Badboy of' Mine - Capítulo 24

| | |

- E nós achamos o maldito viciado

Perceba, eu não quero ser salva. É um mundo confuso.  E o que você ganha? Sexo, amor e armas, acenda um cigarro - F'd Up World

SeuNome P.O.V's

Agora eu sabia mais sobre os corredores de Las Vegas. As vezes eles perdiam a cabeça. Eu achei seriamente que ele fosse enlouquecer ali no meio das pessoas sendo que a maioria já estava indo embora, o Jack foi receber a grana que apostaram por Zayn já que ele estava dando piti ao meu lado por causa do carro que segundo ele o Cherman roubou e fugiu para se vingar de não ter ganhado o racha. Então lembrei do demente gritando "Isso não acabou" a alguns minutos, isso realmente podia ser verdade.

Eu: Droga, se acalma!-falei mesmo sabendo que mandar um alguém nervoso se acalmar piorava, mas não sabia o que fazer.
Piper: Deixa o garotão se espernear a vontade, vocês não deviam ter mexido com os Bulls, todo mundo sabe que eles mandam aqui. -ela cruzou os braços convicta.
Jack: Fica quieta Piper, não está ajudando. -murmurou- Pelo que eu vi a SeuNome deu um belo soco no Cherman, mas ele deve ter levado o carro porque nós ganhamos. E sabe como é aquele cara, ele não conhece a derrota.
Piper: Então foi a SeuNome que machucou o nariz dele? Porra garota, qual é o seu problema?-arregalou os olhos pra mim.
Zayn: Para de defender esse marginal cacete, bem que ela fez de se defender!-disse após respirar fundo tentando se controlar. -Aquele desgraçado acha que pode tocar em todas as garotas, mas ele não pode. Esse filho da puta me paga. Ele me paga.
Frank: Zayn meu filho, tu foi muito burro de deixar a chave na ignição né?
Zayn: Eu saí rápido atrás de vocês, achei que um alguém estava com o carro! Frank, eu te vi por lá, você devia estar cuidando do carro como das outras vezes merda.
Frank: Eu estava conversando com umas gatas, mano.
Zayn: COMEÇA A PENSAR COM A CABEÇA DE CIMA UM POUCO, ROUBARAM O MEU CARRO!-atacou ele mas o segurei pelo braço tentando acalmar Zayn.
Eu: Porra, se acalma!-o encarei. -A gente vai dar um jeito.
Zayn: Logan. -seus olhos encontraram ele, que ainda segurava a garrafa. -Vamos no seu carro.
Logan: No meu carro? Pra onde?-acompanhou Zayn que segurou a minha mão e começou a andar.
XXX: POLICIA GALERA!-alguém berrou e em uma fração de segundos as poucas pessoas ali que não tinham ido embora começaram a correr em disparada para dentro de seus carros. Eu imaginei que alguém ligou para a polícia por causa do acidente no racha. Piper, Jack e Frank saíram correndo na frente a procura do carro de Logan, Zayn andou rápido me puxando para sairmos dali o mais rápido possível. Rapidamente o vi tirar do bolso e acender um cigarro parecendo muito nervoso, isso fez eu me tocar de que não o via fazer isso a muito tempo.
Eu: Achei que tinha parado de fumar. -me olhou fixamente enquanto Logan ligava o carro.
Zayn: Acho que eu tinha.
Eu: Por quê?
Zayn: Prometi que quando encontrasse a garota certa ia tentar parar.
Eu: É?-ri. -Quem? Eu?
Zayn: Quem mais?-me encarou e Frank o puxou para entrar no banco da frente.
Frank: Vamos, temos que sair daqui rápido. -olhou para trás, os carros saíam queimando dali e desaparecendo no deserto.
Zayn: Deixa que eu dirijo, sei onde Cherman está. -me acomodei no banco do carona, Logan, Piper, Frank e Jack se espremiam no banco de trás resmungando de vez em quando. Zayn dirigiu rápido saindo dali junto com os outros, porém, tomando uma rua de terra diferente.
Piper: Porra, por que a SeuNome tem que ir na frente e eu vou ficar apertada aqui com esses marmanjos?
Zayn: Cala a boca Piper, me deixa pensar.
Jack: Qual é querida, você já está acostumada a se apertar com vários caras. -riu e eu apenas ouvi um barulho de tapa que me fez olhar para trás. Jack esfregava o rosto vermelho e Piper estava meio furiosa.
Frank: Não tem aquele lugar onde os Bulls vão comemorar as vitórias depois de todo racha? Como é mesmo...
Zayn: O Todd's, exatamente pra lá que estamos indo. -Logan riu.
Logan: Você não está pensando em...
Zayn: Eu vou recuperar o meu carro por bem ou por mal. -ele sorriu sarcasticamente pelo retrovisor. -Mas eu prefiro que seja por mal.

