Badboy of' Mine - Capítulo 32

| | |
- Nunca vi alguém gostar tanto de arriscar

Eu sinto algo tão certo fazendo a coisa errada, e algo tão errado fazendo a coisa certa. Eu não poderia mentir, tudo que me mata me faz sentir mais vivo.  -Counting Stars

Narrador P.O.V's

Piper não estava com cabeça para voltar para a mansão, na verdade, abominava completamente a ideia, mas a última coisa que queria era parecer uma suspeita indiferente que some do nada. Ela não sentia que todos confiavam cem por cento nela, ainda mais sumindo assim. Ao adentrar o lugar ignorou alguns dos garotos no andar de baixo e subiu imediatamente sem direcionar palavra alguma a qualquer um, seu objetivo no momento era fazer sua cabeça parar de doer depois de ter ficado horas no lounge bebendo como se o amanhã não existisse. Em seu quarto, ligou a tevê em um volume baixo, quase mudo apenas deixando que o mínimo barulho acalmasse sua mente, sempre teve essa mania e incrivelmente dava certo. Mas o silencio não durou muito.

- Está acompanhada? -a voz masculina veio da porta. Piper se levantou irritada e a abriu dando de cara com Jack. Seu coração e sua espinha gelaram por um instante, mas logo armou sua defesa sarcástica.
Piper: Olha, você é o maior empata foda da história!-ele riu. -Eu estava aqui transando e te traindo, amor.
Jack: Só queria dizer que a Deb ta enchendo o Frank a horas por causa de alguma coisa que você fez e ela não quer falar. Te procurei por tudo onde você estava? -as mãos de Jack envolveram sua cintura apertando o corpo dela. Só os céus sabiam como ele sentia falta de estar com Piper, e não podia se sentir melhor por ela resolver voltar.
Piper: Tive que voltar a fronteira porque Logan esqueceu uma entrega. -revirou os olhos praticamente caindo na própria mentira. -Não aguento esse cara, ele é tão amador.
Jack: Sei, mas...Fala com ela, vai.
Piper: A sua irmãzinha é um saco. -disse ironicamente antes de se soltar dos braços de Jack com um selinho e procurar por Débora por tudo, nos banheiros, quartos e corredores da mansão.
- Ai está você! -uma voz frustrada a parou perto de um quarto vazio, que mais o usavam para depósito. -O idiota do Frank saiu e eu estou cansada de brigar com ele, então vim descontar um pouco em você.
Piper: Justo. -respondeu sem humor para Deb.
Débora: Você contou ao Logan que eu estou saindo com o Evan?-pediu firme com um olhar repreendedor e Piper arqueou a sobrancelha. Não estava nem um pouco afim de desafiar ou brigar com sua cunhada. -Antes que negue, o Frank me contou.
Piper: Ele é um doente fofoqueiro.
Débora: Que droga aconteceu com você? Está estranha, e parece pálida.
Piper: Impressão sua. -me afastei. -Você não está nem aí pra mim, garota chata.
Débora: Droga, eu nem sabia que você sabia, andou ouvindo minhas conversas com a SeuNome?! Não era pra ele saber, não dessa vez. -Piper já cheia daquela novela interminável, revirou os olhos. 
Piper: Escuta aqui pivetinha, ninguém aqui aguenta mais esses seus joguinhos com o Logan, toda essa baboseira já encheu o saco e eu não sou a única! Temos mais com o que nos preocupar, tá bem? 
Débora: Faz assim, experimenta cuidar da sua vida de vagabunda e deixa minha em paz. -passou pela loira a fuzilando com o olhar. -Tenho pena do Jack por gostar de você. 

