Badboy of' Mine - Capítulo 31

| | |
- TROUBLEMAKER

Você já me deu tantos motivos pra te detestar. E eu insisto no motivo que me fez gostar.  -Soulstripper

Piper Wright P.O.V's

Os últimos dias estavam completamente turbulentos. E eu estava aos poucos tentando sair de fininho em vez de ajudar quando a situação piorava de uma hora para outra. Não podia condenar a mim mesma por isso, porque ninguém me disse que tudo ia ficar tão difícil do nada. Todos estávamos acostumados com um ritmo perfeito de trabalho, de vida e até que estava dando certo até esses atentados começarem. Agora tínhamos de ficar mais atentos, esperar sempre pelo imprevisível. É claro, todos sempre soubemos que essa não era uma vida fácil de se encarar, eu mesma já lidei com pessoas da pesada de verdade, mas realmente fui tão imbecil ao ponto de acreditar que esse trabalho seria o mais fácil da minha vida. Eu só não sabia que Malik tinha tantos inimigos, mesmo já era de se imaginar. Aquele cara não vale o chão que pisa, pelo que sei ele vive desde muitos anos enganando as pessoas e fazendo merda, chego até ao ponto de me sentir mal pela SeuNome as vezes, ela é uma completa tonta, idiota e subestimada.
É claro, eu não sou a pessoa mais limpa e digna desse mundo para falar dele, mas pelo menos não sou tão idiota quanto todos nessa maldita mansão que parecem apoiar e ajudar Zayn a se livrar dos inimigos dele que agora estão ameaçando todos nós. Isso não tem nada a ver com a gente, e eu sou a única que pareço perceber. Não tem essa de amizade e companheirismo quando se trata dos problemas dele que deviam ser somente dele.

Desde a última invasão na qual os garotos conseguiram capturar uma garota e um homem, houve uma tortura pelo nome do chefe da gangue dos filhos da mãe que eu particularmente não fiz questão de presenciar e descobriram o nome do desgraçado, se tratava de ninguém menos que Charlie Mitchell, um alguém de quem já ouvi falar muitas vezes enquanto crescia já que meu pai é um policial viciado em trabalho. Mas na minha sincera opinião, Zayn já sabia muito bem por quem estava sendo ameaçado e essa tortura foi só para confirmar ou mandar um recado de volta. Ele pode ser tudo, mas não é idiota.
                           Eu acabava de voltar para casa com Logan, tivemos que ir até a fronteira resolver algumas coisas já de manhã e eu não via a hora de ficar em paz na minha. Ele me falava o quanto sentia falta do Alex, que foi um dos únicos caras que conseguiu mesmo fazer amizade ali. Alex era o rei das pegadinhas, mas toda vez que tentava sacanear alguém, ele mesmo acabava sendo sacaneado. Ninguém imaginava que ele iria se viciar no próprio produto e passar dias horríveis daquele que o fizeram ter que ir embora. Um babaca a menos nessa casa, eu não sentia a mínima falta.

- Falar sobre isso me deprime!-a voz grave veio da porta da cozinha. Frank nos olhava parecendo abatido, mas isso não significava que sua língua não continuasse afiada. -Vocês dois deviam ter voltado a uma hora da fronteira. Por acaso então de caso?-riu. Desde que conheci a arma de Logan vim ansiando por ficar com ele mais uma vez.
Eu: Sabe que eu voltei com o Jack. -rebati rapidamente.
Frank: Isso nunca te impediu de sair ficando com vários outros caras e mostrar o corpo.

Filho da puta! O pior é que ele tinha razão. Conheci Jack a dois anos quando ainda estava trabalhando com transporte ilegal e não demorou muito para que começássemos a namorar. Sempre tivemos um relacionamento no mínimo estranho, ele queria que fôssemos um "casal normal" enquanto eu afirmava que preferia uma relação atual e aberta, na qual podíamos ficar com várias pessoas. Por essa razão não durou muito e terminamos antes mesmo que eu saísse daquele negócio de transporte, eu só não esperava que depois de todo aquele tempo fôssemos entrar no mesmo acordo e agora, depois de tantos outros casos que tive e lutarmos contra isso, ele me pegou de jeito novamente com aquela puta lábia.