Incrível como seu nervosismo tinha se transformado em ironia em pouco tempo, como se ele tivesse pensado em uma solução rapidamente. Eu não sabia ao certo o que esperar com isso, mas meu coração voltava a bater mais rápido só de imaginar as coisas que se passavam na cabeça de Zayn. Nós não precisávamos de mais confusão, a noite tinha sido bem louca eu só queria voltar pra casa naquele momento, mas estava na cara que estávamos bem longe disso. No carro eu apenas ouvia algumas conversas paralelas no banco de trás, olhei para Zayn e sua mão tremia no volante, exatamente como no dia do assalto no banco em que ele me salvou fingindo ser um bandido. Pela janela eu não podia ver luz alguma por boa parte do caminho, éramos o único carro na estradinha, até que chegamos em um bar de beira de estrada com uns cinco carros estacionados do lado de fora. O lugar estava caindo aos pedaços, era pequeno e parecia o oposto de todas as coisas maravilhosas de Vegas. Aquela era a parte que não aparecia na tv, a parte que só os vagabundos viam e que provavelmente não era bom para uma garota estar. Uma placa no topo do bar estava piscando fraco quase desligando o nome Todd's.

Zayn: Eba, os carros deles estão aí. -disse enquanto manobrava e parava o carro de Logan. -E o melhor, o meu carro está ai. -olhava para o lado, o carro de Zayn estava mesmo ali parado ao lado do deles que vi no racha.
Frank: Vou com você, só pra dar cobertura.
Zayn: Ok, Logan, você passa pra frente. -desceu do carro fechando a porta e conversando pela janela aberta. -E se aparecer alguém, buzine.
Logan: Tá, afirmativo capitão. -riu meio bêbado e pulou para o banco da frente.
Eu: Não, espera! Eu vou com você.
Zayn: Não seja ridícula, é claro que não. Fica aí e abaixada. -neguei e saí do carro.
Eu: Eu vou!-Zayn veio até mim irritado.
Zayn: Não vai não!-me encarou- Não vai querer que eu peça para o Frank segurar você não é?
Eu: Para de me tratar como criança, eu vou ajudar você. -andei na frente dele antes que abrisse a boca novamente para me contrariar, ajeitei o cabelo e adentrei o bar com uma luz amarela e vagabunda. Havia um balcão comprido e velho de madeira onde haviam uns cinco homens conversando e bebendo, um quadro de montanhas no canto da parede e outras mesas. Ali estava pouco abitado e os poucos clientes pareciam desanimados, a não ser, por um grupo de jaquetas que jogava sinuca e bebia completamente entusiasmados como se tivessem ganhado um jogo importante.
XXX: Olha só, se não é a encrenca. -um dos caras me mediu surpreso. Ouvi passos atrás de mim, Zayn. Ele se aproximou calmamente como uma puma.
Zayn: Se divertindo caras? É bom beber depois de um racha, eu acho! -deu de ombros. -Isso quando você vence é claro, o que no seu caso não aconteceu nem usando nitro no seu carrinho merreca.
Cherman: Que merda você tá fazendo aqui Malik?
Zayn: Só uma visita cara, baixa a bola. -disse totalmente calmo, os outros não paravam de jogar.
XX: Ele trouxe a garotinha para terminar de abrir seu nariz, mano. -outro cara riu e eu o encarei.
Zayn: Ela está aprendendo bem, vocês sabem. -rodeou a mesa. -Acho que vou pedir uma bebida, seguir vocês até aqui me deu sede, que tal SeuNome?-olhou pra mim. -Uma bebidinha ia bem.
Cherman: Esse é nosso bar, você não é bem vindo.
Zayn: Ainda bem, essa merda está caindo aos pedaços. -empurrou uma das bolas na mesa estragando o jogo. Os caras largaram os tacos o encarando como Pit Bulls.
XX: Não encosta aí, para de foder o jogo. -Zayn fez de novo em provocação, só que dessa vez virou a mesa inteira em um movimento.
Cherman: Seu filho da puta...-partiu pra cima de Zayn o pegando pela blusa e batendo as costas dele na parede do bar. Eu fui até eles com um grito para pararem mas Zayn estava rindo. Rindo? Ele estava brincando com o perigo. -Desgraçado eu vou te matar, vou arrebentar você.
Zayn: Ah meu querido, você costumava ser mais engraçado mas tudo bem, eu estou rindo. -Cheman bateu Zayn novamente com força na parede e eu gritei sendo empurrada por uma das mãos de Cherman para outro dos caras dele que me segurou. As pessoas em volta simplesmente olhavam sem fazer nada como se soubessem que se se metessem achariam a deles também. Me debati para me afastar daquele grosseiro que me segurava,  Cheman batia em Zayn que se defendia na medida do possível, mas o cara tinha o dobro de seu tamanho e massa muscular. Cherman o jogou para os outros que atacavam rapidamente Zayn com chutes e socos. Eu acertei o cara nas partes baixas depois de várias tentativas e grunhidos me soltando e segurando Zayn pelo braço puxando-o para cima, ele recuperou a força e deu um soco forte em Cherman que cambaleou. Mal vi que um segundos depois outro lhe segurou e jogou sobre uma das mesas de madeira causando um barulho estrondoso, acertei Cherman no rosto em duas das minhas tentativas enquanto jogavam Zayn em cima das bebidas no bar. Eu peguei duas bolas daquelas pesadas de sinuca e acertei um cara na cabeça fazendo-o cair no chão, outro me segurou e percebi que mesmo assim estávamos ficando em vantagem na briga. Zayn deu um chute em dois outros caras e eles se afastaram com o rosto sangrando e com as mãos para cima em rendimento. Gritei histérica fazendo com que conseguisse a atenção de Zayn que deu um soco duplo no cara que me prendia, o deixando sem forças. Ele estava ofegante quando colocou o pé em cima da barriga de Cherman no chão, que cuspia sangue. Zayn apertou o pé ali e cara vomitou ainda mais sangue, eu estava com o estômago revirado de ver aquela cena. Estava a ponto de começar a chorar histericamente se não acabasse logo.
Zayn: Me dá essa porra aqui. -arrancou uma chave de dentro do casaco de Cherman que gemia de dor em baixo do pé de Zayn. -Aprende a perder babaca.
Eu: Z-za...
Zayn: Vamos. -deixou os caras machucados ali assim como as pessoas de boca aberta e se interrogando e me puxou rispidamente para que saíssemos rápido daquela situação. Meu coração palpitava sem controle, eu abracei ao peito dele de olhos fechados enquanto chegávamos até o carro.
Frank: Zayn, você tá sangrando!
Zayn: Eu sei cara, eu sei. -balançou as chaves na cara dele. -Mas consegui isso.
Logan: Acho melhor a gente voltar, daqui a pouco amanhece...-olhei para o céu que já começava a dar indícios de claridade. Frank entrou no carro ao lado de Logan e as portas fecharam, Zayn fez um sinal militar com a mão na testa para eles e fomos até o carro dele, que, antes de entrar, deu uma boa examinada na lataria.
Zayn: É, nenhum arranhão.
Eu: Vamos logo embora!-disse nervosa. -Aqueles caras podem aparecer. -ele olhou para trás antes de entrarmos em seu carros.
Zayn: Eles não vão sair daí tão cedo. -riu ligando a chave á ignição. -Meu carrinho!-murmurou feliz antes de pegarmos a estrada novamente, e mesmo sem estar claramente nervoso, procurou o maço em seus bolsos. O cigarro novo que acabara de acender ficou sujo de sangue que escorria de sua boca. Revirei os olhos louca para chegar em casa.

Zayn Malik P.O.V's

Assistimos o céu clarear na volta para casa, eu agora dirigia calmamente tragando um cigarro, SeuNome estava com as mãos para fora da janela se mexendo com o vento de volta ao centro da cidade. O sol aparecia aos poucos iluminando o mundo e eu não queria ter que ouvir mais nada além da voz tranquila da SeuNome, que aparentemente estava mais calma assim como eu. Lá no bar eu achei que algo de ruim poderia acontecer com ela mesmo que eu tivesse o controle da situação, porque veja bem, quando um cara que não liga pra nada fica preocupado, então ele sempre acha que o improvável vai acontecer. E não é por nada, mas a SeuNome é teimosa pra cacete, e não é implicância mas tenho a sensação de que piorou nas últimas semanas e isso me deixava louco.
      Eu não estava com paciência para aguentar mais brigas. Mas foi exatamente isso que tive que presenciar ao chegarmos na garagem da mansão onde Débora esperava por nós, ou melhor, por Logan de braços cruzados e batendo o pé. Nem preciso dizer que o negócio pegou fogo porque ela disse que nós demoramos para voltar dessa vez e os fornecedores do Payne tentaram entregar mais drogas ali de madrugada e ela sozinha não pôde receber. Que maravilha.

Eu: Eles pelo menos disseram que vão voltar?
Débora: É, daqui uma meia hora mais ou menos. -olhou para Logan. -Não fala comigo.
Logan: Mas eu nem ia. -riu. -O que foi que te deu, hein? Os caras do bar não quiseram te comer?-vi a mão de Débora voar no rosto dele que bêbado, tombou para trás. Ela ainda o alcançou para bater uma segunda vez, mas ele segurou seu punho no ar.
Débora: Cuida melhor do seus dentes mantendo a boca fechada da próxima vez.
Eu: Chega disso aqui. -olhei em volta. -Vão se amar em outro lugar.
Débora: Deus que me livre. -rangeu os dentes se soltando dele e sumiu para dentro da mansão. Cutuquei Logan.
Eu: Ela está morrendo de ciumes de você.
Logan: Não me diga. -ironizou- Você conhece bem muito ela não é?
Eu: É, nós somos amigos a bastante tempo.
Logan: Maldita maluca. -balancei a cabeça entrando para a sala. SeuNome tinha subido para o quarto de imediato quando chegamos. As vezes eu acho que todo mundo vai enlouquecer nessa casa, nesse constante pé de guerra. Mas fazer o quê, é isso que acontece quando se coloca um monte de jovens juntos para traficar e fazer trapaças. Conviver com ódio e amor não é nada fácil.
Fiquei ali na sala assistindo a um filme antigo e tentando passar remédio na minha boca que tinha inchado levemente no canto e esperando que finalmente a droga dos fornecedores aparecessem. Quando ouvi um barulho de carro seguido do interfone tocando me levantei para ir até lá mas me surpreendi por Piper ser mais rápida e já estava na garagem falando com um cara moreno e alto, com a testa levemente grande.
Eu: Deixa comigo, Piper, pode ir. -ela deu uma piscadela para o cara que a olhou sair com toda a calma do mundo.
Ele: Bonita sua namorada.
Eu: A Piper não é minha namorada. -o encarei sério, como sempre.
Ele: Ah, então que ótimo. -abriu um sorriso. Os caras atrás dele descarregavam a traseira de uma mini van com pacotes. -Já mandei descarregarem, vai demorar só alguns minutos.
Eu: Tá, sei, precisam de ajuda?
Ele: Não. -apertou minha mão. -Sou Liam, filho do Andrew.
Eu: Você é filho do sr.Payne? Por que está supervisionando as mercadorias, nós temos gente aqui pra isso.
Liam: É, mas pelo que eu sei alguns pacotes estão sumindo depois que chegam nessa casa. Tem alguém abusando da confiança do meu pai e ele não quer ter prejuízo.
Eu: Já falei com ele, estou resolvendo.
Liam: Não quero pegar no seu pé, mas é bom ir logo. Porque ele queria ter vindo aqui pessoalmente para "conversar" com esse cara.
XXX: Zayn!
Eu: Tudo bem, diga que eu vou resolver, já volto. -ele assentiu e saí dali, vendo Alex parado rente a porta com fones de ouvidos e uma PlayBoy nas mãos. Estalei os dedos na frente dele que mesmo assim não me ouviu, então bati em sua mão fazendo-o derrubar a revista. -Ei meu querido, vamos trabalhar?-pedi ignorante. -Vai ficar de olho no moreno ali até eu voltar, não gostei desse cara.
Alex: Por que tem que ser eu?
Eu: Porque sim.
Alex: Manda o Jack.
Eu: Cacete vai logo!-me irritei e o vi partir para a garagem. Segui a voz de Débora que me chamava na cozinha e fui até ela. -O que você quer, eu ia dormir um pouco.
Débora: Zayn eu queria ter te dito uma coisa quando vocês chegaram mas não consegui.

Eu: O que aconteceu? Descobriu algo sobre as drogas que sumiram?
Débora: Não, nada disso, eu...
Eu: Olha, eu sei que você gosta do Logan mas se for ele é melhor me dizer logo porque...
Débora: Porra me escuta, eu não estou protegendo ele, eu odeio esse cara!-riu.
Eu: Quem você quer enganar, eu te conheço a anos e você sempre sentiu falta dele depois do que aconteceu, você sempre quis voltar lá no fundo...
Débora: E ela Zayn?-me cortou- Você nunca esqueceu ela que eu sei, mesmo depois do...-ouvimos um barulho na porta da cozinha. Eu bufei e fui até ali achando que talvez fosse um dos caras para perguntar em que lado do porão colocar toda a maconha mas dei de cara com uma figura baixinha de cabelos castanhos esvoaçantes, seu rosto brilhava com um sorriso banguela ao pé da porta com olhos efervescentes.
Eu: Que porra é is...
Débora: Zayn, é isso que eu estava tentando te falar. -encarei o menino que provavelmente beirava uns cinco anos.
Ele: Oi. -acenou e colocou a mão na boca. Eu grunhi e puxei Débora para um canto da cozinha onde ele não nos ouvisse.
Eu: Que merda é essa cara, você trouxe uma criança pra cá?-sussurrei nervoso- Perdeu a noção do perigo? Essa casa tá cheia de drogas no porão, tem armas escondidas, tem...
Débora: Se acalma aí!-me interrompeu- A minha mãe me pediu para cuidar dele por uma tarde, ela acha que eu estou fazendo estágio e morando de favor com uma amiga, você queria que eu dissesse o quê? "Eu moro em uma mansão com traficantes de primeira viagem, virei uma também! Não posso cuidar dele.", ela já está desconfiando que eu estou mentindo, não dava para negar dessa vez.
Eu: Argh, você me paga...-olhei rapidamente dando uma espiada nele. -Esse menino está com quanto, cinco? quatro? Nessa idade eles querem colocar tudo na boca, já pensou se ele acha uma arma? Aí sua mãe vai adorar né.
Débora: Ele tem seis pra sua informação, e é uma peste. -cruzou os braços. -Por que você não dá uns conselhos pra ele, meu padrasto morreu a pouco tempo e o pestinha ainda anda meio triste. Sei lá, uns conselhos de homem e...
Eu: Ei, ei! Nada disso, não vou falar com criança nenhuma, elas me odeiam e eu odeio elas.
Débora: Tá bom. Mas eu não aguento mais as bagunças do Peter, acho que vou deixa-lo trancado em um quarto até o fim de tarde.
Eu: Faça qualquer coisa, só não deixe que ele tenha contato com ninguém dessa casa.
Débora: Ok.

Saí da cozinha após passar longe daquela criança. Que ideia, maldita hora que eu soube que Débora tinha um irmão mais novo e uma mãe chata de pedir favores. Voltei para a garagem e eles tinha acabado de descarregar o carro, conversei sobre algumas exigências do Liam Payne e seu pai com ele mesmo e depois os assisti ir embora. O porão tinha mais drogas dessa vez do que qualquer outra, a demanda em Las Vegas era muito grande. Parece que a maioria das pessoas não conseguia se divertir nas festas sem essa porcaria, o que é ótimo pra nós, que lucrávamos com isso.
Fui tomar um banho quente e trocar de roupa no meu quarto o que não demorou muito, era impressionante como não me sentia muito mais confortável no estúdio todo pichado do que no quarto chique que escolhi na mansão. Desci e encontrei a Piper já com outra roupa na sala, dessa vez cobria suas pernas em uma legue, o que era bem raro pra ela.

Piper: Ah Malik, sua boca está uma droga, vou pegar a caixa de primeiros socorros. -disse assim que me viu.
Eu: Espera a gente tem isso aqui?-pedi surpreso e ela assentiu. -Não precisa, eu não sou de vidro é só um machucadinho de nada.
Piper: Que machão Malik. -riu. -Tá com medo da SeuNome descer e pegar eu cuidando da sua boquinha?-a encarei sério.
Eu: Volta ao trabalho por favor? Tem uma festa pra você ir essa noite, vai se arrumando ou sei lá.
Piper: Uau, como você é chato viu. -se levantou. -Eu acho melhor a gente fazer a festa aqui, não acha que ia ser bem mais fácil de vender?
Eu: Há, que gênia você é! E quem vamos convidar, nossos vizinhos da meia idade? Ah é, acho que eles amam uma festinha regada de erva.
Piper: Querido, você acha que eu não tenho o telefone de todos os meus clientes?-me sentei no sofá pensando naquilo -Além do mais, estamos aqui a quase dois meses e até agora nada de fazermos uma festa de arromba nessa mansão.
Zayn: Não temos a obrigação...
Alex: Alguém aí disse festa e arromba na mesma frase?-se apoiou no encosto do sofá.
Piper: Saí daqui estrupício, é conversa de gente grande.
Alex: Uow, calma ae, eu adoro conversa de gente grande, sempre aprendo muito sobre vocês. -gargalhou e eu revirei os olhos. Alex era o mais novo de nós, mas já tinha 17 anos.
Zayn: Essa não é uma boa ideia.
Piper: Na verdade você não manda e nós vamos fazer uma festa aqui sim essa noite. -tocou o braço de Alex animada. -Espalha por aí idiota, e só pra quem você achar muito legal para estar aqui.
Eu: Não acredito. -joguei a cabeça para trás. Piper saiu assim como Alex após dar de ombros satisfeito, eles não entendiam que não dava para ficar fazendo festa ali? Era para não chamarmos a atenção da vizinhança, mas pelo jeito o que eu falo nesse lugar não vale nada, pra variar. Eu estava ali sozinho, finalmente, sem ninguém para me encher a paciência, liguei a tv novamente puto da cara por alguém a ter desligado.
Eu: Porra. -xinguei ao bater o pé na mesa central quando fui pegar o controle remoto.
XX: Não devia dizer isso. -virei para trás ao ouvir a voz infantil. -Minha irmã disse que é muito feio. Você sabe, dizer "Porra".
Eu: Pois é espertinho, mas ela fala coisa muito pior viu?-o garoto para minha surpresa andou bem rápido até o sofá, dando um pulo para alcançar e sentou. -O que está fazendo aqui, você não devia...argh. Esquece. Peter não é?
Peter: Aham. -olhou a tv enquanto eu agora zapeava os canais. -Uh! Uh! Tá passando Batman de desenho, vamos ver!
Eu: Ah não, essa versão é horrível. -menti. -Jogo é melhor.