                                         Zayn acabava de entrar em mais um cassino depois de ter ido a três, já estava cheio das trapaças, pelo menos para aquele dia. Ele não conseguia ficar naquela casa enquanto os garotos terminavam de armar o plano dele. Estava mais do que óbvio que a guerra já estava declarada. Mas o que o incomodava era o fato de que Mitchell ainda não havia mandado qualquer tipo de resposta depois de que Zayn torturou seus capangas. Aí tinha a SeuNome. Por que ela fazia isso? Era o que ele pensava, mesmo que achasse que ela estava completamente errada ainda o fazia se sentir culpado. Se condenava por ama-la cada vez mais, aquela otária, aquela teimosa imbecil, viciada em adrenalina. Como assim? Zayn Malik conseguia negociar, enganar, chantagear pessoas e sair ileso mas não conseguia evitar sentir um amor doentio por aquela garota. E ela ainda achava ruim, ele ter torturado as pessoas que lhe intimidaram, a drogaram. Isso o irritava muito e por mais que tentasse fazer dar certo, não conseguia evitar. Onde ele havia errado, afinal? Por que ela não simplesmente calava a boca e voltava para San Diego, por que em um momento como esse não esquecia de sua existência?
É claro que não, a idiota estava apaixonada. Exatamente como ele queria no começo, mas agora essa sua paixão por ele viria a ser seu atestado de óbito. Tão fácil como as cabeças das mulheres que se viravam a medida que ele adentrava mais o cassino. Talvez fosse por ser muito confiante e relaxado, Zayn não sabia dizer, que ele conseguisse passar em sua linguagem corporal uma imagem para as outras pessoas de que era foda. Ele acreditava tanto que era "o cara", que os outros acabavam achando isso também. Até que não era para menos.

Uma das piores e interessantes coisas sobre um casino: você não encontra relógio, janela, teto de vidro nem quaisquer objeto onde você possa ter noção de hora. As pessoas mal deixam seus celulares ligados ali, e por que fariam? É um parque de diversões para adultos.
Zayn se aproximou de uma mesa onde um casal sortudo acabava de faturar $2000 na roleta, deviam estar alterados e gastavam seu dinheiro com as outras pessoas puxa sacos. Ou seja, eles deviam estar nadando na grana. Assim como Zayn, mas sinceramente, isso ele faria por diversão assim como as suas últimas trapaças.

- APOSTAS! Façam suas apostas!-o dealer quase gritava. Os perdedores resmungavam e junto com alguns ganhadores deixavam a mesa para outros entrarem. Quase todos os caras tinham acompanhantes muito bem vestidas, prováveis ex dançarinas de cassino que acharam homens ricos para banca-las. Malik num jogo rápido de olhares percebeu qual era a jogada, o cara responsável por cuidar das apostas sussurrava para o homem e o casal apostava no número vencedor, eles deviam ser conhecidos ou algo assim, mas aquilo era totalmente ilegal embora ninguém se pronunciasse, muito menos a polícia. Zayn não fazia ideia de como eles conseguiam roubar com a roleta mas esse mundo podre nunca deixava de o surpreender.
Zayn: Eu! -jogou suas fichas de 100 na mesa. -Aposto no 19. -o marido olhou para Zayn o fuzilando, ele sempre era o ultimo a apostar, mas dessa vez Malik tinha prestado bem atenção nos seus cochichos para saber que o 19 ganharia. 
- Por que quer o 19?-a mulher retrucou nervosa.
Zayn: Ah, eu sei lá. Sinto que hoje é meu dia de sorte. -provocou indiretamente por "baixo dos panos"- Não vai mais apostar? -mesmo intimidado o orgulho do homem de continuar na mesa não o deixou pagar de covarde na frente da mulher e dos outros ali. Apostou mesmo sabendo que perderia. A bolinha que decidia destinos foi jogada e como já esperava, ele rapidamente viu seu dinheiro nas mãos do moreno novato no jogo.
- Não acredito, me devolve a minha grana!
Zayn: Chama isso de grana?-riu e jogou todo o bolo em cima dele. -Toda sua.
- Qual é a sua idiota? Ta de blefe comigo?
Zayn: Não tem blefe nenhum cara! Só quero ver você passar vergonha na frente desse pessoal e da sua mulher gostosa. -provocou e a mão fechada do homem atingiu seu gosto o jogando por cima da mesa no impacto. Todos encaravam surpresos incapazes de olhar para outro lugar e acreditar como aquilo aconteceu em questão de segundos. As pessoas conversavam tensos enquanto Zayn se punha de pé com um sorriso debochado, pronto para sair dali. Seu celular tocou e sem pensar duas vezes atendeu, feliz por quase já estar no estacionamento.
Zayn: Alô? -disse com a voz pesada. 
Danny: Dormindo né filho da puta?
Zayn: Na verdade eu estou saindo de um cassino, acabei de levar um soco. -riu. -Eu mereci, como sempre. 
Danny: Você não se cansa de estar errado né cara? A sua diversão é encher o saco e roubar as pessoas até elas saírem do sério.
Zayn: Na verdade eu sei a hora de parar. Eu só estava tentando tirar a cabeça dos problemas por um tempo, sabe, me divertir. 
Danny: Ta, tá. -disse irritado, não era fácil ficar armando esquemas por horas. -Só vem logo pra casa porque o radar localizou alguns dos caras e eu acredito que o Charlie pode estar com eles. O plano ta pronto. 
Zayn: Ótimo, eu tô indo pra ai. -entrou no carro, o ligando o mais rápido que podia. -Mas eu acho que deve estar enganado, nenhum de vocês conhece o Mitchell como eu, sendo um dos mais procurados você acha que ele vai ficar dando bandeira por aí? De jeito nenhum. 
Danny: Você tem razão. Mas...você também não devia. 
Zayn: Eu sei, a gente se fala depois. -desligou antes que Danny pudesse dizer mais alguma coisa e enfiou o aparelho no bolso da calça. 

                                        SeuNome não acreditava que havia ouvido aquilo dele literalmente até agora. Ela não iria embora, mesmo que tivesse que estar naquele pé de guerra com o babaca que Zayn era, ia ficar ali até que toda aquela situação se desenrolasse de uma vez por todas. Tinha saído mais cedo com Frank embora ainda estivesse meio nervosa com ele por não ter aberto a porta na noite em que Zayn a trancou no quarto, tinham ido a um galpão de preferencia dele falar com um ajudante do sr.Payne já que Liam os ajudou dando um jeito de tirar o pai da cidade por um tempo. Tinham resolvido os assuntos pendentes e SeuNome conseguiu provar ao homem que seu chefe não precisava se preocupar com as mercadorias. Ela sinceramente nunca pensou que poderia se dar tão bem em algo tão ruim, e infelizmente conseguia até se orgulhar disso. Frank a treinou mais um pouco antes de se juntar aos garotos. Agora ali, parada na porta do estúdio de Zayn, podia ver o desenho de seu próprio rosto perfeitamente pichado em cores vivas na parede, fechava o último espaço naquela sala. Nunca tinha visto algo como aquilo e pra ela havia um significado maior, muito maior. 

- Você não devia estar aqui. -a voz era conhecida atrás de si, mas não era de Zayn. SeuNome olhou para Jack decepcionada. Mesmo que soubesse que se fosse Zayn iria levar um grande esporro por estar ali, ela queria que fosse ele, afinal ambos não se falavam direito desde que ele disse a ela para sair de sua vida em meio todo aquele sangue no porão. Haviam calafrios em seu corpo só de lembrar. 
SeuNome: Que susto Jack, achei que fosse...
  
Jack: Eu sei. Ele tá lá embaixo, estão falando sobre o esquema, você vem?
SeuNome: Eu ajudei então, claro que sim né. -ele riu e balançou a cabeça depois de levar um pequeno tapinha no ombro. Era normal fazerem de tudo para melhorar o humor um dos outros.

Em alguns minutos, a conversa no andar de baixo já havia esquentado, realmente esquentado. Era uma tremenda discussão, os esquemas apresentados uns aos outros, uns tentando colocar moral nos outros. Para SeuNome parecia que estavam agindo impulsivamente, nunca tinha ouvido tantas estratégias perigosas juntas, e o pior, era a realidade nua e crua.

Danny: Isso mesmo, atacar amanhã, nós temos o endereço, radar, a placa dele e tudo mais.
Zayn: Como vocês conseguiram isso?
Débora: O Jack é o cara, lembra? -riu e puxou o meio-irmão para um abraço de lado. Estavam mesmo confiantes de que tudo iria dar certo, mesmo que parecesse surreal. Todos, menos...
Zayn: Eu não sei não...
Jack: Deixa de ser a ovelha negra, isso é sério e é bom todos estarmos de acordo.
Zayn: Pois é, mas eu não estou. -suspirou. -Gente, não é por mal de verdade mas vocês parecem ainda não saber exatamente com quem estão lidando.
Frank: Ninguém está subestimando o cara, Malik. Mas nós estudamos e traçamos o esquema direitinho e tem muita chance de dar certo.