Eu: Calma aí garoto! -ambos riram. -O que é bonito é pra se mostrar, nós mulheres independentes temos que fazer propaganda dos nossos produtos para os consumidores pelo menos sentirem vontade de comprar. -pisquei.
Frank: O Jack tem razão sobre você falar como uma prostituta às vezes.
Eu: WOW! -ergui as mãos, esbanjando um sorriso. -Olha só quem decidiu mostrar as garras! Foi só uma metáfora e o Jack não devia cuspir no prato em que come. -apontei para o meu corpo deixando Logan sem graça ao meu lado. Será que ele já se arrependia do caminho prazeroso até o Red Club que me deu?
Logan: Incrível como você nunca muda. -comentou e eu sorri sarcasticamente. Esses caras são patéticos, gostam de pegar as mulheres facilmente mas depois ficam chamando as que facilitam pra eles de vadias. Eu ri os acompanhando, a anos isso não chegava nem perto de me ofender mais. A alguns dias tinha sido assim, ríamos para fingir que não estávamos tensos ou descontrair por alguns minutos. Sempre esteve na cara que estávamos ali por uma razão, não por destino (eu não acreditava nele) ou somente pelo dinheiro. No fundo não passávamos de fugitivos dos nossos passados e responsabilidades, de nossas famílias e deveres.
Eu: Não sei quem está querendo chamar de vadia mas, se eu fosse você pensaria na possibilidade de colocar no topo da sua lista a sua querida 'Garota do bar'. -comecei as indiretas esperando-o morder a isca.
Logan: O quê? A Elwin tá namorando? -ele até ficou mais reto ao lado do balcão. -Como você sabe?
Eu: Ouvi ela comentar com a SeuNome sobre estar feliz por causa de um cara que conheceu no Marquee a algum tempo, disse que estava ficando com ele depois que soube que nós dois ficamos. -admiti. Frank comia e tomava cerveja sem nem ligar para o que estávamos agora conversando.
Logan: Você sabe quem é esse cara?
Eu: Ela falou que ele é alcoólatra ou sei lá, mas aparentemente ela não liga porque ele beija muito bem e faz umas coisas com a língua que a deixa...-tentei chegar no limite dele e pelo visto consegui. Era ótimo poder ver sua cara naquele momento, todos sabem que Logan já teve algum envolvimento com a Débora e ainda se gostam.
Logan: Cala essa boca, Piper! Tá bom, já chega! Eu lá quero saber o que outros caras fazem com a língua na boca da Débora?! -Frank riu da onde estava e eu segurei minha vontade de fazer o mesmo.
Eu: Nossa, quanto ciumes hein.
Frank: É obvio que ele está com ciumes!
Logan: Não se mete Frank. -disse sério e o amigo levantou as mãos no ar em defesa silenciosa e com um sorriso sacana. Meu celular vibrou e saí daquele devaneio o resgatando no bolso e tateando o bloqueio para ver uma nova mensagem. "Venha até o lounge ao lado do Marquee, temos alguns assuntos a resolver. Não demore e venha sozinha se não quiser que essa seja a última mensagem que vai receber", ameaçava um número protegido. Era óbvio que era alguém do Mitchell, depois de dias sem responder a "pequena mensagem" de Malik, eles tinham cartas na manga prontos para usar com um otário. Só não fazia ideia do que poderia ser dessa vez. Senti meu estômago se embrulhar e dei uma desculpa razoável para sair daquele ambiente onde Frank e Logan não paravam mais de tagarelar.

Peguei meu carro e me certifiquei primeiro de que ninguém me viu saindo ou estava me seguindo antes de dirigir até o lounge. Não senti medo algum, afinal eu sabia me defender melhor do que muito macho por aí, caso fosse uma emboscada. Cheguei as três horas em ponto depois de ficar um tempo no carro escrevendo uma mensagem para Jack, eu enviaria em último caso, se decidissem fazer algo comigo. O ambiente era lindo assim como quase todos os que frequentávamos em Las Vegas, havia uma música ambiente e tranquila que tocava enquanto as pessoas se divertiam por todo canto.
Ótimo, a pessoa nem sequer me disse alguma cor de sua roupa ou como era, podia ser qualquer um ali. Talvez fosse uma medida de segurança para eles, se tinham descoberto meu número com certeza também sabiam quem eu era e provavelmente queriam vir até mim e não o contrário. Após esse pensamento rápido, rumei até o bar e me sentei um pouco afastada das demais pessoas que bebiam e conversavam no balcão. Fiquei um bom tempo esperando, pedi uma tequila na tentativa de descontrair um pouco sem esquecer de ficar em alerta, é claro. Já estava demorando demais, aquilo não ia prestar, já tinha começado a me arrepender de ter vindo e ter mil pensamentos ruins.
"Venha até mim logo filho da puta, essa demora já está me corroendo", não parava de pensar repetidamente. Passei mais uma das incontáveis vezes os olhos por todo o lugar encontrando um loiro com a barba rala olhando pra mim ao longe seriamente. Eu sempre atraia a atenção de muitos homens, mas, não podia deixar de lado a possibilidade de que podia ser ele.
Esperei um pouco mais no intuito de que viesse até mim e sem demora, foi exatamente o que aconteceu.