Peter: Acho que eu sou o único menino que não gosta de jogo. -seu rosto era triste.
Eu: Você já viu a versão original do Batman?-ele balançou rapidamente a cabeça em afirmação me fazendo rir. -Eu costumava ver todo fim de semana com o meu pai, e eu nunca cansava. -ri fraco ao me lembrar disso. E Peter também parecia meio desanimado, aí que eu lembrei do que a Deb disse. Fiz merda em falar de pais.
Eu: Olha, a sua irmã me pediu pra falar com você antes de eu mandar ela te colocar trancado no quarto, mas eu não sou bom com conselhos. -seus pezinhos balançavam sem tocar no chão. -Pais são todos uns babacas, mas eles, você sabe, são assim para deixar a gente mais forte.
Peter: Pera aí, você pediu pra ela me trancar no quarto?!-ignorou dizendo a única coisa que parecia ter ouvido do que eu disse.
Eu: É, exatamente, crianças me irritam.
Peter: Por acaso eu tenho cara de irritante?
Eu: Você não vai querer saber a resposta. -o vi deixar o boneco com capa que segurava de lado e cruzou os braços, exatamente como Débora costumava fazer, esperto como ela. Mas ele tinha um jeito durão muito parecido comigo e isso quase me fazia rir. Será que as pessoas me viam como eu estava vendo ele?
Peter: Nossa, quanta inoborância.
Eu: Quer dizer ignorância?-ri- Você sabe o que é isso?
Peter: Não, mas a Deb chamou um tal de Logan disso no telefone e eu acho que é deve ser um xingamento aceitável.
Eu: É, ele é o namoradinho dela, eles se gostam mas sabe como é, ficam brigando.
Peter: Os adultos são tão estranhos, é assim que eles mostram amor?
Eu: Mais ou menos. -mudei de canal.
Peter: Que idiota, meu pai batia na minha mãe e eu achei que ele tivesse machucando ela.
Eu: Aí é diferente, carinha. Sua irmã e o Logan só brigam com palavras, mas eles queriam mesmo é beijar.
Peter: Beijar?
Eu: Beijar.
Peter: Credo que nojo, vocês são sujos. -gargalhei. A mente de uma criança era interessante. Eu coloquei no desenho que ele queria e deixei o controle de lado, me ajeitando no sofá.
Eu: Olha, eu sei como é perder alguém que a gente ama. Você amava seu pai não é?-ele assentiu com a cabeça sem falar. -Eu sei que não é fácil esquecer do nada mas você tem que tentar pensar em outras coisas, como na sua mãe e na Deb. Elas ainda precisam de um homem para cuidar da casa, certo Peter?
Peter: É, acho que sim...
Eu: Quando a gente precisa de um herói, nós temos que nos transformar nele. -Peter me olhou radiante, havia agitação em seus olhos. -Porque eu sei bem o que é esperar por um e ele nunca chegar. Você pode ser uma criança mais esperta do que eu era.
Peter: Nossa, o senhor é demais!
Eu: O QUE? "Senhor"?-arregalei os olhos- Sou tão ruim assim?
Peter: Você é como meu papai.
Eu: Fim de carreira. -disse indignado. -Me comparar com um pai é fim de carreira viu palhaço!
Peter: Mas meu papai é bonitão.
Eu: Ham, você é muito modesto, menino. -tirei do rosto meu cabelo bagunçado.
Peter: Está bravo?..ahm...ahm...
Eu: Meu nome é Zayn. Pode me chamar do que quiser, menos de senhor. -ele pulou no sofá vindo para mais perto de mim, ah não, recuei.
Peter: Então Zayn, você é tipo um super herói?
Eu: Na verdade, Peter, eu sou tipo um vilão. -não queria assusta-lo mas eu não era o tipo de gente que se apegava em crianças e gostava delas. -Eu faço algumas coisas feias demais para ser um herói. Antigamente eu até queria ser um, mas não deu certo porque eu não nasci para ser.
Peter: Eu acho que você poderia ser herói, tio.

