Badboy of' Mine - Capítulo 15

| | |

- Proposta perfeita

Zayn😏  -You & I Fragrance

SeuNome P.O.V's

Quando consegui me dar por mim, já era um novo dia. Ou melhor, aquilo foi noite passada, noite retrasada ou...? Ao olhar para cima me perguntei quanto tempo eu dormi. As memórias dos copos balançando nas minhas mãos enquanto eu dançava loucamente, dos gritos e histeria, da música e da batida, da indisposição e de todo aquele álcool que parecia não ter fim voltavam a minha mente de um jeito confuso que me deixava tonta mesmo deitada naqueles panos macios na qual eu estava. Arregalei os olhos interrompendo meu ato de espreguiçar quando percebi que não estava acordando no sofá velho, olhei em volta e aquele era o típico e característico bagunçado quarto de Zayn. Eu não conseguia me lembrar de muita coisa, mas fora o fato de me sentir estranha por estar ali, eu estava tão tranquila que nem parecia que eu tinha acordado. Pela primeira vez vi que as cortinas estavam abertas deixando a luz quente iluminar o quarto que eu sempre via tão escuro me esquentando sobre os cobertores, era até surreal quem comparasse aquele momento com o jeito que ele deixava o apartamento todo lacrado para não ser achado, para não encontrar ninguém, e para que ninguém o encontrasse.

Levantei bocejando e fui para o banheiro, lá encontrei minha bolsa fechada, exatamente do jeitinho que deixei noite passada. Meu celular estava quase sem bateria, sorri ao vê-lo e pensei duas vezes antes de apertar o botão "discar", abaixei os olhos e o guardei de volta. Em seguida escovei os dentes, lavei aquela maquiagem borrada do meu rosto e fiz minhas higienes, saindo do banheiro caminhei pelo pequeno espaço entre o mesmo e a sala, eu estava me sentindo bem tirando a dor de cabeça, quer dizer, eu estava estranhamente melhor. Ontem anoite havia sido como uma linha velha com uma agulha costurando amargamente a ferida dentro de mim.
Talvez eu só estivesse precisando conversar com alguém.
Sem ironia, cinismo, sem maldade nenhuma.
E consegui.

Caminhei até a entrada da sala e encostei a lateral do meu corpo no relevo da parede fria já vendo aquele cara levantado e parecendo totalmente bem disposto, vestido em roupas quaisquer com um cabelo bem bagunçado e sua marca: barba rala por fazer, agitado andando de um lado para o outro com uma xícara de café preto aparentemente cheiroso numa das mãos. Era engraçado como de vez em quando ele parava e ouvia o telefone, depois voltava a andar em círculos, batia o pé e resmungava.

Zayn: Olha moça, é tão difícil você fazer o seu trabalho?-bufou- Não, eu não quero nada disso, geladeira, fogão, microondas...Porra, vocês tem ou não tem notebooks nessa merda de loja e para de me enrolar!-eu ri baixo. -Não! Eu não quero fazer cartão com vocês, só quero comprar um notebook!-esbravejou. -Como é que é? Chamar quem? Eu já falei com dois de vocês porra! Não, abaixa você o seu tom. -ri talvez um pouco mais alto do que gostaria e Zayn me percebeu ali levantando a cabeça rapidamente parando de andar, resmungou algo no telefone -provavelmente mais um xingamento-e desligou batendo rapidamente e descuidadamente no gancho.
Eu: Não sabia que tinha telefone convencional. -disse meio bem humorada.
Zayn: É, eu devia ter mandado desinstalar porque é fácil de conseguirem esse número mas...-me mediu e consegui não ficar brava com isso. -Eu tinha que comprar um notebook novo ou já esqueceu do que você fez com o meu?
Eu: Eu estou melhor, não estraga meu bom humor. -ele levantou uma sobrancelha.
Zayn: Olha lá, até parece que transou. -riu.
Eu: Inconveniente, depois sou eu que...-me encarou. -Esquece. Diz que você não dormiu naquela cama também pelo amor de Deus!-disse com a mão na cabeça sentindo pontadas voltarem.
Zayn: Não, eu vim para a sala não se lembra?
Eu: Eu vou confiar em você. -ele riu outra vez depois de bebericar seu café.
Zayn: Não devia. -disse com a boca dentro da xícara.
Eu: Que foi que disse?
Zayn: Nada, nada. -o fitei séria e Zayn pareceu lembrar de algo, foi até a cozinha e buscou um copo com café dentro. Aquilo eu nunca tinha visto, café em algo que não fosse xícara. Sei lá, era como colocar café num prato, aquilo era um copo! Era meio nojento. -Não costumo ter visitas aqui, por isso não tinha mais xícaras. -sorriu inocente, eu peguei de sua mão e bebi.
Eu: Obrigada.
Zayn: E não precisa me agradecer por ontem, pelo jeito eu estava certo. Sabia que ia te deixar pra cima, o que está achando de estar de ressaca, hein?
Eu: Você é tão imbecil, eu já bebi antes sabia?-ele gargalhou fingindo que não acreditava. -Não é sério!
Zayn: Olha pra você, é toda certinha, nunca faz nada de errado, é uma boa garota e...