Zayn os encarava quase sem se mover, pensativo e sem expressão alguma. Era difícil quem o olhava, dizer se ele estava decepcionado, triste, nervoso ou se tinha tomado um porre de bebidas mais cedo. As mãos nos bolsos da calça justa e com uma blusa negra que deixava seu pescoço amostra assim como uma corrente fina pendurada. De algo SeuNome tinha certeza, ele ainda estava desapontado com ela, tanto que continuava naquela mania de mal a olhar. Seus olhos piscaram rapidamente parecendo encontrar alguma resposta para a situação delicada em que estavam e que ele mesmo se julgava responsável, ela analisou a maneira como seus olhos estavam mais brilhantes mesmo naquela luz como o olhar de uma criança com febre, os cabelos também mais ajeitados que o normal. Um pensamento que ela julgava patético tomou conta de si, de como gostaria de fotografá-lo naquele instante.
Zayn: Nós já estivemos em algumas perseguições mas devem saber que não vai ser nada perto disso. Vocês sabem, não é?
Jack: O que você acha, Piper? -pediu confuso com os olhos ainda perdidos no rosto da namorada. Ela que aparentava aos outros estar até agora indiferente na conversa apenas deu de ombros.
Piper: Não sei. Acho que devemos ataca-los. -respondeu mesmo estando com a cabeça em outro lugar. -Sabe o que dizem, a melhor defesa é o ataque. -deu de ombros tentando parecer interessada como todos. 
SeuNome: Eu quero esse cara morto. -rebateu determinada fazendo com que Zayn a olhasse pela primeira vez ali, meio assustado com sua tamanha convicção.
Zayn: Eu também, e não preciso de você para conseguir isso. -nivelou seus olhares- É um peso morto.
SeuNome: Quando você vai admitir para si mesmo que eu acabei sendo boa nisso?
Zayn: Não me importa, não quero que você seja um monstro porra, entende?
SeuNome: Por que acha que isso vai acontecer?
Zayn: Porque é nisso que os criminosos se transformam.
SeuNome: Essa então é a resposta de você ser assim. -avançou afiada.
Piper: ARGH, deixa essa idiota ir de uma vez, se ela levar um tiro na cara vai ver aqueta...
Débora: Que isso Piper!-todo mundo estavam falando coisas que Zayn mal podia ouvir por se concentrar apenas em SeuNome. -Deixa de ser machista Zayn.
Zayn: Eu não sou machista, se eu fosse seria com você e a Piper também. -SeuNome riu irônica. Sinceramente aquilo já estava se tornando insano e deprimente.
SeuNome: Não vou te aguentar fazendo drama na minha cara, sentar e ficar quieta. Estou ganhando pra i...
Zayn: Pra isso? Não, você está ganhando para vender drogas, não para se meter nos meus problemas com chefes psicopatas de gangues!
Jack: Dá pra vocês dois calarem a boca?! Já temos bastante problemas!-esbravejou. -Não trabalhei duro por horas nisso sob as ordens do imbecil do Zayn pra vocês dois estragarem com suas briguinhas ridículas de casal!
Zayn: Tá! -suspirou voltando a se acalmar. Queria ter enfrentado Jack mas ele estava completamente certo, as vezes Zayn se descontrolava quando se tratava dela. A sua tamanha petulância e coragem era tão irritante. Algo sobre SeuNome que não entendia era como ela ainda tinha jeito para tira-lo do sério de um segundo para o outro tão facilmente.
Frank: Nós temos o máximo de munição possível e você sabe cara.
Zayn: É, pode até ser, mas eu sinto que ainda não é a hora. Vocês podem entender isso se querem mesmo ajudar?! -todos estavam em um silencio incomodador, aquela sala nunca pareceu mais tensa enquanto cada um se remoía com seus próprios pensamentos. -Olha, eu estou desesperado para achar aquele bandido do caralho, antes que ele faça isso e machuque alguém daqui. Só...não é a hora. -o silencio voltou a se instalar. As respostas estavam ali mesmo naquela sala, as trocas de olhares, as mordidas de boca...
Jack: Tá bom Malik. Vou ter que concordar. -bufou com as mãos estendidas sobre a mesa em que estavam dezenas de armas e munição.
Zayn: Mesmo?
Jack: Estamos muito apressados, não é assim que funciona.
Frank: AH QUAL É! -deu um empurrão em Jack. -Vamos logo maricas, vocês estão com medo do tal Charlie? -riu- Por favor...
Jack: O Zayn tem razão mano. -Piper, Frank e Deb eram os principais decepcionados encarando uns aos outros, não podiam acreditar que teriam de esperar mais e continuar naquela agonia, ansiedade até a hora que Malik julgasse "a hora certa de atacar". Jack mordeu o lábio e balançou a cabeça para Danny, na tentativa de mostrar suas reais intenções.
...
k
SeuNome: Está nervoso?
Zayn: Eu? -pediu disperso, acabando de virar a cabeça para ela. Eles haviam acabado de jantar alguma comida oriental que não era nem um pouco a cara de ambos mas foi o que Danny tinha pedido para noite. -Não.
SeuNome: Acho melhor você começar a rezar. -tentou melhorar o humor dos dois mas não funcionou inicialmente.
Zayn: Acho que não.
SeuNome: O que quer dizer?-disse sem paciência alguma.
Zayn: Quer dizer que não sou muito religioso. -eles praticamente sussurravam naquele clima quase deprimente da sala, Logan e Jack já haviam dormido a alguns minutos, logo depois de comer e Zayn estava impressionado com isso. Eles nunca dormiam cedo. -Olha, eu já sei que faço tudo errado, que não ajo como um homem de verdade deveria mas não preciso de você me jogando isso na cara, na verdade já tenho muitas pessoas que dedicam a vida para isso. -riu sem humor.
SeuNome: Você e o seu maldito ego...Não estou impressionada. -comentou. -Mas sinto muito por isso tudo que está acontecendo.
Zayn: Acredite, eu sinto mais. -seus olhos estavam em transe direcionados para o copo metade vazio de uma bebida forte em suas mãos. A luz do ambiente estava fraca, praticamente nula.
SeuNome: Ah, eu...-se levantou com um suspiro sem saber como se despedir dele exatamente. Um beijo na boca ou no rosto? Quando estavam brigados era assim, estranho. Zayn a evitava e ela queria conseguir fazer o mesmo. -Eu acho melhor subir e dormir um pouco. -ele mal a olhou ou assentiu e SeuNome silenciosamente deixou a sala, ignorando os pensamentos anteriores.
...