Eu ri e balancei a cabeça, passou algum tempo até que o Peter calou a boca para assistir ao desenho. Eu estava descansando a cabeça quando acabou e eu troquei de canal para outro filme, o garoto voltou a fazer perguntas e puxar conversa comigo, o que não podia dar em coisa boa. Eu sabia que podia manda-lo vazar dali e ir procurar a irmã, mas não sei porquê não fiz isso, realmente não sei. Acabei por me deixar levar pela conversa descobrindo que Peter podia ser mais inteligente do que Frank por exemplo e olha que ele só tinha seis anos. Era até bom falar com alguém com uma cabeça bem diferente da minha, sem maldade nenhuma e isso me lembrava a minha casa, quando eu ainda passava um tempo com as minhas irmãs em San Diego.
       Já tinha dado tantos conselhos para Peter que até estava meio perdido, ele ria agitado.

Eu: E...ah! Nunca deixe uma mulher se sentir poderosa, nunca mesmo!
XX: Oi garotos, consegui dormir um pouco. -SeuNome se espreguiçou passando por ali. -Estou me sentindo tão bem, "poderosa" e...
Peter: Então porque você deixou?-me cutucou e eu ri.
Eu: SeuApelido, para de ouvir as conversas e acabar com os meus conselhos aqui!-falei cheio de humor, por incrível que pareça. Ela riu.
SeuNome: Se for esses conselhos machistas então é bom eu acabar mesmo. -foi para a cozinha e eu fiz uma careta.
Peter: Vocês brigam muito?-eu assenti sem prestar muita atenção. -Então vocês se amam.
Eu: Ah, er n...
Peter: Foi você quem me falou isso. -pegou o boneco colocando no meu rosto. -Como você se machucou assim?-apontou para o corte no meu lábio.
Eu: Entrei em uma briga para recuperar o meu carro.
Peter: Mas era só comprar outro.
Eu: Eu sei, mas você não ia entender. Era o MEU carro, e foi pessoal. Se uns caras babacas roubassem o sr.Dylan, não ia querer ele de volta ao invés de um novo? -peguei o boneco de sua mão que agora eu já sabia o nome, ajeitando a capa e devolvendo a ele.
Peter: Com certeza. E eu ia atrás deles e resolveria do jeito do Bruce Wayne.
XXX: Do que vocês estão falando?-ouvi a voz de SeuNome e virei para trás vendo-a por uma fresta da porta aberta falando no telefone.

