Badboy of' Mine - Capítulo 13

| | |

- Você me deixa doente


SeuNome P.O.V's

Outro cara me daria um abraço. Outro cara diria qualquer coisa, ou me aconchegaria em seu peito e diria simplesmente aquelas quatro palavras mágicas "Tudo vai ficar bem". E provavelmente e com toda certeza outro cara estaria me consolando mesmo que fosse para tirar proveito disso depois. Mas Zayn definitivamente não era qualquer cara. Naquela hora, rapidamente ele deixou de me fitar a espera de uma resposta ao ouvir o seu celular tocar novamente. Bufou soando estressado e saiu do quarto atendendo o mesmo com alguma desculpa esfarrapada. Eu estava ali de pé com minha bolsa na mãos, a apertei firme sentindo falta de alguma coisa minha. Aquelas malditas palavras proferidas por Zayn a alguns segundos atrás rodavam em minha mente enquanto eu tentava rapidamente me convencer que no fundo ele estava certo. Um imbecil havia partido meu coração e eu estava me sentindo horrível.
Diversão, diversão.
Nunca me considerei verdadeiramente impudente, mas sempre gostei de aventura. Do perigo. A razão disso talvez seja porque nunca tive muitas chances de fazer algo que não fosse seguir as mesmas regras por anos, mesmo que tentasse guardar esse meu lado apenas num canto escuro dentro de mim. A questão era, na perseguição com Zayn eu senti aquilo. No meio do deserto, com a ideia de morrer e ao sentir os nervos a flor da pele ao ouvir o barulho de tiro ao vivo. Aquelas coisas foram as piores e mais assustadoras nas quais uma garota poderia ter vivido em tão pouco tempo, mas de alguma forma eu me sentir uma louca por saber que num fundo que eu nunca admitiria, tinha gostado da ideia de estar em perigo. E por mais que eu odiasse Zayn, seu jeito de ser, viver e tratar a vida, eu mal sabia pensar comigo mesma como era star com ele. E eu queria me poupar disso pois não valia a pena.
Mas eu sabia de algo que valia. Esquecer David. Eu já estava numa furada, o que mais poderia dar errado? Afinal eu estaria com um trapaceiro iniciante no tráfico. Eu me sentia irônica, nada de ruim poderia me acontecer se eu ficasse perto de Zayn. Ou tudo de ruim. Era o que eu descobriria. Tomei uma iniciativa rápida indo para o banheiro com a minha bolsa e me fechando lá antes mesmo que ele voltasse.

Tirei aquela roupa na qual eu vestia por dois dias e liguei o chuveiro. Se Zayn queria me manter ali não poderia se importar se eu tomasse um banho. Lavei meu rosto limpando aquelas lágrimas desmerecedoras e deixando aquela água acalmar meu corpo. Não demorei mais de dez minutos e depois de me secar com uma das toalhas que achei nas gavetas da pia, abri minha bolsa percebendo que tinha bem mais coisas ali do que eu pensava, porque na real eu havia a arrumado para a boate naquela noite em San Diego e sempre colocava coisas demais para depois trocar de roupa na casa daquele...urgh.

Procurei algo dentro daquela bagunça, acabei por achar o único vestido que havia ali, o coloquei olhando-me no espelho e sentindo minha auto-estima melhorar. Era impressionante como tão simples como uma roupa tem esse poder. Sequei meus cabelos deixando-os soltos e fiz uma maquiagem rápida para noite. Depois de uma ajeitada nas coisas que eu tinha tirado do lugar e arrumei minha bolsa a fechando, dando uma ultima olhada no espelho antes de finalmente abrir a porta. O pequeno corredor estava em absoluto silencio, uma luz fraca da cozinha se acendeu e ali estava a figura de Zayn com o telefone e o celular, um em cada mão me encarando. Sabe quando menos de três segundos parecem durar uma eternidade? Exatamente como eu me senti. Ele havia mordido o canto do lábio discretamente mas não o suficiente para que eu não notasse, me mediu de cima abaixo deixando aquele clima meio estranho no ar outra vez, e é claro, me deixando um pouco nervosa. Então abriu a boca para provavelmente me elogiar como...

Zayn: Atrasada!-disse sem animação.

...Outro cara faria. É, eu definitivamente tinha que parar de achar que ele era como os outros.

Zayn: Você vem ou não?-apagou a luz e eu o segui para fora do apartamento. Seguimos então, para seu carro, um dos meus pesadelos.

Depois de mais ou menos trinta e poucos minutos rondando em alta velocidade pela cidade percebi que a animação que Zayn perdeu por causa do meu atraso tinha voltado. Na verdade parecia até que tinha tomado umas antes de sair. O telefone não tocou mais e eu estava achando ótimo, parecia que ele era mesmo tão ocupado como pintava para todos. Já era noite alta e a cidade estava perigosamente convidativa como sempre, logo Zayn entrou numa pequena fila de carros que contornavam a frente de um lugar enorme chamado 'Marquee Nightclub', de fora já dava para ouvir o som.
Da porta, o lugar estava lotado de gente que circulavam por toda parte, muitos se beijavam desesperadamente, com agarramento entre todos tipos de sexo, digo, gays, lésbicas e a maioria héteros, e algumas pessoas dançavam de jeitos que eu nunca havia visto antes com bebidas de todos os tipos nas mãos de todos por ali, fumaça, risos, música, drogas. Eu não acreditava que estava num lugar como aquele. Na verdade era a minha segunda vez numa boate, contando com a que fui com David e acabou muito mal. Mas algo que ninguém havia me contado e talvez muitos não imaginassem era que uma das boates mais famosas de Las Vegas não é como uma boate comum. As luzes daquele lugar pareciam coisa de outro planeta, apenas de olhar para aquela imensidão de prazeres e belezas artificiais era como estar drogado sem ter engerido substancia nenhuma. Andávamos cada vez mais em direção ao centro da boate, Zayn sorria abertamente fascinado do meu lado enquanto várias das garotas pela qual passávamos o notava, na verdade era quase impossível não notá-lo pelo modo como se vestia, o modo como se comportava e aquele jeito clichê e infalível de cafajeste que dizia "vou te por em problema", ele piscava de volta, fazia caras e bocas para as garotas que devolviam esfregando-se nele, talvez eu nunca entendesse o porquê de Zayn Malik chamar tanta atenção sem ter nada de especial. Pelo menos era o que eu achava.

Zayn: Quem diria, você decidiu vir. -disse perto do meu ouvido por causa da música. -Por um minuto eu até achei que você ia ficar chorando a noite toda.
Eu: Pela primeira vez, você teve razão. Eu tinha que me divertir. -ele sorriu malicioso.
Zayn: Não esquece que além de estar na cidade do pecado, gata, o que acontece em Vegas fica em Vegas. -o chão parecia tremer com a batida- Vai em frente, se divirta, fique louca.
Eu: Eu não sei se...
Zayn: Não me venha com essa de "não sei", você merece isso. SeuNome, não se preocupa, não vou deixar encostar em você se não quiser. -disse no meu ouvido e eu vi sua arma falsa- E eu sei que você quer. Quer desesperadamente. -riu e eu revirei os olhos.
Eu: Isso aí não assusta ninguém.
Zayn: Acha mesmo? -desafiou.
Eu: Acho.
Zayn: Então vamos ver. -eu ri. Logo vimos seus amigos imbecis surgirem no meio daquela multidão. -Hey dude. -se cumprimentaram descontraidamente e os caras me secaram na maior cara de pau.
Frank: Uhm, você tá uma gracinha...
Eu: Vai se danar. -eles riram. Já estavam todos bêbados.
Jack: Cara, você demorou demais aí a gente já começou a beber. Pegamos uma mesa e umas meninas mais ou menos pra lá. -apontou e Alex bateu em sua mão.
Alex: Não, é pra lá eu acho. -revirei os olhos. -Que foi princesa, tá incomodada então tenta achar a mesa nesse inferno que tá a Marquee hoje. Falei para a gente ir para a Tryst outra vez, lá sempre tem as melhores vadias. -Zayn ria tirando um maço de cigarros do bolso e pondo na boca com um sorriso estonteante, eu evitei olhar pra ele. Eles disseram tantas coisas enroladas e depois simplesmente começaram andar em direção a mesa na direção que achavam estar correta, Zayn me puxou pela mão fazendo a minha esquentar e pura adrenalina foi produzida em todo meu corpo, por um momento parecia que aquela cena jamais seria possível enquanto íamos esbarrando nas pessoas até chegar numa das mesas perto do enorme e lotado bar. A música parecia cada vez mais enlouquecedora e as luzes de todas as cores contornando a pista de dança na qual aquelas pessoas perdiam completamente a cabeça dançando como se não houvesse amanhã. Eu as invejava mesmo sabendo que poderia fazer aquilo depois de algumas doses...

Ao chegar na mesa contornada de neon lotada de bebidas vazias, os caras apresentaram as garotas quase peladas a Zayn que sorria de um jeito que eu nunca tinha visto, haviam alguns pacotes com Jack e ele sentava ao lado do mesmo para vê-los enquanto conversavam sobre algo. No meio de tanta gente eles ficavam com aqueles pacotes quase a mostra, sem medo algum, como se fosse completamente normal. Os caras levantaram copos cheios comemorando a sua provável entrada para o mundo do "tráfico", eu simplesmente não conseguia acreditar naquilo. Nem parecia aquele Zayn Malik das fotos de criança que a mãe de David me mostrara uma vez, o garoto que sua família alegava ser quieto, sempre na dele. Não era aquele descontraído com sorriso de ponta a ponta em volta de mulheres e bebidas. Bati nas costas de Zayn fazendo um sinal de que eu ia para o bar já que com certeza não queria ficar ali. Com dificuldade consegui pegar um lugar vago no balcão e chamei um dos barman que atendiam rapidamente as pessoas viciadas em álcool. Passei meus olhos pela pista de dança que brilhava mudando de cor, os auto falantes gigantes pareciam querer explodir a qualquer hora. Ignorei o fato do cara ao meu lado direito estar cheirando cocaína ao meu lado, em cima do balcão.

Eu: Oi! Me vê uma tequila?-pedi alto. Aquela gente empurrava demais.
XXX: OH PORRA, VAI CHEIRAR ISSO EM OUTRO LUGAR! SAÍ DO MEU BALCÃO!-uma garota nova disse batendo no cara ao meu lado com um pano. Estranho uma mulher atendendo no meio daquele monte de barmans. -Oi moça, o que?-disse parecendo meio estressada.
Eu: Uma tequila!
Ela: Ok, um minuto!-atendeu algumas pessoas na minha frente. Suspirei com as mãos na cabeça e ouvi um som que parecia uma voz perto de mim.
XXx: Oi!-virei levantando a cabeça. -Tá sozinha?-pediu o rapaz dos olhos azuis que não parecia ter mais de 23 anos.
Eu: Oi, mais ou menos...Foi mal, eu estou esquecendo um cara, não estou afim de me envolver com ninguém hoje.
XXx: E nem amanhã?-virei séria pra ele.
Eu: Sério, tá brincando?
XXx: Sim, só estou brincando. -disse bem humorado. -Posso sentar aqui?-assenti e a garota veio com a minha bebida. -Ahm...Débora?
Ela: Cara, vai cheirar lá fora, no banheiro, sei lá!-disse ao viciado ao meu lado que ainda não tinha saído dali. Ele agora levantou a xingando. O garoto dos olhos azuis estalou os dedos na frente dela. -Logan? Ah não, vai embora daqui. -disse indo atender outra garota depois de pegar o dinheiro que lhe dei.
Eu: Vocês se conhecem?
XXx: É, costumávamos. Nenhum cara imbecil deixa de passar pelo Marquee sem conhecer "a única garota do bar"-fez aspas com as mãos.
Eu: É bom conhecer alguém que está passando pela mesma tragédia amorosa.
XXx: É, ou você achou que os jovens vem pra cá se destruírem porque querem?
Eu: Achei que se chamasse diversão.
XXx: Chame de como quiser. -disse rápido me fazendo rir.
Eu: Já vou, legal te conhecer. Boa sorte. -pisquei e ele acenou assim que tomei distancia do bar, tomei um gole da minha bebida e a senti a bebida descer gélida, eu estava desacostumada a beber, me divertir, perder o controle.
Jack: Não, mas sério, aí eu fui pedir uma vodka e um dos barman me deu num copo com esse canudo escroto de pênis. Não é sério! O canudo é de pênis mesmo. -todos na mesa riam sem parar- Eu amo essa cidade. -eu estava rindo ao me debruçar para olhar o copo dele. Realmente Jack estava tomando em um canudo bizarro de Las Vegas. Logo começou uma competição de dança no meio da pista, continuei bebendo enquanto todos gritavam ao som da música para as participantes, aquilo era demais. Ficamos assim por um bom tempo até que acabasse e todos voltassem a fazer exatamente o que faziam antes: qualquer coisa que lhes desse na cabeça. Eu estava conversando com as garotas vulgares na mesa, alguém ali tinha estourado um champanhe bem perto de mim e eu gritei causando mais euforia ao meu redor. Me levantei da mesa e dei um tapa no rosto do Alex depois que ele tentou colocar a mão na minha coxa. Zayn que tinha saído por um minuto voltou com os bolsos aparentemente fartos.
Eu: Onde você estava?-pedi aos risos já sabendo a provável resposta.
Zayn: Vendendo mercadoria, querida. -sorri perto dele que sentou, e antes que eu pudesse faze o mesmo, vi o cara dos olhos diamante chegar perto da mesa e segurar meu braço. Bastou para Zayn se levantar. -Caí fora cacete. -o moreno riu.
XXx: Qual é o seu problema, babaca?
Zayn: Pelo jeito está querendo que eu seja o SEU problema.
XXx: Você é o dono dela?-confrontou Zayn.
Zayn: Mais ou menos, eu praticamente a comprei. -eu gargalhei.
XXx: Que absurdo, eu só quero saber se você quer dançar e...-Zayn afastou o casaco vermelho mostrando a arma na cintura e o garoto me soltou.
Zayn: Caí fora agora.
XXx: Eu não sabia que...ahm...desculpa aí, dude. -Zayn o encarou ir embora e eu o olhei indignada tentando acreditar no que tinha acabado de acontecer. -Que porra, você tem que ter uma arma para ser respeitado.
Eu: E você não tem. E nem é meu dono. -ri.
Zayn: Eu te falei que não ia deixar ninguém tocar em você se não quisesse?
Eu: Exatamente, eu não falei que não queria seu otário. -fiz uma careta perto dele que riu apertando o esqueiro, mas eu tirei o cigarro de sua boca antes que o acendesse e coloquei na minha. -Se enxerga um pouco. -saí dali ouvindo-o resmungar algo e então consegui alcançar o garoto do outro lado do bar sentado sozinho. Joguei aquele cigarro for. -Me desculpa por aquilo, ainda quer dançar?
XXx: Ahm, não vamos ter problemas? Pelo visto seu namorado passou na fila dos palhaços umas vinte vezes. 
Eu: Não, ele não é meu namorado!-ri o puxando para a pista de dança. Agora em uma das minhas mãos havia uma garrafa de uísque forte, estávamos nos mexendo no ritmo da música agitada e eu ria com seu jeito fofo. De vez em quando não podia deixar de tentar enxergar a mesa daquele problemático, ele estava conseguindo vender muitas drogas com Jack e Alex, se esfregava nas garotas a todo o tempo. Mas eu estava me divertindo muito, era como se pudesse me ver do teto da boate girando e dançando como uma louca como todos. -Hey, qual é o seu nome?
XXx: Logan, e o seu?
Eu: SeuNome. -ele sorriu. Seu sorriso era uma mistura de doçura e perversão, uma combinação estranha mas que nele ficava extremamente bem. A garota do bar devia ter tido sorte. As pessoas a nossa volta subiam nas mesas e faziam coisas inesperadas, gritavam frases estranhas e enroladas. 
Logan: SeuNome, você quer ir para um lugar mais reser...-sua frase foi interrompida ao cambalear para o lado. Quando voltou a ficar reto, sua mão estava num dos olhos enquanto o mesmo reclamava de dor. Zayn havia o socado deixando uma marca roxa em volta de seu olho. Eu o olhei sem graça e apenas saí andando de perto deles, Zayn veio atrás, eu estava a um passo de acertá-lo na cara. 
Eu: Para com isso seu doente! Você...você me deixa doente!-ele riu provavelmente também embriagado. -E louca igual você. 
Zayn: Que foi? Ficou brava porque eu não disse que você estava linda antes de saímos? Ou foi porque eu fiquei com outras garotas em vez de ficar só com você?-disse ironicamente. 
Eu: Por que diabos eu ia me importar com isso?
Zayn: Porque você gostou de me beijar. -eu ri. Ri alto. -E se quer saber, eu não sei mesmo tratar uma mulher, nem sei consolar, pra mim a melhor cura para os problemas é estar solto no mundo, tomando um porre, se divertindo, enchendo a cara porque por uma noite funciona. Eu não sei expressar o quanto você estava bonita. Então tanto faz, desculpa.
Eu: Você está bêbado, cala essa boca.
Zayn: Foda-se, amanhã você vai continuar sendo bonita. -balancei a cabela deixando de encara-lo. O que significava tudo aquilo? Nada? -Aquele cara vai ficar bem. 

O encarei feio. Voltei para mesa e Zayn me seguiu. Lá todos estavam indo a loucura, peguei algumas bebidas deixadas na mesa e eu simplesmente não lembrava mais o que era ter estar com o coração partido. Ficamos mais algumas horas naquilo, os caras estavam dançando com algumas garotas e pagando bebidas com o dinheiro que ganharam e Alex me tirou para dançar depois do consentimento de Zayn -mesmo que eu não fizesse o que ele mandasse- e depois voltamos a fazer bagunça e olhar aquelas coisas incríveis, fizeram ao lado da nossa mesa uma fonte de champanhe na qual Frank colocou a boca na hora e o empurraram de lá, Danny estava tirando fotos com os peitos das garotas e eu só ria daquilo até minha barriga doer. Eu percebia os olhares de Zayn. O encarava tentando me manter sentada. Ele me puxou para perto e afastou meu cabelo aos poucos que eu parava mais um criso de riso por algo que via ou ouvia a minha volta. 

Zayn: Como se sente? -sussurrou e eu sorri. 
Eu: Não quero voltar nunca mais...-mordi o lábio e ele me encarou bem de perto. Droga, eu estava perdida de novo naquela bendita imensidão chocolate novamente. E pela segunda vez eu estava pensando na frase que me atormentou mais cedo, e assim, tão sem querer, achei a resposta. 
"E por mais que eu odiasse Zayn, seu jeito de ser, viver e tratar a vida, eu mal sabia pensar comigo mesma como era star com ele. E eu queria me poupar disso pois não valia a pena." A vida é imprevisível. E talvez algo impensado valesse a pena. Não que ele valesse. Mas eu sabia como me sentia. Era como tentar respirar de baixo d' água, sentir a brisa no seu rosto estando em alta velocidade, ver um nascer do sol, rir até a barriga doer ou pisar na lua, era se sentir um desastre e febril. A questão era, ele me deixava doente.
Antes que eu aproximasse mais meu rosto, alguém parou na frente da mesa.

XX: Malik?-Zayn virou.
Zayn: Sim?
XX: Sr.Payne quer falar com você. 


CONTINUA...
Helou Pipow. 
Vocês viram que eu mudei meu nome no Google Plus? Vou assinar aqui no blog como Lizzy Russo, ok? Então não se assustem que sou eu. Uma de vocês disse pelo Twitter que não conseguia me achar nas outras redes sociais, então eu vou deixar aí embaixo as que eu lembrar caso alguém tenha algum recado, sugestão ou só queira bater um papo com essa doida aqui, porque eu sei que vocês gostam de mandar pela ask.fm que é mais fácil igual a minha irmã faz, mas eu já vou providenciar a minha que eu dei um jeito de estragar. 
EEEEEEEEEEE
4 ANOS de gostosura, talento, risos, choros, felicidade, aperto no coração, loucura. Nem dá pra acreditar que já fazem 4 anos que surgiu a banda que mudou completamente a minha vida e de milhares de pessoas, sinto como se fosse ontem eu assistindo pela primeira vez os videos diary. A banda que perdeu o X factor e ganhou o mundo. Com muito orgulho dos nossos ídolos e do nosso fandom, espero que venham mais 10, 20, 30 anos! haha, não é fácil amar esses gays mas a gente faz tudo por eles, não é? 
Happy 4 years One Direction!
Via: dagem.
-Lizzy

11 comentários:

  1. Ameeeeiiiii
    Só posta bem mais rápido da próxima vez okay?
    Lizzy pk vc nn faz um grupo no whats c as suad leitoras??
    Eu participaria *-*
    Beijos :*
    XxTah

    ResponderExcluir
  2. Puta que pariu! Ta perfeito! A SN é determinada, fofa, ela é diferente daquelas SeuNomezinhas idiotas e comuns, sabe? Ela é perfeita! O Zayn é super fodaaaa, hsuahs, acho que ele ta interessado na SN. Coitado do Logan, levou um na cara, achei injustiça mas fazer o que né...Achei o jeito da Déborah fofo aww. E os canudinhos de penis? ashauhsuahsu gritei com essa. Muito engraçado a sua fic!!!!!!! Gelei com o final, vishhh
    xxx CONTINUA OU EU MATO VOCÊ-TE AMO

    ResponderExcluir
  3. aaaaaaaaa continua está perfeita! mds....eu ri alto com o canudinho de pênis kkkkkkkkkkkk :p mais continua logo plis se nn eu morro!!

    ResponderExcluir
  4. Aaaaaaah continua mulher tá Perfeito,tá divo, tá demais, essa fic e de lacra o cu das inimigas :3

    ResponderExcluir
  5. 4 anos já?? kkkkk morta com o seu via: dagem

    ResponderExcluir
  6. que perfeição é essa? Mds para com isso é humilhante pros outros blogs esse fic pisa humilha samba
    te amo e amos seus fics eu to shippando esses dois desde o prólogo já.
    Continuaaa

    ResponderExcluir
  7. