Undercover- Capítulo 7: I think I love you + Problems

| | |

" Estou apaixonado por você,mesmo sabendo que o amor é apenas um grito no vácuo."
- A culpa é das estrelas.

Savanna/ Brooke On

Quando eu era criança minha mãe sempre dizia que eu era maior do que os meus sonhos, que eu podia sonhar com o que eu quisesse, porque no futuro eu iria realizar tudo. Ela sempre me contava uma história antes de dormir e me dava um beijo na testa antes de me desejar boa noite e sair do meu quarto.
Meu pai Miguel, queria que quando eu crescesse fosse igual a ele, uma grande advogada. Ele sempre me dizia que era incrível defender alguém pelos seus atos, mesmo sendo ruins. Minha mãe sempre o repreendia nessa parte porque ela dizia que defender alguém do lado errado sempre causaria danos.

E foi isso o que aconteceu.

Quando eu completei quatorze anos meu tio me explicou o porque da morte dos meus pais.

Meu pai tinha defendido um bandido da pesada e tinha perdido o caso, o cara com raiva jurou matar a nossa família quando saísse da cadeia. Mas meu pai não se preocupou muito pois o homem tinha pego cinquenta anos de cadeia, mesmo assim nós nos mudamos pra o Texas, na época eu tinha seis anos eu só sabia brincar de boneca. O que meu pai não imaginava era que o cara conseguiu cumprir pena livre da cadeia e pagar fazendo serviços comunitários. Ele só ficou três anos na cadeia, e quando ele saiu como prometido ele foi atrás da nossa família.

Eu me lembro vagamente de como tudo aconteceu, me lembro que era de manhã quando eu já estava pronta pra ir pra escola, eu estava me despedindo do meu pai quando minha mãe chegou e disse que todos o seguranças que ficavam pelo lado de fora de casa estavam mortos - meus pais me diziam que os seguranças eram pra cuidar da casa-. Meu pai me pediu pra minha mãe subir comigo pro quarto e só sair de lá quando fosse seguro, minha mãe pegou na minha mão e nós subimos até o quarto deles, nós ouvimos barulhos estranhos e minha mãe pediu pra que eu me escondesse dentro debaixo da cama e só saísse de lá quando ela fosse me buscar. Eu esperei, esperei e nada da minha mãe voltar, então eu sai debaixo da cama e fui procurar pelos meus pais.  Quando eu cheguei na sala foi como um choque pra mim eu não sabia o que havia acontecido, eu era apenas uma menininha inocente, e meus pais estavam no chão com poças de sangue em volta deles. - limpei uma lágrima solitária que escorreu sobre o meu rosto-.

- O que aconteceu? - escutei uma voz de fundo, sai dos meus devaneios, olhei pro lado e Liam estava sentado com uma cara confusa.
- A quanto tempo você está ai? - perguntei.
- Te vi sentada aqui sozinha pensando longe e vim ver o que estava acontecendo. - já estava escuro e eu nem percebi.
- Bom, você já percebeu que não esta acontecendo nada já pode ir. - fui rude.
- Será que a gente pode conversar? - ele perguntou.
- Agora você quer conversar? - ri- Faça-me o favor. - me levantei pra ir embora mas ele segurou meu braço.
- Eu to falando sério Brooke. - ele se levantou- Tem um parque aqui perto a gente pode ir até lá. - ele pediu.
- É importante? Porque eu to com fome e preciso de um banho. - tentei despista-lo.
- Você está ótima e a gente pode passar em uma lanchonete pra comer. - ele suplicou.
- Tudo bem! - me dei por vencida.
- Então vamos? - ele deu passagem e eu sai andando em sua frente.

Fomos no carro dele, não conversamos o caminho todo.
Como eu estava com fome Liam parou em uma lanchonete e comprou dois hambúrgueres com batas e refrigerante e depois voltou pro carro pra seguirmos até o parque.

- Parece delicioso. - ele disse atacando seu hambúrguer.
- Parece mesmo.- tentei ser gentil.

Depois de comermos dentro do carro mesmo Liam me chamou pra dar uma volta pelo parque. Eu já estava agoniada, ele estava muito estranho, qualquer pessoa suspeitaria que ele estaria doente.

- Porque você me trouxe aqui? - perguntei quebrando o silencio.
- Eu terminei com a Sophia - ele disse com a voz baixa mas deu pra entender perfeitamente.
- E você me trouxe até aqui pra me dizer isso? - eu sei fui meio rude, mas quando eu vi já tinha falado-. Me desculpa eu não...
- Tudo bem. - ele me cortou, dando um sorrisinho de canto.

Não posso negar, eu estava soltando fogos de artifícios por dentro.

- Sabe, depois que você me deixou plantado no banheiro eu fui pro meu quarto e pensei naquilo que você me disse - ele me olhou mas eu não lembrava do eu falei-  Sobre me poupar de me apaixonar por você. - eu assenti me lembrando.
- Olha eu só falei aquilo porque eu estava com raiva, não tem nada a ver. - tentei me defender.
- Então, eu pensei e cheguei a conclusão de que você não precisa me poupar de nada. - ele segurou o meu braço me virando pra ele- Porque já faz um tempinho que eu não paro de pensar em você - ele olhou no fundo dos meus olhos- Eu quero estar com você em todo momento, eu adoro ouvir a sua voz, e o seu sorriso? - ele sorriu- Ahh o seu sorriso - suspirou- Ele poderia curar doenças de tão lindo que ele é. - eu sorri sem mesmo perceber- Isso pode até parecer meio gay, mas eu nunca senti isso por ninguém. Eu acho que... Eu acho que... eu amo você. - ele disse por fim.

Eu fique parada tentando raciocinar o que ele me disse, como assim ele me ama? Droga e se eu dissesse que amo ele também? Droga de novo, isso não pode estar acontecendo.

- Brooke diz alguma coisa, eu to ficando meio constrangido. - ele sorriu de canto meio nervoso.

Quer saber? Que se dane eu vou dizer tudo o que eu sinto por ele, dizer que eu quero ficar com ele.

- Eu... - fui interrompida pelo toque do meu celular, era o meu tio.
- Sério que você vai atender isso agora? - ele perguntou indignado.

Sussurrei um desculpa e me afastei atendendo o meu celular.

- Espero que seja importante. - eu disse meio brava.
- Defina importante? - uma voz grossa que não era a voz do meu tio disse ao telefone.
- Quem tá falando? - perguntei nervosa.
- Não reconhece a minha voz princesinha? - minhas pernas estremeceram.
- Onde está o meu tio, Desai?

 Ethan Desai era um dos maiores criminosos da Inglaterra, ele me sequestrou uma vez.

- Eu estou com ele e com o seu primo. - ele disse em tom de deboche.
- O que você quer?
- No momento eu quero que você venha até o galpão pra gente conversar e matar a saudade. - ele riu.
- Estou chegando. - foi a ultima coisa que eu disse.

Desliguei o celular e voltei pra onde Liam estava.

- Tá vendo aquela senhora ali? - ele apontou pra uma velhinha sentada em um banquinho-. Falo que a minha namorada é muito bonita, mas eu disse pra ela que a gente não é namorado e tals. - ele sorriu, eu tentei sorrir mas eu acho que ele percebeu que algo estava acontecendo.
- O que foi? - perguntou preocupado.
- Eu não estou me sentido bem, a gente pode voltar pro campus? - ele não entendeu nada, mas mesmo assim assentiu pegando a minha mão e voltamos para o carro.

O caminho foi silencioso, eu estava com a cabeça em outro lugar. Porque Desai voltou? O que ele queria comigo? Porque ele pegou meu tio e Brian? Varias perguntas se passavam pela minha cabeça, mas eu só descobriria quando chegasse no galpão.

Meus pensamentos estavam tão longe que eu nem percebi quando chegamos.

- Tem certeza que não esta acontecendo nada? - ele perguntou, ele me parecia muito preocupado. Eu apenas assenti.

Eu sabia que provavelmente eu não veria mais Liam nem mesmo Megan ou Claire, não voltaria mais para o campus, porque Desai quer alguma coisa, e ele está com o que restou da minha família, e eu não posso mais perder ninguém. Então eu fiz o que eu deveria ter feito no parque quando o meu telefone tocou, eu o beijei, beijei como se no mundo existisse apenas eu ele, nossas línguas tinham uma sincronia perfeita, Liam acariciava meu rosto enquanto eu acariciava seu cabelo. Ele mal sabia que aquele era um beijo de despedida, e com aquele beijo parece que eu tive a conclusão, eu estou completamente, loucamente e desesperadamente apaixonada por Liam Payne o badboy mais ignorante e mais gostoso do campus.

Nos separamos por falta de ar, e eu o abracei. Percebi que ele não entendeu nada mas retribuiu o meu abraço.

- Liam? - eu o chamei quando ia saindo do carro-. Eu também.

Foi a única coisa que eu disse mas ele entendeu, eu sei que ele entendeu, porque ele abriu um sorriso. E ele mal sabia que aquele sorriso poderia curar doenças de tão perfeito que ele é.


Oi oi gente, desculpem a demora mas meu notebook estava no conserto e chego ontem.
Ai que fofinho o Liam se declarando, mas se preparem porque a emoção vai começar. Sem spoilers hahaha. Então é isso espero que gostem.

Kisse's                                               Jacky'.

6 comentários:

  1. Continua Diva, tá perfeito. Eu amei o Liam fofinho <3333

    ResponderExcluir
  2. Ai Gzuis kkkkkkk posta logo criatura
    To morrendo c essa fic pfta aki

    ResponderExcluir
  3. Continua to adorando aqui ♥
    Leitora nova....
    By: Júh

    ResponderExcluir
  4. Q divo! Amo sua fic ♥

    ResponderExcluir
  5. Continua gata, eu to pirando aqui, sua fic é prefeita <3

    ResponderExcluir