Peter: Ei!-me cutucou, eu estava perdido nas pernas dela que se moviam agitadas enquanto conversava, aquelas coxas e bunda, meu Deus, eu podia perder o controle só de olhar. -Ei!
Eu: O que foi cacete?!-olhei para ele que dava uma risada infantil. 
Peter: Falou palavrão de novo! É bom parar com isso, mamãe disse que as garotas não gostam. 
Eu: Ah é, é?-ri. 
Peter: Sim. E ela é gata. -sussurrou perto de mim apontando para SeuNome e depois riu travesso. -Tipo uma menina da minha classe. 
Eu: Pega ela garotão, tem que mostrar atitude. 
SeuNome: Oi meninos. -mal percebi que ela se aproximou e se apoiou no sofá atrás de Peter que levantou ficando de pé no sofá. -Quem é esse, Zayn?
Peter: Sou Peter, mas pode me chamar de Super Wayne. 
Eu: Vai ter que inventar outro nome pra você palhaço, esse já existe. -Peter pulou no sofá me deixando irritado mas a SeuNome parecia estar adorando aquilo. 
SeuNome: Eu sou SeuNome. -apertou a mão dele. -Você me lembra a minha irmãzinha Clair, mas ela é mais nova. 
Peter: Eca, meninas são nojentas. 
SeuNome: Ei! -riu fingindo indignação. -Que feio, acho melhor eu e o Zayn te trancarmos lá no porão com os crocodilos viu.
Peter: Não! A não ser você e a Mary, vocês não são! -contornou o comentário na hora. Eu estava rindo admirado da sua esperteza.
SeuNome: Mary é a sua namoradinha?-o garoto corou e soltou a mão de SeuNome que sussurrava "Ele é uma gracinha", em seguida desceu para o chão com o boneco e ficou brincando com ele no tapete. 
Eu: Ele é irmão da Débora, ela trouxe só para passar uma tarde, daqui a pouco ele vai embora e...
Peter: Ei SeuNome, o Zayn tem atitude com você?-ela me encarou como se perguntasse o que eu estava ensinando para o menino e depois explodiu numa gargalhada. -O que é engraçado?-pediu inocente. 
XX: PETER! VOCÊ TÁ AQUI?-Débora surgiu descabelada e parecendo cansada. -Te procurei por tudo moleque!
Eu: Ele esteve aqui o tempo todo. -Peter riu sapeca e correu antes que Débora chegasse até ele. 

Que inferno. Me levantei para ajudar a Deb a tentar alcança-lo, SeuNome fez o mesmo enquanto Peter corria pela casa, subindo e descendo os degraus para nos confundir, entrando na cozinha e nos banheiros, eu não estava afim de brincar, mas ele parecia achar que agora éramos amigos. Ficamos andando em círculos procurando por ele que nos alertou onde estava com um grito seguido de um choro alto. Ele tinha tropeçado na escada e batido a cabeça. SeuNome o alcançou primeiro e o pegou no colo, levando até a cozinha. Eu e Débora surgimos para ajuda-la. Ele estava agora sentado na mesa e SeuNome procurava o local da batida e falava coisas agradáveis para acalma-lo. Débora deu-lhe uma bronca e ele fez bico, pegou seu brinquedo e abraçou ao peito. 

