Badboy of' Mine - Capítulo 25

| | |

- Por que nós não fingimos?

Mas é que...você trás a tona o pior de mim -SN (Badboy Of' Mine)

SeuNome P.O.V's

XX: Não, de jeito nenhum. -me joguei em cima da cama da Débora, eu tinha que admitir, adorava o quarto que ela escolheu. Mas não era tão legal assim ter Piper ali.
Débora: Por que não Piper?-jogou outro vestido pra ela. - As vezes você é tão irritante.
Piper: Não tenho culpa se as suas roupas são tão...suas.
Eu: Não há nada de errado com as roupas dela. -girei os olhos. Não havia vestido curto o suficiente para o gosto de Piper. Me levantei rapidamente saindo do quarto deixando as duas a discutir e descendo em direção a cozinha, depois de tantas provas de roupas eu estava com fome. Ou talvez fosse tédio com aquela discussão. Passei pela sala meio decorada, haviam luzes sendo colocadas pelo Jack, os garotos arrumavam os móveis de outras formas dando mais passagem na sala e Danny trazia um balde gigante de gelo para o balcão da cozinha. Eu dei um toque em seu braço e ele riu, mas nem perguntei o que estava fazendo. Já era tempo de terem terminado de arrumar as coisas. Procurei meu chips no balcão e encontrei o pacote vazio, já era de se esperar, ninguém tem o mínimo de decência nessa casa.
Jack: Isso foi pelos meus coelhos de chocolate. -disse quando voltei para a sala segurando o pacote vazio. Eles pareciam atarefados.
Eu: Não dá pra deixar comida nessa cozinha, qual o problema de vocês?!-fingi estar brava.
Logan: Quer dizer qual é a nossa solução né, a comida que ingênuos como você deixam achando que ninguém vai pegar. -eles riram.
Zayn: Ela deve estar de mal humor porque ficou horas naquele quarto com a Débora e a Piper, duas insuportáveis. Pronto amor, agora você já pode olhar para uma coisa bonita.
Eu: Quer dizer você?
Zayn: Obvio!-sorriu de canto e Frank apareceu calmamente na sala como se tivesse acabado de despertar, com o cabelo espertado para todos os lados e apenas de cueca branca. Soltei uma risada mas tampei a boca com a mão, ele mal se tocava.
Frank: Luzes? Vocês vão dar uma festa na mansão e não me falaram?
Zayn: CARA!-reclamou ignorando seu comentário. -Não fica andando de cueca pela casa na frente da minha garota.
Eu: Eu sou sua garota?-interrompi e ele sorriu convencido, mas não respondeu.
Frank: Calma bro!-riu. -Vai fazer o quê agora que tem arma de verdade? Atirar em mim?
Zayn: Estou pensando nisso. -olhou para ele e depois pra mim que estava surpresa. Sabia que havia algo entre nós mas nunca ouvi da boca dele que eu era sua garota. Eu era a garota dele? Provavelmente sim. Com certeza sim. -Deixa de gracinha e sobe para ficar de olho no Alex como eu te pedi, ele não pode sair daquele quarto essa noite.
Frank: Ta, vou subir. -passou por mim. -Tchau gata.
Jack: Porra Zayn, levanta daí e me ajuda!-parecia cansado no topo da escada, e ao mesmo tempo energético o que me fazia pensar se ele estava tomando remédios para ficar acordado. -Daqui a pouco todo mundo chega.

Zayn levantou para ajudar e passei por eles correndo escada a cima e pelo corredor, em seguida adentrei o quarto da Deb. Elas pareciam estar discutindo agora pela maquiagem e também ainda pelo vestido que Piper usaria.