Eu: E você é desprezível e badboy?-soou mais como uma afirmação. -Quer dizer, você adora ser assim né? Mas olha, as pessoas odeiam gente como você na sociedade. -Zayn me encarava quieto, parecendo impressionado. -E eu nunca disse que era uma boa garota.
Zayn: Hum, tá me dando mole, é?-se aproximou de lado quase encostando seu rosto no meu e eu o empurrei.
Eu: Ai, saí fora. -ele ficou rindo da minha cara. -Sabe, você é lindo mas a sua maldita personalidade acaba com isso. -ele me encarou agora com as duas sobrancelhas levantadas.

Nossos olhares nivelados em surpresa. Merda. Eu tinha mesmo dito isso?

Zayn: Sabia que você me achava lindo. -resmunguei passando por ele.
Eu: Ah, cala essa boca. -falei séria me punindo mentalmente por ter deixado essa escapar enquanto quase corria de volta para o quarto.
Zayn: É, eu sempre soube que eu era, mas vindo de você...-ouvi sua provocação antes de entrar rapidamente e bater a porta do quarto dele. Esse cara é muito irritante, não tem bom humor que aguente.


Zayn Malik P.O.V's

Aquela garota era maluca, só pode ser.
Ela nem sabe o que fala, depois fica confusa e foge para o quarto. Ou melhor, meu quarto.
Eu só consegui rir daquela situação toda, mesmo ainda estando completamente nervoso por causa da discussão um tanto estranha que eu tive no telefone. Eu precisava recuperar as informações daquele notebook mas antes precisava de um novo e já tinha ligado para umas três lojas mas só ficavam me enrolando. Ia ter que pedir que um dos caras comprasse porque sinceramente, eu não tinha paciência pra isso.
Assim que parei de rir balancei a cabeça pensando no jeito que consegui melhorar um pouco a situação, eu nunca consigo fazer nada realmente certo mas sabia que leva-la para se divertir ontem não podia dar errado mesmo que eu tenha conseguido acabar com o bom humor dela depois de alguns minutos. Ela me elogiou e eu acho que foi pela primeira vez, foi algo escapado de sua boca e um tanto estranho de ouvir, prazeroso e estranho, realmente porque com tudo que aconteceu eu tinha até esquecido que estava tentando seduzir a SeuNome desde que nos conhecemos, assim como fiz com todas as namoradas do David. Mas agora ele se foi e isso nem importava mais, talvez essa fosse uma das razões. Porque SeuNome era a garota mais estranha que eu já conheci, e qualquer pessoa poderia dizer que ela era comum mas pra mim não. Ela era difícil de domar e eu gostava disso. Lembrava das outras garotas que caíram nas primeira, bastava uma mão boba, ou empurra-las para um canto e já caíam na minha. Mas essa, essa me deu trabalho e eu ainda sim estraguei a vida de todos e não consegui. Ela ainda amava o David, e isso era claro. Chegava a ser um pouco admirável, coisa que eu também jamais admitiria.

Tomei meu café aos poucos e sem pressa alguma, sentei e liguei a tv, que se fodesse a SeuNome naquele quarto, se ela queria fazer draminha que fizesse, ela era bem insuportável as vezes. E orgulhosa, esses são os piores tipos de garota. Não que eu não fosse o pior tipo de garoto.
Eu sabia que precisava assistir as notícias para saber se a polícia ainda estava atrás de mim, mas simplesmente não conseguia prestar atenção na televisão e no que diziam, eu estava com a cabeça cheia me atormentando demais. Estava inquieto, logo a tv também começou a me irritar, pus a mão na cabeça, eu não sabia o que fazer.
Alcancei meu celular e disquei o número do Jack já que ele era o único que geralmente atendia a merda das minhas ligações, só Deus sabe o quanto aqueles outros me fazem de palhaço ligando sem parar para seus telefones desligados, ocupados e etc. Depois da segunda chamada ele atendeu, e com uma voz arrastada de sono ou talvez bêbado, eu não saberia dizer.