- Piper Wright...se divertindo? -o cara ocupou ao banco vago ao meu lado. -Espero que sim. Espero também que não esteja armada ou tramando alguma coisa. -aproximou seu corpo um pouco mais quase sussurrando. -Só para constar, tem cerca de 13 seguranças espalhados por todos lados desse lounge, então não tente nenhuma gracinha.
Eu: O prazer é todo meu, aliás. Eu deveria saber o seu nome ou como conseguiu meu número?
Ele: Francamente essas deviam ser as menores de suas preocupações. -retribuiu meu sorriso. De longe ele já era uma perdição, mas de perto dava para enxergar seus traços quase perfeitamente. Ele era o homem mais lindo que eu já tinha visto. -Mas vamos fazer assim, deixarei que me chame de Dylan já que também sei o seu nome.
Eu: E por isso eu deveria te agradecer, Dylan? -disse dando ênfase em seu nome.
- Vai querer algo? pediu o barman do outro lado.
Dylan: Um whisky com gelo. -rebateu e o ele assentiu.
Eu: Posso saber do que se trata?-olhei em volta discretamente, mas não conseguia distinguir quem eram os seguranças espalhados. Que merda. -Provavelmente eu não tenho muito tempo.
Dylan: Ah, sim. Nem eu. -respondeu. -Vamos então direto ao assunto, ou melhor dizendo, aos negócios. -meu dedo estava discretamente segurando o celular com a mensagem dentro do casaco no meu colo.
Eu: Negócios?
Dylan: Exatamente. Digamos que o sr.Mitchell não gostou nada de ver duas pessoas queridas para ele completamente fodidas e em um estado quase grave por perda de sangue depois da última invasão. Vocês realmente estão brincando com fogo.
Eu: Eu particularmente não fiz nada, sempre que acontecem as invasões eu dou um jeito de sair de fininho, acho que isso é problema do Malik e não meu. Estou lá para vender drogas, apenas. Não quero me meter com briga antiga entre o seu chefe e o Malik.
Dylan: Pois é gata, mas é meio tarde demais para cair fora. -meu coração acelerou. Ele não podia fazer nada comigo, não ali em frente a dezenas de pessoas. -Charlie quer lhe oferecer um acordo.
- Aqui está sua bebida. -o barman nos interrompeu e Dylan pegou o copo de sua mão sem mal olha-lo chacoalhando o gelo e o liquido do copo. É revoltante e envolvente o charme dele, o perigo estampado em seu rosto me chamava atenção. Era algo que me excitava, algo que não havia em Jack e que sempre procurei em alguém.
Eu: Que tipo de acordo?
Dylan: Primeiramente, precisamos que você descubra o plano deles, a segunda parte é mais complicada e deixaremos claro depois.
Eu: Se eu recusasse essa sua oferta, o que me aconteceria?-provoquei, sem conseguir evitar. Ele apenas me olhou na tentativa da intimidação mas só me fazia querê-lo mais. -Se acham muito espertos, você e o seu pessoal. Mas vocês também tem medo da cabeça louca do Malik e o que ele pode fazer, dá pra perceber. -beberiquei minha tequila. -Não sabem com quem estão se metendo, e não estou falando só dele. Subestimar alguém nunca acaba de um jeito bom.
Dylan: Ameaça. Gostei. Viu, só? Estamos nos entendendo. -disse ironicamente e revirei os olhos. -Eu acho que seria uma boa ideia nos conhecermos melhor antes de qualquer coisa, não é? Sinceramente eu gostei de você. Embora esteja daquele lado há uma confusão nos seus olhos. -o olhei melhor encontrando seus olhos. -Eu sei que é esperta o bastante para não querer afundar com a sua tripulação, salvar a sua pele antes dos outros. Para a sua surpresa, eu também posso 'perceber' as coisas. -usou minha frase contra mim e sorri. Esse cara era de fato uma perdição.
Eu: Se quer saber...meu pai era da policia mas...
Dylan: Isso nunca te impediu de fazer coisas ruins. -concordei.
Eu: Na verdade comecei a achar que até gosto. -ele sorriu concordando e começou a falar um pouco sobre a sua família e como provavelmente agora o odiavam. Eu conhecia aquele sentimento. Nos conhecemos um pouco como ele sugeriu, mas Dylan se certificou de não me contar demais, ou informações que eu poderia vir a usar contra ele. Havia um ponto em que eu não estava mais com o celular na mão, havia esquecido a mensagem e todo mundo e o tempo. Sabia o que ele estava fazendo, o jogo que estava me fazendo jogar mas não consegui resistir. Talvez fosse a hora de recuar. -Como eu disse, acho melhor eu ir. Não posso sumir por muito tempo.
Dylan: Bom, eles não confiam em você?-me questionou pedindo mais uma bebida. Voltei a sentar me sentindo uma idiota. -A garota, que a Gena ameaçou no banheiro da boate, ela seria um risco ou uma fraqueza?
Eu: Não que seja da sua conta, mas...ela está mais para uma recente fraqueza do Malik. Embora a subestimem, as vezes ela impressiona. É bom odiar de longe aquela protegida imbecil dele.              
Dylan: Pelo que eu soube só por causa da mera ameaça no banheiro Zayn se irritou pra valer e...mandou o recado de volta rapidinho. -fiquei calada, apenas o observando e tentando imaginar até a onde iria para conseguir o que queria. -Eu estou disposto a me sacrificar "pelo time", de verdade. -sua mão pousou na minha coxa fazendo-me arrepiar. -Se aceitasse. Eu poderia te oferecer até algo amais que o dinheiro e segurança do Mitchell...-apertou minha coxa com discrição. -Algo que só eu posso dar.
Eu: Não sei... -pensei realmente sobre isso pela primeira vez. Eu teria que deixar Jack para trás, logo agora que voltamos, teria que desistir daqueles jovens idiotas mas em compensação estaria do lado vencedor como ele me dissera algumas vezes nos minutos seguintes de conversa. Eu só precisava ficar em cima de Zayn e descobrir seu plano perfeitamente para a contar a eles, depois cumprir as próximas ordens que me dessem. E eu teria esse homem pra mim, mostraria a ele o que sou capaz de fazer em todos os sentidos que um homem pode desejar. Eu mal podia acreditar no que estava acontecendo, estava sem saber ao certo o que pensar ou como raciocinar. Talvez Dylan fosse realmente bom em convencer e por isso ficou encarregado disso mas eu simplesmente não conseguia pensar que aquela proposta não seria significativamente boa pra mim. Qual é, eu não devia nada ao Malik, lealdade alguma para ficar contra esses caras. Nem precisava pensar muito para saber que não se sobrevivia a um banho de sangue de Charlie Mitchell, eu não iria perder a minha cabeça em uma causa perdida. -Pense bem, porém, rápido. Você pode mudar para o lado vencedor, é só fazer a sua parte. -tirou do bolso um numero anotado me entregando. -Se mudar de ideia, ligue. Mas não iremos mais nos encontrar aqui, é muito arriscado, só a chamei para o lugar para que não se assustasse inicialmente.
Eu: Não sou do tipo que se assusta fácil, não se preocupe. -abri um sorriso convencido e ele assentiu, logo saindo dali e me deixando a sós com dúvidas e mais dúvidas. Um lado meu não queria aceitar por alguma razão desconhecida por mim, mas grande parte queria estar a salvo. Eu não queria ser a vilã, mas de acordo com a história de Dylan me contou foi o Zayn que trapaceou com Charlie primeiro e agora estava tomando seu território. Qualquer um ficaria puto e louco para acabar com um filho da puta desse se estivesse em seu lugar. Quanto mais eu pensava sobre isso, mais estava inclinada a mudar de lado e isso me dava raiva, muita raiva. Não queria deixar Jack outra vez, mas queria Dylan pra mim mesmo sem conhece-lo bem. Eu sei, sou uma vadia bem louca.
Malik com toda a certeza do mundo me sufocaria com requintes de crueldade se descobrisse.