Eu: Vocês hein!-disse ao entrarem. Piper veio me mandar calar a boca. -Por que você não usa uma blusa então?
Piper: Por que você não deixa de ser irônica sua idiota?-respondeu no mesmo tom que eu.
Eu: Com gente como você tem que ser assim.
Piper: Gente como eu?!-arregalou os olhos pra mim largando o vestido preto de Deb. -Você é uma...
Débora: Não briguem, já houve agitação o suficiente nessa casa de tarde com o Peter aqui e depois quando descobrimos que o Alex que estava pegando as drogas e usando escondido.
Piper: Que ridículo, um traficante se drogar. -revirou os olhos.
Eu: Ele só tem dezessete anos! Mal devia...
Débora: Ele tem 17 mas foi treinado para o crime, SeuApelido. Foi um erro grave ter se viciado na mercadoria, se eu fosse o Zayn ia pirar mesmo. -fechou a porta do armário, indo para o closet- Afinal, é ele quem vai ter que falar com o sr.Payne no final do mês.
Piper: Sinto cheiro de mais encrenca. -parecia se divertir. -Pena que vai ser uma conversa particular, daria tudo para poder ouvir.
Débora: Mas não dá, e sabe como o Zayn é, ele nunca vai nos contar os detalhes. Mas a gente sabe que ele vai tomar uma bronca. -sua voz ecoou do closet e ela saiu, fechando o zíper do vestido. Deu uma voltinha e nos olhou como se perguntasse o que achamos, Piper fez uma cara feia.
Eu: Ficou ótimo, você tá linda. -Deb não conseguia ficar feia, o corpo dela ficava bom com qualquer roupa.
Débora: Obrigada. -Piper me olhou como se fosse pela primeira vez hoje notando minha roupa e pareceu levar um susto.
Piper: Você ainda não tá vestida?!
Eu: Claro que estou. -ri como se fosse obvio. -Vou usar isso.
Piper: Claro que não! É uma festa gigante com as pessoas mais tops de Vegas, você não aprende não é?
Débora: Odeio dizer isso, mas ela tem razão. -me fitou- Sua vez SeuNome, vai se vestir, e Piper veste logo essa merda e para de reclamar, é o que eu tenho. Não sou muito de vestidos então não tem mais curto. -Piper nos encarou e eu assenti o comentário da Deb com o máximo de sarcasmo que consegui.
Piper: Vocês duas são insuportáveis, nem sei porque aceitei pisar nesse lugar. Eu preferia me vestir no quarto do Jack do que aqui!-se levantou e saiu do quarto de Deb batendo a porta e sem levar a roupa.
Eu: Tenho certeza que sim. -respondi ao ultimo comentário dela -Com certeza se vestir na frente de um cara é melhor. -Débora riu e voltamos a nos preparar.

               Não era nem meia-noite quando uma batida estrondosa começou a sacudir de leve as paredes, eu e Deb dançamos um pouco no closet dela quando começamos a ouvir de lá, eu olhava suas roupas enquanto ela terminava de se maquiar. Enquanto passava a mão pelas roupas novas enfileiradas nos cabide ouvi um barulho automático e um compartimento escondido surgiu fazendo meus olhos crescerem. Puta merda. Percebi o que tinha dentro e mesmo depois de tudo que vi desde que cheguei em Vegas acabei me surpreendendo. Débora virou para mim com um sorriso.

Débora: Estou vendo que você achou as minhas armas.
Eu: Uau. -olhei sem tocar. -Ótimo lugar para guardar.
Débora: Você não faz ideia.

                 [...]  Fiquei mais um tempo no quarto mesmo depois que Débora saiu, eu não sabia ao certo se queria descer porque não estava em clima de festa, ficar ali parecia um tanto melhor do que entrar na "melhor festa de Las Vegas" de que tanto falaram durante a tarde. Eu já até previa que ia acabar me embebedando e não vendendo droga nenhuma até o final. Quando terminava de ajeitar os vestidos que não foram escolhidos num canto da cama, a porta se abriu numa batida e um casal ofegante me encarou me surpreendendo.