Jack: Oi dude, qual é a boa?
Eu: Não tem boa nenhuma, a gente tem que se encontrar o mais rápido possível. -ouvia uns ruídos no fundo da ligação. -Onde você está?
Jack: Que foi, virou minha mãe, é?-riu- Num motel 1 estrela. -riu mais. -Com uma gostosa que veio comigo da boate ontem, está dormindo aqui do meu lado, sérião cara, se ela tiver um pinto eu vou ter um ataque.
Eu: De felicidade ou não?
Jack: Cala essa boca porra, eu sou espada que você sabe. -revirei os olhos.
Eu: Você vem ou não vem?
Jack: O que é que você quer?-parecia irritado.
Eu: Lembra que ontem antes de ir embora eu falei que tinha uma coisa para falar com vocês? Eu não falei porque vocês estavam muito alterados e nem iam entender.
Jack: E você quer que eu chame os caras também ?
Eu: Isso.
Jack: Tá bom, mas é bom que seja importante. -tirei o papel do bolso.
Eu: E mais uma coisa, antes preciso que ligue pra alguém.

Passei o número de telefone do cara e Jack falou que ia ligar e dizer exatamente o que eu pedi, em seguida chamar os outros e nos encontraríamos perto do posto de gasolina numa quadra abandonada de basquete na qual íamos a alguns anos. Tudo bem, eu sei que parecia completa loucura mas a vida é assim e a minha mais do que ninguém. Ontem a SeuNome estava muito alterada, mas enquanto eu estava vendendo aquelas drogas e ficando com aquelas garotas, não deixava de olhar ela dançando com aquele imbecil na qual depois eu bati. Mas pude ver que enquanto dançavam ele pôs no bolso do vestido dela um papel que provavelmente seria o seu número, e quando a levei para o carro ela deixou cair no banco. Então veio aqueles pensamentos, tudo outra vez, as palavras do Payne e eu guardei esperando tomar uma decisão.
Por mim já estava tomada. Mas eu precisava de apoio.

Desliguei a tv e fui até o meu quarto na qual a porta ainda estava fechada, fiquei me perguntando se batia ou entrava direto.
Espera, isso é ridículo.
Aquele era o meu quarto, nenhuma garota podia se trancar no meu quarto e me fazer sentir culpado por entrar sem bater. Quer dizer, eu não tinha respeito pelas garotas e nem queria ter, por isso não fazia ideia do que estava acontecendo naquele rápido segundo. Girei a maçaneta e abri, ela estava na cama sentada com pernas cruzadas e com uma roupa diferente do vestido que acordou e usou ontem, agora estava com shorts jeans e uma camiseta simples, os cabelos amarrados escapando do elástico. Ela levantou uma sobrancelha e eu ignorei o fato de sentir uma eletricidade, talvez um pouco de adrenalina por vê-la.

Eu: Nós vamos sair.
SeuNome: O que?! Por quê?!-ela visivelmente não queria ir a lugar algum comigo. Tanto faz.
Eu: Eu tento explicar no caminho.

[...]

Descemos do carro de Frank, é, eu ainda estava usando o carro dele emprestado já que os policiais estavam com a placa do meu e pedi para o Jack sumir com ele depois da nossa primeira venda. E segundo ele, tinha conseguido, o que me fazia sentir muita falta do meu. SeuNome desceu seguida de mim e totalmente contra gosto depois de eu estaciona-lo, nós não discutimos no carro, e eu nem tentei explicar o que estávamos fazendo ali como prometi. Das grades dava para ver a velha mesa de madeira com os bancos, exatamente como á anos atrás só que com mais marcas do tempo, nela estavam os garotos espalhados conversando, fui andando ouvindo o barulho irritante do solado do meu sapato na grama da entrada ainda molhada pela chuva do final da madrugada, passei pela entrada e passei pela quadra um tanto suja finalmente chegando até a mesa onde eles estavam, SeuNome me seguia com metros de distancia enquanto olhava o lugar.