Eu: Que merda. Caralho, que porra. -resmunguei pra mim mesma vendo o barman me olhar. -Tá olhando o que idiota? Me vê mais uma tequila aí.

CONTINUA...
Td bem amores?
Eu sei que ficou bem pequeno mas como é narrado pela Piper pela primeira vez, era para ser mais um extra do que um capítulo, mas decidi deixar assim. O primeiro extra vai ser do Zayn com uma nova revelação, aguardem. ;)
  Ask

4 comentários:

  1. Porra! espero que essa vadia não foda tudo. ;o; ansiosa para o próximo

    ResponderExcluir
  2. Ai vc tá de parabéns,vc manda muito bem com isso...
    Por favor continua, eu e varias amigas amamos TUDO.Eu sou APAIXONADA por Badboy of mine ❤❤

    ResponderExcluir
  3. Você explicou tudo direitinho! Estou atualmente numa relação de amor e ódio com essa puta! Um dos melhores capítulos e como diz o comentário acima, espero que ela não foda tudo!
    CONTINUA PLDD QUE TA PERFEITO MARAVILHOSO COM GOSTINHO DE QUERO MAIS!
    xx
    TE AMO SAMMY

    ResponderExcluir
  4. A Piper se acha muito esperta cara mas pode ver homem que já sai falado as coisas
    deixa de ser raparigaaaa piper

    ResponderExcluir