Débora: Já chega né pestinha, agora é melhor eu te levar de volta para a mamãe.
Peter: Eu gosto daqui, quero ficar.
Débora: Nada disso. Venha, eu vou te ajudar. -esticou os braços para pegar ele mas Peter pulou da mesa vindo correndo até mim. 
Peter: Então tchau tio!-me abraçou forte deixando-me sem reação. -Desculpa pelo trabalho. -as duas ali me encaravam com olhos cheios de ternura, eu suspirei e retribui o abraço vendo que aquilo era muito novo pra mim. -Você é serião, mas é legal. -sorriu.
Eu: Valeu, eu acho.
Peter: Vai me visitar ou não? -olhava para cima para ver meu rosto- Vai, não é?
Débora: Obvio que sim, agora vamos. -o puxou para seu colo saindo da cozinha antes de encontrar Logan com pacotes na mão no caminho.
Logan: Já engravidou daqueles caras de bar? A criança tá grande!
Débora: Cala a boca imbecil. -saiu de casa com o garotinho. Eu respirei fundo, que experiencia estranha. Senti mãos espalmarem nas minhas costas.
SeuNome: Você foi ótimo...-riu- Em partes.
Eu: É, e a Débora ainda mentiu dizendo que eu vou visitar ele, o garoto vai se decepcionar.
SeuNome: Você seria um bom pai. -ignorou meu comentário anterior.
Eu: Mas Deus que me livre, não diz merda SeuNome.
SeuNome: Aham. -riu- Eu vi o seu coração derreter quando você abraçou ele.
Eu: Shh!
SeuNome: Shh você idiota!
Eu: A gente ainda tem que falar sobre a sua teimosia, não devia ter entrado lá no bar mais cedo, foi quase suicídio.
SeuNome: Mas eu...eu estava com você, e eu confio...
Eu: É, mas não vai ser sempre que eu vou poder te proteger, já pensou se aqueles caras me vencessem? E aí? O que teriam feito com você? Eu nunca ia me perdoar, e se você sobrevivesse eu te matava por ser teimosa. -puxei-a para um beijo que depois ela partiu com dois selinhos.
SeuNome: Eu penso demais sobre beijar você e...-seus olhos analisavam meu rosto bem de perto.
Zayn: Não fica na vontade, pode beijar. -ri colando nossos lábios, eu quase não ria mas ela tinha esse poder sobre mim, era incrível. As minhas tristezas desapareciam. -Ah, tem mais uma coisa, a louca da Piper vai fazer uma festa aqui hoje mas eu não apoiei...-parei de falar e separei nossos corpos ao ouvir um ruído alto vindo de onde armazenávamos a cocaína, quase ao lado da garagem. -Fica aqui, eu já volto. -ela assentiu e segui até lá rapidamente me escondendo atrás da parede para ouvir os cochichos.
XXX: Posso pegar mais uma pedra? Só mais uma!
Logan: Você tá ficando louco cara? Tá querendo ferrar a gente né? Sim, é isso que você quer, começou a usar e agora não consegue parar, fica aí todo viciado, não sei como não perceberam ainda. -resmungou e eu caminhei até eles pegando-os no flagra. Alex estava sentado na pequena escadinha de olhos arregalados e vermelhos pra mim.
Eu: PORRA, ALEX! NÃO ACREDITO, LOGO VOCÊ MAN! ERA A ÚLTIMA PESSOA QUE EU ESPERAVA ESTAR FAZENDO ISSO!-gritei puxando ele pela gola da camiseta.
Alex: Desculpa Zayn, desculpa, eu tentei parar, eu juro...
Eu: Não dá pra parar porra, experimentou viciou! Você é burro? O PAYNE TE QUER AQUI PARA TRAFICAR ENTENDEU?-soltei-o de uma vez enquanto assentia com medo. -E você esperto, estava ajudando ele o tempo todo né? Porra, eu devia saber.
Logan: Eu tentei parar ele mas já tinha viciado...
Eu: CALA ESSA MALDITA BOCA, AGORA VAMOS TER QUE AJUDAR ESSE FILHO DA PUTA PRA ACALMAR AQUELE OUTRO FILHO DA PUTA!-logo o mais novo de nós, eu nem suspeitava dele. Pelo menos eu sabia agora quem era. -Hoje anoite vai ter festa aqui e eu não quero que você desça Alex, você não vai ter mais contato com droga até nós decidirmos o que vamos fazer, entendeu bem? -Alex assentiu e olhei para o outro- Logan, você tá limpo?
Logan: Claro que sim.
Eu: Tá, então você vai ajudar a Piper a vender essa noite, vou mandar alguém ficar de olho no Alex e não vai ser você porque pelo visto vocês se ajudam.
Alex: Olha Zayn me desculpa mesmo, eu vou pagar as drogas com a minha parte da grana, prometo.
Zayn: Vai mesmo imbecil. -o encarei. -E você nunca mais vai usar essa merda, eu nem sei o que pensar viu.
Alex: Tá bom...
Zayn: Logan vai se arrumar, nós vamos preparar essa casa para arrombar com Las Vegas inteira essa noite.


CONTINUA...
Hehe

26 comentários:

  1. Hehe? Depois de quase me matar com esse capitulo vc ri? Que sacanagem lizzy eu preciso da continuação!!

    Seu melhor fanfic sem duvida e nenhum outro q eu ja tenha lido tira o trono desse vc vai longe com esse talento viu?

    ResponderExcluir
  2. Piper vadia, Alex viciado, Debora nervosaespertinha, Logan engracado Seunome diva e Zayn com uma gostosura de impressionar MELHORES PERSONAGENS AMO FORTE

    Continua XxMari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de dizer que amei o menininho aparecer deu um toque fofo no romance, acão, aventura, drama, tem um pouco de tudo aqui é por isso q eu amoo

      Excluir
  3. Finalmente postou hein!!
    Adorei esse capítulo! Tá super diwastica a fic Lizzy! Continuaaaa
    XxMin

    ResponderExcluir
  4. Capítulo perfeito :3 Continue logo, viu? ADORO ZAYN ESTRESSADINHO HUEHEUHEUH

    ResponderExcluir
  5. Mds ♥
    CONTINUA ♥
    Xx... Helo

    ResponderExcluir
  6. Oi Lizzy, vocês não estão precisando de adm? fiz um fic nova e adoraria fazer parte dessa página, gosto muito! mas entendo se não der
    xoxo Gabi hahaha

    ResponderExcluir
  7. Pft 😍😍😍😍😍😍😍😍😍😍 continua

    ResponderExcluir
  8. Ta demorando mt ;-; Continua

    ResponderExcluir
  9. Por favor continua, tá PER-FECT<3

    ResponderExcluir