele trajava um smoking preto. Deviam ter mil e um adjetivos para descreve-lo, mas naquele momento todos eles sumiram da minha boca e mente. Meus olhos não mereciam aquilo. Sem comentários. Qualquer uma em sã consciência iria preferir morrer asfixiada a recusar ser a acompanhante dele em qualquer evento. Com esse pensamento que me veio do nada em mente, eu não sabia se me sentia sortuda ou azarada.
        Jack quase esbarrou em mim ao entrar ali, ele disse que tinha acabado de ver Logan e ele estava dormindo exatamente da mesma maneira que o colocamos a duas horas atrás, depois de o obrigarmos a beber alguns copos enormes de água. Provavelmente ele tinha usado alguma droga para ter ficado naquele estado, eu não saberia dizer. Mas que ele precisaria de no mínimo umas oito horas de sono, disso não tinha dúvida.

Jack: Já estão terminando? -disse ao se aproximar de Zayn que recolocava o paletó e fechava os botões na altura do peito. Débora o ajudava agora a passar um fio finíssimo pelo seu corpo de modo que ficasse bem escondido.
Débora: Seria melhor se você não tivesse essas tatuagens saindo para fora da roupa. Entrega que você é um idiota sem classe. -riu sem humor.
Zayn: Só lamento. -disse com um sorriso presunçoso nos lábios.
Jack: Sem deixar rastros, entendeu? -interviu mais uma vez. -Eu vou dirigir a van e trazer a carga.
Eu: Enquanto eu e Zayn fazemos o trabalho sujo.
Jack: Exatamente. -respondeu ocupado mexendo em suas coisas.
Zayn: Você não precisa tentar me ensinar, Jack. -o amigo fingiu nem ouvir a tentativa de discussão, fazendo-a morrer no ar. Parece que alguém estava amadurecendo nesse aspecto. Pelo menos eu esperava que sim.
Jack: Vai ser assim então. -Danny até desligou a tv e o som para ouvirmos melhor as instruções. -SeuNome e Zayn, entram na festa. Zayn vai dar o nome de Aidan fingindo ser ele e isso vai facilitar tudo, e só caso não dê certo, vocês partem para o plano B.
Eu: Qual seria o "plano B"?
Zayn: É melhor você não saber. -se intrometeu. Fazer de mais uma coisa um mistério, era isso que ele queria. Se não pudesse me esconder algo, Zayn não ficava feliz. Eu só podia estar entrando em mais um jogo perigoso mais conhecido como uma roubada. Mas no fundo, e não sei porquê, eu confiava mais nele do que em mim mesma nesse tipo de situação.
Jack: Tá, como eu disse, vou estar dirigindo a van e Dan de dentro dela vai estar te mandando algumas mínimas instruções, só quando precisar mesmo sobre a área. Porque sabemos que isso atrapalha pra caralho. -prosseguiu- Qualquer coisa, Malik, você nos avisa pela escuta. Pelo amor de Deus, de maneira alguma você desliga o rastreador, pode até desligar a escuta mas o rastreador você morre com ele ligado. -concluiu sério. Nem parecia o mesmo Jack de mais cedo jogando dinheiro pra cima e praticamente rolando nele. -Danny, você cuida do mapa da área e fala os passos que ele precisar dar. -me olhou. -SeuNome, você vai bater a chave do Keyser depois de distrair o segurança dele, e em seguida passar essa chave para o Zayn discretamente. Tudo com a máxima discrição possível. Assim, ele segue para o segundo andar onde está a carga, mostra a chave á esposa do Keyser dizendo que falou com o marido dela e para completar o que você falar, mostra a cicatriz alegando que você é Aidan Gavin, o chefe dos capangas do Charlie. Assim você poderá pegar todo o armamento que é do Charlie Mitchell sem problema com os seguranças e com ela, voltem para o mesmo lugar que vieram e lance as maletas pela saída de lixo que eu vou estar lá para recolher tudo. O carro de fuga é o mesmo em que vocês chegaram. Nos encontraremos todos aqui, vocês tem exatamente uma hora e meia para fazerem tudo, nós combinamos essa hora porque é a mais em conta considerando que devem sair antes que os capangas de verdade do Mitchell cheguem. -explicou e eu assenti com a cabeça. -Vocês chegam juntos porque a SeuNome precisa entrar de alguma maneira, e com o Zayn é a mais rápida. Mas assim que pisarem um centímetro pra dentro da casa dele, vocês se separam e fingem que não se conhecem, para não dar na vista.
Danny: Cara, você pensa mesmo em tudo. -falou impressionado. Eu não podia deixar de lembrar de quando era minha primeira vez e Alex que me passava e repassava o plano cheio de humor. Eu só esperava que ele estivesse bem. Antes que eu pudesse sentir a dor que aquela lembrança me causava, minha atenção foi roubada para para a pergunta de Déb.
Débora: Tem mesmo certeza de tudo isso?
Zayn: Sim, e com muita classe. -se gabou forçando uma voz de ator de cinema, enquanto ajeitava melhor as mangas para cobrir os desenhos nos pulsos. Atravessou a sala e Jack puxou o braço dele.
Jack: Eu estava pensando, e é melhor vocês saírem de lá sem explodir nada. Será até mais fácil. Sei que gostaria de explodir algum lugar daquela festa por algum motivo, e não só para escapar pelo outro lado, sei que está pensando em planos mirabolantes sem parar.
Zayn: Ah, é mesmo? -sorriu irônico. -Você lê mentes agora?
Jack: Tem algo lá que te incomoda, e eu vou descobrir o que é antes que você mate todo mundo. -sussurrou essa parte mas eu estava perto o bastante para conseguir ouvir.
Zayn: Vá em frente. -puxou seu braço com a mesma expressão presunçosa e nos deixou.

                         Débora já tinha sumido para o quarto dela e eu tive que subir para pegar as luvas que Danny me pediu pra usar. Elas era compridas, claras e semiformais para eventos noturnos, uma cor que combinava com o vestido e acima de tudo, com elas eu não deixaria qualquer digital ou rastro. Danny entrou no meu quarto para me dar a escuta e o rastreador, e eu aproveitei para lhe pedir o perfil físico do anfitrião.

Danny: Por que tanto interesse em Keyser Bresley?
Eu: Ué, porque eu vou ter que cuidar dele enquanto tento pegar a tal chave.
Danny: Cuidar? -fez um revolver com os dedos e apontou para a própria cabeça.
Eu: Para com isso, não tem graça. -lhe dei uma bundada. -Vou ouviu, vou dar em cima dele. -Danny se fez de desentendido e Zayn bateu lentamente na minha porta já aberta colocando metade do corpo para dentro.
Zayn: Ajuda com as luvas? -Danny se despediu de mim falando que já ia descer e deixou Zayn assumir e se aproximar. Ficamos uns segundos em silencio enquanto eu terminava de arrumar aquelas coisas em mim e ele só observava. -Preciso te dizer que isso é de fato uma vingança, e o Jack não sabe o que fala. -começou. Ele era esperto o bastante para saber que eu ouvi. Pelo visto seu humor continuava mudando a todo momento, a cada frase mal interpretada por um de nós. Mas ele parecia levemente irritado comigo, e eu não estava com paciência para fazer nada sobre isso.
Eu: Aham, claro. Seja lá o que for...
Zayn: É melhor você não saber do que se trata. -claro, pra variar. Ele se aproximou mais de mim. -O foco agora é você trabalhar a sua parte. -concordei e abaixei a cabeça, suas mãos subiram pelo meu corpo me contornando naquele vestido colado. Voltou para minhas luvas e as puxou mais para cima com um pouco de rispidez, colando mais seu corpo no meu. Suspirei em seu queixo e Zayn soltou o ar frustrado pela boca. -Me dá vontade de fumar só de ver você vestida assim e não poder te foder. -ri e encostei nossos lábios por um momento em um selinho. -Não preciso nem te lembrar de não confiar em ninguém e ir depressa, certo?
Eu: Não. -disse e passei a mão pelos seus cabelos arrumados, que tentou se desviar do meu toque e fez uma careta.
Zayn: Sabe quanto tempo eu demorei pra arrumar o meu cabelo, SeuApelido? -caminhou a passos largos para frente do espelho e começou a arrumar o que eu desmanchei. -E sim, preciso te lembrar sim.

Estávamos saindo de casa exatamente ás dez da noite, Zayn tinha mandado equipar uns três carros desde que apaguei aquele cara, segundo ele era para fugas e não tinha como dar errado. Era com um daqueles que iríamos. Falou com o chefe de segurança e finalmente estávamos prontos.

Danny: Boa sorte pra vocês. -gritou e entrou na van improvisada.
Zayn: Que a noite comece. -disse de bom humor e pisou fundo. 


CONTINUA...
Fala galera, eu queria muito avisar vocês de que houve um erro no capítulo anterior (38 Parte 1), que no final da narração da SeuNome eu não tinha colocado até o final (eu escrevo no World na maioria das vezes, e não colei a parte final daquela narração), então por favor, verifiquem que já está arrumado AQUI
Próximo tem narração do Malik gótico indie porra louca.
Bjs!

4 comentários:

  1. Wow continua logo pelo amor de Deus. E mt pfta essa fic. Sou viciada

    ResponderExcluir
  2. só de entrar no blog e ver que tem mais um capítulo de Badboy of' mine já do um sorrisinho, mano essa é a fic da minha vida, amo demaaaais, e não quero que acabe :( mas sei que uma hora vai, mas enfim continua Lizzy <3

    ResponderExcluir
  3. MY CORE NN AGUENTAA, MDS CRLH ESSE É A FIC MAIS FODA DE TODAS !!
    LIZZY VC É FODA, PARABÉNS TO APAIXONADA - ''Não é verdade. Eu também posso cuidar dela e ser quase responsável.'' (MOMENTOS FOFIS DO ZAYN ♥ - AMOOO). JÁ DISSE QUE VC É FODA NÉ ?! KKKKK BJÃO LIZZY SOU SUA FÃ ♥♥// Laís <33 ♥♥

    ResponderExcluir
  4. Oi limda!Para nossa alegria 😁 +um capítulo F.O.D.A,tô amando muuuuiiiitoooo a fic tá muito V.I.D.A!!!E sobre o capítulo anterior ,erros acontecem é nós aceitamos suas desculpas na boa e tipo quando eu tô lendo é uma coisa tão boa ,parabéns 😤 flor vc escreve muito bem!!!
    XX:Ana ❤ bjs
    :-*

    ResponderExcluir