Alex: Ae cara. -me cumprimentou com nosso toque antigo. -Você chegou.
Eu: Que bom que vocês vieram.
Jack: E se você quer saber Malik, a gostosa que eu dormi era mulher!-gritou ficando em pé no banco e os outros riram.
Danny: O que era tão importante que você queria falar que me tirou dos planos?
Eu: Que planos? Nós vendemos tudo ontem. -meus olhos cresceram ao lembrar. -Aquilo foi tanta loucura...
Alex: Não é?-disse com um sorriso, como se fosse algo bom, e talvez fosse mesmo. -Quem diria que conseguimos vender a mercadoria. Foi muito lucro, eu vou comprar uma jacuzzi. -os outros concordaram e Frank acendeu um cigarro me oferecendo calado, eu peguei continuando a ouvir aquelas ilusões infantis nunca realizadas daqueles garotos que tiveram os sonhos interrompidos por adolescências perturbadas.
Danny: Tanto faz, mas eu te falei que íamos primeiro comprar meu barco, um barco tão grande que vocês vão querer morar nele. -ri. Vi a SeuNome parar antes de se aproximar, ela não veio até a mesa e sim foi se sentar na pequena arquibancada de madeira do outro lado, de frente para nós e grudada as grades que rodeavam a quadra. Ela parecia ainda ter receio de nós. De todos nós. Abaixei a cabeça tirando o cigarro da boca e soltando uma baforada.
Eu: Cadê aquele babaquinha que eu pedi pra você chamar, Jack?
Jack: Eu insisti um monte porque você disse que era importante mas o cara não tava querendo vir. Acho que...aquele carro lá é de um de vocês?-apontou para um que acabava de parar ao lado do meu. Ficamos observando o cara moreno sair de dentro dele e olhar em volta, então nos ver e caminhar para dentro da quadra. Eu queria bater nele outra vez a partir do momento em que pisou na quadra e SeuNome o percebeu ali e se levantou em interrogação.
SeuNome: Logan?-disse surpresa. Então esse era o nome do idiota. -O que você tá fazendo aq...-ele parecia tão surpreso quanto ela.
Eu: Danny, vai lá e...
Danny: Pode deixar. -se levantou e caminhou até lá, falando algo com o tal de Logan.
Alex: Começa a falar, Malik. Isso aí já tá bem estranho. -concordei.
Eu: Ontem quando eu saí da mesa um gangster tinha mandado me chamar. Bom, não diria que ele é exatamente isso, mas ele me falou muita coisa e disse que estava observando todos nós. Falou que nos viu vendendo muita droga, e que queria que nós fizéssemos um trabalho pra ele, disse que ia nos fazer lucrar muito, mas muito mais do que lucramos noite passada. -eles pareciam atentos, enquanto devoravam alguns cigarros. -Precisava de mim e de vocês, de pessoas confiáveis e que nos emprestaria uma casa aqui em Vegas, que seria a cabeça de todo o tráfico, de todo o ramo. Ia ficar de olho em nós e por isso não poderíamos tentar engana-lo para ficar com todo o lucro. Mas para aceitar eu preciso de vocês, não posso fazer isso sozinho, eu sei que parece total loucura...
Alex: Uau, isso teria muitos riscos, você sabe. -concordei.
Jack: É, e nós nem somos traficantes.
Eu: Também sei disso, falei várias vezes mas o cara parecia bem confiante dizendo que nós levávamos jeito para a coisa.
Frank: Meu Deus, isso é algo muito grande...mas e as trapaças?
Eu: Eu não ia deixar de trapacear, talvez sim, tudo depende do tempo. Provavelmente ia ter gente indo o tempo inteiro lá buscar drogas. -eles riram. Aquilo era sério.
Jack: É, isso é a pior loucura que eu já ouvi.
Eu: É.
Jack: Vamos aceitar. -arregalei os olhos.
Eu: O que? Mas...
Alex: É, pense no lucro...poderíamos até ficar ricos, esse homem tá certo.
Eu: E onde aquele trouxa entra nessa história?-apontou o tal do Logan do outro lado da quadra e eu o vi sentado num degrau da arquibancada falando com a SeuNome que estava de pé assim como o Danny que parecia um guarda do lado dos dois, eu só não queria aquele imbecil dando em cima dela e não sabia porquê. Ela estava diferente daquele jeito, agindo, olhando, falando, rindo como se não pudesse ser machucada, e estava tão longe. Eu não consegui responder a pergunta, só fiquei olhando-a e pensando no fato de que SeuNome não fazia ideia de que era linda. Sei lá, talvez fosse isso e era completamente admirável.
Jack: Ei, ei!-estalava os dedos na minha frente me fazendo olha-lo e esperava uma resposta.
Eu: Hum?-disse meio perdido do que estávamos falando. Eles estavam vendo que eu estava olhando pra ela e...merda que caras eram aquelas que estavam fazendo pra mim?
Alex: Mas hey, ela sorri. Então ela está bem, certo?-meus olhos voltaram a ela, e eu demorei alguns segundos para responder.
Eu: Ela só quer escapar de toda essa merda. -disse me sentindo meio em transe.
Frank: Você acha que ela desistiu de tentar fugir, voltar para casa...procurar a polícia...
Eu: Não, ainda acho que não devemos confiar nela. -eles pareciam meio pasmos com a minha resposta. Mas era a verdade.
Frank: Tá, e o cara?
Eu: Trás ele aqui, vamos explicar tudo.
Alex: Tá, tanto faz. -levantou-Quanto vocês conversam vou jogar basquete como nos velhos tempos. Vem Frank. -ele se levantou também.
Eu: Espera aí, vocês nem tem uma bola.
Alex: O Jack trouxe, vou pegar no carro. -revirei os olhos e eles foram, fiquei esperando Jack trazer Logan até a minha mesa. A SeuNome os seguiu com os olhos até mim. Logan parou, me encarou e cruzou os braços sobre o peito.

Eu estava pronto para começar a explicar a proposta para mais uma peça no quebra-cabeças. Danny e Jack sentaram em cima da mesa, fumando seus segundos cigarros. Eu comecei a falar exatamente o que ouvi a noite passada daquele homem e ele apenas ouvia, as vezes ria da minha cara mas não deixava de me ouvir. Eu estava colocando um pouco de fé que mesmo depois da agressão que cometi ontem ele ainda sim ia aceitar. Ou talvez a minha intuição tivesse errada, bem errada.
É. Ninguém gosta de levar um soco na cara.


CONTINUA...
Oi amores, estou escrevendo as 05:55 da manhã e quase dormindo em cima do teclado porque só consegui um tempinho agora, espero que esteja do gosto de vocês, e sobre o grupo no WhatsApp, eu criei graças aos pedidos, se chama "Blog ID" por enquanto, então quem quiser participar para saber quando as fics atualizam, deixe o número nos comentários ou me envie no Facebook que eu coloco no grupo, ok?
Boa noite pra vocês, preciso dormirrr. 
xxx

9 comentários:

  1. oh mds q perfeito !!! continua!!! vc escreve muito bem amo sua fic *-* e sim eu quero entrar no grupo 061 -Camila

    ResponderExcluir
  2. Primeiro comentario haha ✌
    Ta ótima sua fic ... Só tenho uma pergunta quando voce vai postar o próximo capitulo ? Aah e pq você não coloca os dias fixos pra postar a fic :3 só era isso e desculpa algum incômodo :3 VC escreve muito bem e a sua fic é perfeita :3 eu tmb leio a fic da sua irmã a debs haha 😁❤ bjs linda 😘😍
    Xx Manuu

    ResponderExcluir
  3. Ta ótimo gata, quando a SN vai ficar c o zayn? E me add lá no grupo porfa 975963939

    ResponderExcluir
  4. Melhor fanfic :) .Meu número é 92349369

    ResponderExcluir
  5. Melhor fanfic :) .Meu número é 92349369

    ResponderExcluir
  6. PQP, PQP, O FICZINHO DO CARALHO ESSE SEU, HEIN? EU AMO CADA PERSONAGEM DESSA PORRA. A SN TA SENDO TÃO FORTE E ELA É TÃO FOFA <3 O ZAYN É MUITO FODA, AMO AS FRASES DELE. AMEEEEEEEEEEEEEEI ESSA IDEIA TODAA, NINGUÉM NUNCA FEZ ISSO E VOCÊ É TÃO CRIATIVA A PONTO DE CRIAR UMA MARAVILHOSIDADE DESSA. JÁ NÃO ESTÁ NA HORA DE VC ESCREVER UM LIVRO, MOCINHA????? EU COMPRO TUDO SUA GOSTOSA
    EU ACHO QUE O LOGAN VAI ACEITAR, PQ ELE É BURRO MESMO. MAS OLHA, PQP EU TO APX PELO SEU FIC. O ZAYN NUNCA ESTEVE TÃO FODÁSTICO NUM PERSONAGEM COMO ESTÁ NESSE. VC É FODA, A MELHOR ESCRITORA DO MUNDO E DESSE BLOG. VC REINA! VC SAMBA! SEU FIC REINA! SEU FIC TB SAMBA JUNTO!
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH QUE FELICIDAAAAAAAAAAADE. NOSSA, VC É TÃO ESFORÇADA EM ESCREVER AS 5 DA MANHÃ :') MAS É MUITO DOIDA TB, NÉ? SUA DOIDA. TA EPFEITOOOOOOOOOOOOOO E MUITO ENGRAÇADO CRLHO! CONTINA LOGO, TE AMO
    BJU

    ResponderExcluir
  7. Meu numero é 083-98584421
    Caraa Amoo essa Fic , Posta o mais rapido q vc puder .. PLEASE ! Xx

    ResponderExcluir
  8. Meu número é +2399961860
    Continua logo

    ResponderExcluir