Eu: Er...-os dois se soltaram.
Ela: Podemos usar esse quarto?-eles querem se pegar, gritava minha mente.
Eu: Ah, é claro. -olhei para o closet que estava trancado e saí dali passando por eles que fecharam a porta na minha cara já voltando a se agarrar. Mas já? Pelo que eu sei a música começou a mais ou menos uma hora. Agora eu estava ali no corredor, na qual estava lotado de pessoas conversando com copos vermelhos nas mãos, outras riam, outras beijavam, e outras faziam até mais que isso. A música do lado de fora dos quartos era muito mais alta e quase sem letra. Eu sorri para umas pessoas em resposta aos olhares na minha direção até chegar na escadaria e do topo dela eu podia ver o primeiro andar por inteiro. Parecia um formigueiro, era impossível ver os pés das pessoas que dançavam por causa da fumaça de gelo seco, também parecia haver outras decorações por ali, assim como luzes prateadas no teto dando a impressão de um globo espelhado, eu me perguntava onde tinham arranjado tudo aquilo em pouco tempo. Os garotos realmente se superaram. Desci tentando localizar alguém conhecido mas era quase impossível em meio a tantas cabeças, só via diante de mim peles brilhando de suor enquanto alguns corpos sacudiam pela sala enorme da mansão, energia e vitalidade transbordava delas.
Se meu pai me visse em uma festa dessas me mataria, pensei. Pai. Aquele telefonema voltou a minha mente, eu não queria pensar nisso mas não podia evitar. No fundo eu estava com um pouco de medo que ele descobrisse que eu estou em Las Vegas e não em Los Angeles como falei. Meu medo era dele vir atrás de mim.
 Sacudi a cabeça chegando no balcão da cozinha com um sorriso no rosto, acho que ver tanta gente animada me deixou também. Aliás, eu já estava vestida mesmo com algo "legal" já que a Deb e a Piper quase me obrigaram. Um garoto de sorriso brilhante pegou um copo e passou por mim piscando. Meus olhos foram para o balcão que estava lotado de garrafas de vodca, copos e um balde enorme de gelo. Ao lado a prateleira da cozinha estava lotada de bebidas de cores e nomes diferentes, muitas delas estavam até em outra língua. As cores eram perigosamente atraentes e as pessoas que circulavam por ali se serviam pegando de qualquer jeito as garrafas e até misturando vários licores. Eu me servi de uísque e comecei a conversar com umas garotas ali que me chamaram, logo já estávamos rindo da maneira como um garoto dançava quase tirando toda a roupa e eu já tinha dois copos. Me despedi delas assim que uma delas subiu na mesa da sala de jantar com um garoto de dreads e ficaram se esfregando na batida da música, realmente engraçado. Era bom se divertir dessa maneira mas minha cabeça começou a queimar de imaginar onde Zayn poderia estar.
XX: Olá bonitinha.
Eu: Hum, bonitinha? Achei que eu fosse maravilhosa. -brinquei já sentindo o efeito da bebida doce no meu sangue.
XX: Não sei o que você está bebendo, mas eu também quero!-riu. -Escuta, meu amigo disse que nessa festa ia rolar tabletes de êxtase, com quem eu tenho que conversar para conseguir hein?-aproximou sua boca do meu ouvido, eu soltei uma risada. Eu tinha cara de traficante por acaso? Claro que não.
Eu: Olha, não é comigo que você tem que falar. Procura por um tal de Zayn ou Jack. Eles provavelmente estão vendendo maconha.
XX: Por quê você não me ajuda a acha-los, gata?-forcei um sorriso e tentei passar para a sala de jantar onde a batida bombava mais forte, aquilo era de deixar qualquer um louco. Desconfiava onde Jack podia estar e lá ele estava mesmo. Quase que ao lado da escada para o porão, onde guardavam o estoque. O cara alto me seguia e parecia louco para se drogar. Até hoje não entendia como podiam jogar a vida fora desse jeito por alguns tabletes de êxtase ou saquinhos de pó.
Eu: Hey Jack.
Jack: Fala SeuNome. -levantou as sobrancelhas. Ele conversava descontraidamente com várias pessoas, ao lado dele duas garotas começaram a se beijar depois de puxarem uma carreira cada uma em cima da mesa. Uau.
Eu: Esse garanhão aqui quer mercadoria.
Jack: Veio falar com o cara certo, do quê você precisa?-deixei de ouvir a conversa para olhar através da porta de vidro adiante a multidão festejando que se estendia atrás da mansão em volta da piscina. Era difícil ver de longe, mas alguns feixes de luz escapavam entre os corpos em movimento. Imaginei como devia estar ainda mais divertido lá fora.Eu realmente não fazia ideia da onde tinha vindo tanta gente, parecia que os jovens de Las Vegas inteira tinham vindo para a mansão. O cara comprou muito êxtase com o Jack que murmurou para que eu o cobrasse depois, ele parecia adorar que as pessoas fosse usando e aumentando sua conta. Eu sentei e neguei quando me ofereceram a droga, conversei numa boa com o cara e consegui até lhe fazer uma proposta de levar mais alguns pacotes e pagar em dobro. Ele havia sumido e Zack contava o bolo de dinheiro discretamente antes de colocar no bolso.