Zayn levantou a cabeça e as mãos apontando sua arma para a porta da frente no exato momento em que ouviu um barulho naquela direção. Ele havia dormido sobre a mesa com a calibre na mão, mas isso não queria dizer que não estava em alerta para qualquer movimentação diferente e estranha até mesmo na casa. Não era nada, apenas alguns carros na rua, alarme falso. A mansão era muito bem protegida com equipamentos de segurança, dentro e fora e mesmo assim uma das melhores gangues dos Estados Unidos conseguiu invadi-la, e mais de uma vez. Para ele com certeza não havia nada mais preocupante naquele momento. Após bocejar e estalar o pescoço sem querer, um de seus braços já relaxados esbarrou em algumas caixinhas de comida oriental que estavam espalhadas pela mesa. Jack e Logan já não estavam mais dormindo no sofá, e o silencio o preocupou de verdade.
                  Zayn se levantou daquela cadeira desconfortável e subiu as escadas, abriu as portas dos quartos uma por uma daquele lugar escuro na tentativa desesperada de provar a si mesmo que sua desconfiança estava enganada. Mas não. O que encontrou foi a completa ausência das pessoas que concordaram em cancelar o ataque. Malditos! Eles o esperaram dormir para saírem. Zayn tentou conter a raiva que sentia, chutou um móvel do quarto de Danny por impulso pouco antes de seu celular começar a tocar estridentemente e ele o apertando firme nas mãos depois de ver a hora, atendeu.

Zayn: CARALHO, SÃO QUASE CINCO DA MANHÃ, ONDE VOCÊS ESTÃO? -gritou extremamente irritado ao ouvir uma respiração do outro lado da linha. -Eu achei que dava para confiar em vocês, que tínhamos concordado, mas me traíram!
SeuNome: Isso não foi traição Zayn, pelo amor de Deus, vê se se acalma. Eu preciso que você se acalme!
Zayn: SEUAPELIDO?! Vo-você...-mal conseguia falar de imaginar que ela realmente havia ido para uma missão suicida daquelas. SeuNome estava se revelando, e Zayn não gostava nada disso.
Frank: Eu tentei falar para ela não vir mas você conhece a figura. -tentava se defender ao fundo. Zayn também percebeu alguns gemidos de dor frequentes nos últimos segundos, assim como o barulho forte do motor e vento.
Zayn: Alguém se feriu? Onde vocês tão?-disparou.
SeuNome: Estamos na estrada, saímos da fronteira a algum tempo e acho que já estamos chegando. -sua voz era cansada, abalada, como se tivesse acabado de sair de uma briga.
Zayn: A sua voz não está nada boa, por que é que você fez isso SeuNome, por que fez isso comigo? Logo você?!-chutou as mobílias perto de si, várias coisas de madeira e porta-retratos de vidro se encontraram em pedaços no chão fazendo barulho a sua volta. -CARALHO SEUS DESGRAÇADOS!
SeuNome: Bom, eu espero não ter que discutir mais sobre eu ter vindo, você sabe que eu sei me defender. -SeuNome parecia querer explodir de uma vez assim como Zayn, mas a diferença era que ele precisava matar um e ela precisava chorar até se acabar.
Zayn: Isso aqui é vida real sua louca, em uma missão dessas nunca se sabe se vai voltar vivo ou não!-sua respiração acelerava cada vez mais na mesma velocidade louca de seu coração. -QUEM SE FERIU, VOCÊ NÃO RESPONDEU!
SeuNome: A-a Débora levou um tiro e o Danny uma facada no ombro, ele se recusou a ir ao hospital assim como ela. -engoliu em seco. - Eles nos viram Zayn, acabou em tiroteio, mas não pegamos o Mitchell, acho que nem chegamos perto dele. -disse assustada, e querendo ou não, ele odiava ver sua menina desse jeito.
Zayn: Escuta, só...passa o celular para o...para o Jack. -pediu confuso, com mil coisas na cabeça ao mesmo tempo e os segundos que esperou pareceram demorar mais a passar.
Jack: Oi cara, antes que você diga, eu sei que o que fizemos foi errado mas parecia a hora perfeita, sermos os primeiros a mostrar quem é que manda depois daqueles atentados...eu sei lá, eu queria me sentir no controle pelo menos em um momento, sabe? Hoje eu me senti. Podemos não ter chegado ao Charlie mas os pegamos de surpresa, disso eu tenho certeza. -riu. -Matamos alguns deles porque não teve jeito. Foi divertido, droga!
Zayn: Se ainda estão em perigo é melhor eu ir até aí. -já se preparava para sair apressadamente.
Jack: Não! Já saímos da área deles, eles sumiram antes que a coisa piorasse. Os caras viram que você não estava com a gente, não valia a pena pra eles acabar com tudo de uma vez e agora eu tenho certeza absoluta de que é você o que o chefe maníaco deles está querendo. -deu uma pausa, tinha tantas coisas para contar ao amigo que nem sabia como. -Se você vier até aqui não vai adiantar de nada, pelo contrário, vai nos atrasar.
Zayn: Tá bom mané, só trás todo mundo pra casa sem piorar mais as coisas.
Jack: Sabe, você devia é nos agradecer seu filho da mãe, argh, já chegamos, tchau. -desligou na cara de Malik que atirou o celular no chão após xingar mais uma vez.



CONTINUA...
Mais um saindo essa semana...
  Ask

10 comentários:

  1. Cara ta muito perfeita eu acompanho desde o inicio e já li varias fics sua mas essa deveria virar livro ou quem sabe filme haha
    Continua sua Linda! :3 *--*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mt obrigada amr, vc é um doce. Quem dera kk.
      Vou sim <3

      Excluir
  2. PERFECT *-* nossa vey, a Piper é tão </33 detesto ela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Vdd, ela é o tipo de anti-heroína q eu não consigo gostar :S
      xx

      Excluir
  3. ELETRIZANTE. Essa é a melhor palavra para definir essa fanfic. Vc escreve em seu próprio tempo e não força situações que deixam aquele sentido de irrealidade. Eu acho perfeito como não se trata sobre um casal que está descobrindo o amor e apoiam um ao outro, não é uma narrativa leve e divertida. Acho Badboy of Mine um tanto sombrio, muito viciante, envolve duas pessoas dispostas a tudo para sobreviver, e isso não diminui o lado sexy da história; pelo contrário, a tensão é forte e quando Zayn e SeuNome se atracam é algo delicioso de se ler. Espero que vc escreva muito e muito mais pois eu vou estar aqui para ler! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, vc me deixou sem palavras, tanto para comentar isso quanto pra responder. Muito obrigada anjo, sou mt grata pela sua adoração e discrição :3
      xxx

      Excluir
  4. Tinha que ser um filme, pq meu deus! Mexeu comigo de uma maneira surpreendente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nhaw obrigada! Fico feliz, espero que goste da continuação
      xx

      Excluir