Jack: SeuNome, se você não casar com o Zayn pode casar comigo, que negócio foi esse que você fez?!-parecia maravilhado. -Você nasceu pra vender drogas. -essa frase gelou meu corpo assim como o álcool fazia. Não era algo legal de se ouvir, mas para ele parecia ser um elogio, então sorri incapaz de responder. Definitivamente não.
Eu: Eu vou lá pra fora, vai continuar aí?
Jack: Vou, estamos ganhando dinheiro que nem água. Essa gente tá muito doida, a Piper tinha razão e essa é a melhor festa. -ri. -UHUL GATA. -berrou e eu tomei distancia passando pelo sofá e quase tropeçando em alguns pés, me fazendo segurar no cabelo de uma moça que estava em em uma sessão de amassos com um cara ali. Pedi desculpas e saí rapidamente para o ar livre onde o ar circulava muito melhor mesmo com as centenas de pessoas em volta e dentro da piscina. Tinham boias e bolas coloridas flutuando na água junto com as pessoas, e luzes roxas ligadas de baixo d' água presas no fundo da piscina. Em volta havia mais fumaça como lá dentro. Me afastei da borda da piscina já que vários corpos se esbarravam e empurravam uns aos outros com gritos de histeria e risadas, era impossível ficar triste em um ambiente tão excitante. Era isso! Era tudo muito excitante, eu não sabia que a vida podia ser assim.
Meu sorriso se desfez quando vi Piper subir a escadinha da piscina a alguns passos de mim vestindo um biquíni dourado em seu corpo esbelto todo molhado como uma atriz de cinema, chacoalhando os cabelos de modo como os caras por ali ficassem boquiabertos. Está aí, ela achou algo mais curto que uma blusa para vestir, eu estava feliz por ela. Assim que me viu, Piper virou a cabeça indo sentar nas cadeiras ali em volta no colo de um musculoso, eu dei de ombros ouvindo alguém chamar meu nome. Olhei em volta e me jogaram água nas pernas.
XX: SeuNome!-ri ao ver o Danny nadando de fio dental e uma blusa escrita "Ninguém é feio depois das 2 da manhã" e comecei a rir.
Eu: PARA DE JOGAR ÁGUA MERDA.
Danny: Vem cá, entra SeuApelido!
Eu: Eu estou de roupa e não quero entrar.
Danny: Duas desculpas merreca. -me jogou mais água e eu me afastei segurando meu copo. -Se você não entrar eu vou te molhar.
Eu: Estou tentando te contar uma coisa!-quase gritei por causa do barulho em volta. Ele se aproximou da beira da piscina e eu também. - Eu fiz meu primeiro negócio com um...-antes que eu pudesse terminar seu braço me puxou fortemente para dentro da piscina. Ele apertou minha cabeça dentro d' água e quando consegui me livrar de seus braços me afastei para respirar, e nem sinal do copo que eu segurava. -PORRA!-bati as mãos em cima d' água causando pressão.
Danny: Era brincadeira!-ria. -Não fica estressada, se diverte cara!
Eu: Eu bebi porra, não dá pra ficar na piscina, você ainda tenta me afogar seu imbecil?! Ainda molhou minha roupa toda!-Danny só ria da minha cara, e por mais que eu quisesse rir da minha ingenuidade de me aproximar não conseguia. Joguei uma daquelas boias no Danny e ele caiu para trás. -BEM FEITO FILHO DA PUTA!-gargalhei e saí pela escadinha, só que ao contrário do jeito "super modelo" da Piper, eu tremia de frio com a minha camiseta branca nova colando na minha pele e nos meus cabelos. O pior era que meu sutiã era escuro. Ignorei os assobios e comentários rudes dos caras ali e segui para dentro em busca do banheiro. Assim que abri a porta do banheiro mais perto da sala, uma garota quicava no colo de um homem sentado em cima da tampa da privada, eles não pararam de gemer quando eu os vi e saí dali na mesma hora. Bizarro. Minha cara devia ser de espanto, não sei como alguém pode vir para a casa dos outros e transar assim em qualquer lugar sem trancar a porta. Fui tentando abrir as portas mas nenhuma cedia, não era possível que a mansão cheia de quartos não tivesse um sequer livre. Me direcionei para a cozinha mesmo, onde agora na mesa haviam vários shots de uma bebida verde limão, uns jovens viravam aquilo sem parar e riam uns dos outros quase sendo empurrados pela multidão. Passei por eles e peguei um pano na gaveta ao lado da pia, na qual uma garota vomitava sem parar. Senti vontade de empurra-la por estar entupindo a pia da cozinha dos outros mas a pena que sentia do estado em que ela estava foi mais forte. Torci o nariz imaginando quem iria limpar a mansão no dia seguinte, eu que não seria.
Passei o pano na minha blusa e peguei um shot do encaixe, virando tudo de uma vez. Aquilo esquentou a minha língua queimando até chegar a garganta. Em seguida passei por garotos provavelmente da minha idade que se divertiam com um funil de cerveja enquanto outros gritavam "Vira" em coro. Balancei a cabeça com uma risada pelo nariz. De certa forma não conseguia ficar brava por Danny ter me empurrado na piscina, só sentia raiva de estar molhada e com os cabelos pingando. Pelo menos dentro de casa não sentia frio, pelo contrário, o clima era caloroso em todos os sentidos. Um cara me chamou para dançar e recusei, deixei a vontade de conversar com alguém de lado e fui para porão. Lá eu tinha certeza de que havia um banheiro e não tinha ninguém, e estava certa.
Ou não tão certa.

Eu: Ah n...-dei um passo para voltar para trás ao ver Zayn sentado em cima de vários sacos de maconha empilhados. Cena engraçada.
Zayn: SeuNome?-disse surpreso passando o cigarro de uma mão para outra e soltou a fumaça em três baforadas compassadas. -Não tá aproveitando a festa?-passei por ele abrindo a porta de madeira do pequeno banheiro ali. Eu só tinha ido uma vez ao porão, por isso sabia do banheiro. 
Eu: Na verdade, não muito. -sorri. -Me diz que você não está fumando maconha...
Zayn: Não, claro que não. -riu. -É o meu cigarro normal, quer ver a carteira?-disse tirando do bolso da camisa mas eu balancei a cabeça.
Eu: Não precisa, eu acredito em você. -liguei a luz do banheiro que ficava de frente para onde Zayn estava encostado, peguei várias toalhas de papel e comecei a passar na minha blusa. 
Zayn: Eu não acho que isso vá resolver. 
Eu: Eu sei porra!-joguei as toalhas fora, não tinha jeito. Comecei a balançar a blusa desgrudando-a da minha barriga, de um lado para outro tentando seca-la. Mal percebi que Zayn encarava meu corpo descaradamente enquanto tragava o cigarro. -E você? Achei que ia estar lá em cima se divertindo ou ajudando Jack com as drogas.
Zayn: Eu não estava muito afim de festa. -deu de ombros apagando o cigarro e vindo até a porta do banheiro. Dei um sorriso fraco lhe encarando. -Você sabe, eu sou muito na minha as vezes.
Eu: Eu sei. 
Zayn: Os outros devem estar achando que nós estamos lá em cima nos divertindo. -balançou a cabeça fitando o chão por um segundo.
Eu: Por que nós não fingimos que estamos?
Zayn: Uhum, ótima ideia. -pigarreou após soltar fumaça pelo nariz. -Por que você está toda molhada?-pediu assim que me viu estremecer. Ali no porão havia uma corrente de ar que deixava o ambiente o oposto do resto da casa. Sua mão quente segurou mais forte a minha. 
Eu: Ah, foi o Danny que me empurrou para dentro da piscina pra me dar um susto e eu bebi um pouco. -ri sentindo minha cabeça doer. -Ele é muito babaca. 
Zayn: "Babaca"? Qual é. -revirou os olhos. -Não acredito que esse imbecil fez isso, se você quiser eu...
Eu: Esquece! Eu nem fiquei brava com ele, foi só brincadeira, nada demais. 
Zayn: Nada demais? Você bebeu e podia ter se afogado, vou bater nesse desgraçado...-segurei seu punho que tinha se fechado. -Piscina e álcool não combinam merda. 
Eu: Deixa de ser idiota, você não consegue ficar na paz com ninguém?! Já falei que não foi nada!
Zayn: Você tá mesmo protegendo o Danny?-revirei os olhos, estava todo mundo muito bêbado e Zayn não podia ser mais idiota. 
Eu: Não, você que está sendo um imbecil. -disse com a voz afiada. 
Zayn: Esquece!-balançou a cabeça. -Sou MUITO idiota, você tem toda razão. É que...você tá toda linda assim molhada e eu fiquei com um pouco de...
Eu: Ciumes. -completei. - Eu acho sinceramente que deve ser muito difícil pra você estar em um relacionamento. -provoquei.
Zayn: Eu? Eu que não sei me relacionar com alguém? Você tem tanto problema que continua usando o anel de um cara morto, olha pra si mesma. O David morreu. -disse devagar a última frase.
Eu: Se eu estou usando é porque eu quero, entendeu?!-ele riu com aquela ironia que eu ouvia em mim. -O problemático aqui é VOCÊ!-quem ele pensava que era para me chamar assim?
Zayn: Eu só sei que se eu fosse traído e sido apostado em um jogo, não continuaria usando a não ser que ainda o amasse, você ama o David e nunca esqueceu ele, essa é a verdade. Porque ele é a parte boa e perfeita dos Malik, e você finge que sente o mesmo por mim mas isso é porque você não tem escolhas. -rebateu habilidosamente. -Algo dentro de você não te deixa gostar de mim completamente. Ainda tem um bloqueio aí, não? -pediu, e depois disso, o silencio. Tentei dizer algo, mas nenhum som emitiu dos meus lábios tão próximos dos seus.
Eu: Você não sabe o que está falando. -senti meu rosto arder de raiva, eu não ia chorar na sua frente, então o empurrei com força para poder passar. Ele tentava segurar os meus braços para me parar mas não conseguiu.
Zayn: Eu sei muito bem, você ouviu que eu era problema mas não pôde resistir, não é?
não precisa continuar a dizer que...-arranquei o anel do dedo e joguei no lixo do banheiro. Aquilo doía como um inferno mas eu não podia acreditar que ele pensava essas coisas de mim. -Agora sim eu me sinto especial! -ironizou provavelmente sob o efeito da nicotina.
Eu: NÃO HÁ NADA DE PERFEITO NO DAVID! EU ME APAIXONEI ACHANDO QUE ELE ERA A PESSOA CERTA, EU ESTAVA EM BUSCA DA PERFEIÇÃO MAS ELA NÃO EXISTE. -gritei- E quer saber Zayn Malik? Eu NÃO quero que exista, a perfeição é entediante, é miserável! Você diz que eu não tenho escolha? EU escolhi estar aqui e você sabe, eu poderia ter voltado para casa, para minha vida entediante. Naquela noite no seu apartamento, eu só sabia que não tinha dinheiro, medo e nada a perder. Mas eu queria ser alguém diferente do que eu era, eu escolhi por SUA causa, porque eu queria te dar uma chance! Eu sabia que você no fundo, no fundo, talvez merecesse. -soquei seu peito. -AGORA EU SEI BABACA, VOCÊ NÃO MERECE! VOCÊ NÃO MERECE POR NÃO SABER QUE O QUE EU SINTO É VERDADE. -minhas mãos latejavam e tremiam de tantos socos que eu havia lhe dado, eu queria chorar e socar sua cara com toda a raiva que estava sentindo.
Zayn: SEUNOME!
Eu: CALA A BOCA, SAI DA MINHA FRENTE!-berrei esperando que alguém aparecesse mas seria impossível de ouvir.
Zayn: EU NÃO VOU SAIR PORRA ME OUVE. -apertou meu corpo com força.
Eu: Você tá me assustando! -As mãos de Zayn soltaram meus braços e ele limpou a garganta, parecendo fraco.
Zayn: Eu preciso de você ao meu lado. -engoliu em seco- Talvez você não entenda isso mas desde que você chegou as coisas mudaram e parecem estar fazendo sentido. Tudo está bagunçado mas com você faz sentido, é estranho, eu sei, mas é a verdade e ela é louca pra mim. Eu não consigo se você não estiver aqui. -olhei para baixo. -Apostar por você foi a melhor coisa que eu já fiz, foi um acerto em meio a tantos erros e quando você quis continuar em Las Vegas eu estava explodindo de felicidade e ao mesmo tempo nervoso por saber que talvez você pudesse tomar um tiro nessas perseguições, eu...-se atrapalhou-Você está aqui todo o tempo mas eu sinto a sua falta como se não estivesse e agora nós estamos brigando no meio de quilos de maconha e é tudo muito bizarro. -disparou e eu ri me sentindo muito idiota. -Agora eu acabei falando um monte de merda que eu não queria puta que pariu, eu...
Eu: Não diz mais nada.
Zayn: Não quero que seja assim, SeuNome...

Suspirei pesadamente e seu olhar se nivelou ao meu, estávamos em silencio com milhares de pensamentos e falta de coragem para dizer. Muitas palavras desnecessárias já tinham escapado, mas talvez não tanto. Coloquei a mão no peito de Zayn para afasta-lo da minha passagem e ele se aproximou ainda mais colocando sua boca próxima ao meu pescoço, eu podia sentir sua barba rala ali enquanto ele roçava o nariz na região como se não me visse a anos e precisassem guardar meu cheiro na memória. O filho da puta não fazia ideia do quanto eu o odiava por me deixar excitada com sua aproximação.

Eu: Eu também sinto sua falta o tempo inteiro. -sussurrei e ouvi como resposta sua risada rouca me arrepiando ainda mais. Não contive a vontade de envolve-lo em um abraço, minha barriga molhada me fez tremer em contato com sua pele quente e ao notar, ele tirou a minha blusa calmamente e depois a dele, quando foi vestir a sua em mim eu abaixei sua mão atacando seus lábios. Eu precisava deles, e não falando merda pra mim, eu precisava deles em ação. Os braços tatuados de Zayn me envolveram com vontade e um deles puxou minhas pernas para seu quadril me fazendo gemer em resposta. Meu coração estava a mil com tantas coisas ruins na cabeça, mas havia um pensamento bom, eu estava nos braços de Zayn me sentindo amada por ele. Sua boca tomava posse da minha garganta a minha boca, ouvi sua voz ao meu ouvido dizer com clareza "Eu aprecio essa sua vontade reprimida de mim, até gosto, mas as vezes não consigo aguentar a minha." E me levantou levando-nos com desespero até a pilha de sacos me sentando ali, minha pele ainda estava úmida e fria e sua boca quente me causava arrepios. Tiros de sentimentos percorrem meu corpo como uma droga viciante enquanto obedecíamos cada vontade dos corpos, minhas pernas enroladas na cintura de Zayn o traziam cada vez mais forte e bruto para mim, eu não aguentava mais aquelas suas malditas roupas. Ele beijou minha barriga subindo pelo meu peito no sutiã preto e molhado, e chegando novamente na minha boca enquanto minhas unhas percorriam todo o comprimento das suas costas e ombros, seu quadril se mexia brutalmente insinuando o que queria.
Um barulho fez meu coração desacelerar por um instante, Zayn me soltou e vimos Jack entrando e cambaleando no porão. Eu bufei e assoprei uma mexa de cabelo que voava sobre a minha testa.

Zayn: CACETE JACK, TEM GENTE USANDO O PORÃO!-jogou nele um saco de maconha e o idiota caiu na gargalhada.
Jack: Assim como os quartos da mansão toda. -ria. -Só vim pegar mais maconha porque vendemos tudo, lá em cima todo mundo tá muito louco!-eu e Zayn nos entreolhamos segurando uma risada, ele me puxou pela cintura colocando-me no chão e eu me escondi atrás de suas costas já que estava só de sutiã e calça. -Que belo peitoral Malik, você tá malhando dude?
Zayn: SOME!-riu e Jack se tocou que devia sair. Suspirei ao conseguir controlar minha respiração. Zayn suspirou e me deu novamente sua blusa, dessa vez eu a peguei sem fazer nada que meus hormônios mandassem. -Esquece tudo que eu falei, por favor. -sussurrou perto de mim, seu hálito era de menta do cigarro roçando agora a minha boca. -Por favor.
Eu: Não vai ser fácil mas vou tentar. -sussurrei sinceramente, ele me beijou com toda calmaria do mundo, eu puxei sua nuca para intensificar. O soltei me afastando depois de lhe dar um selinho e Zayn riu como se nós não tivéssemos discutido a pouco tempo.
Zayn: Consegui te esquentar um pouco?
Eu: E como!-ri.

Ele me encarou e abaixou a cabeça iniciando seu famoso sorriso com a língua entre os dentes que eu amava. Quando levantou o rosto para me olhar lhe dei um soco de leve no rosto e passei por ele, ajeitando sua blusa comprida nos meus ombros.

Zayn: Não...não saí. -eu não queria continuar ali, naquele lugar que cheirava a erva e apenas era iluminado pela luz acesa do banheiro que deixei.
Eu: Repete. -ele veio até mim e me acompanhou para fora do porão sem me pedir para ficar novamente. A festa bombava. Havia alguém falando sobre reclamação dos vizinhos mas todos estavam muito entregues a insanidade para ouvir. Eu estava. Era como se em meio aquela barulheira da batida que vinham das caixas de som eu pudesse ouvir a rouquidão da voz de Zayn como um zumbido em meus ouvidos. Isso me fez olhar para ele atrás de mim, que agora parecia perdido em pensamos encarando um ponto da sala. Quando percebeu que eu o encarava, olhou pra mim.

Ouvi a voz alta de Débora na multidão e ela se aproximou parecendo bêbada, nos guiou até uma mesa onde era ocupada por rostos conhecidos em meio a folia com rostos sorridentes de tanto falar e beber. Estavam todos ali, as pessoas surpreendentemente mais legais que eu conhecia em Las Vegas. Jack, o idiota com cara de depressivo mas que comia coelhos de chocolate, a Piper, uma encrenqueira muito esperta, Logan, um certinho que estava se revelando e a Deb, uma princesa que não era tão fofinha e sim safada e inteligente. Literalmente a vida as vezes sabe o que faz. Soube disso depois que virei um shot amargo e Zayn segurou a minha mão.

CONTINUA...
GENTE NÃO ME MATEM
Não teve o hot inteiro nesse capítulo porque eu estou guardando para um dos próximos (surpresa), já que no 21 teve e nesse eu só queria que eles se pegassem mesmo, então não fiquem bravas que já vem. Agradeço a Debs que me deixou postar pelo pc dela (te amo cabrita que atira bombom pelas tetas :)
~le voz do rouca do harry~ Ahm...er...eu amo vocês.

10 comentários:

  1. Aguardando ansiosamente esse hot u.u Adorei esse capítulo! Continua! <3

    ResponderExcluir
  2. AMEIIII ESSE CAPITULO LIZZY!! Ta muito perfeita essa fic, eu adoro ela, continua logo!
    XxMinxX

    ResponderExcluir
  3. Se existe alguém mais perfeita q vc eu num conheço haha
    Eu queria saber da fic Hunicane se irá postar o final
    Bjo cat

    ResponderExcluir
  4. EU TO MORTA, OKAY? OKAY. MEU ESPIRITO VEIO AVISAR PRA VOCÊ CONTINUAR ESSA FIC, menina tu é perfeita, viu? eu nunca amei tanto uma fic como eu amo essa <3 como vou poder te agradecer de ter entrado nessa pagina e visto essa fic? não dá. I LOVE THIS FANFIC <3 eu respiro essa fanfic, valeu! continue gata, bj

    ResponderExcluir
  5. Cabrita que atira bombom pelas tetas ♥♥♥♥♥

    ResponderExcluir
  6. Que capitulo sem or meu coraçãozinho não AGUENTA quero mais pegação por favpr

    ResponderExcluir
  7. Badboy Of' Mine como filme EU APOIO

    ResponderExcluir
  8. Eu amei esse capitúlo, como escritora tu tem futuro hein<3

    ResponderExcluir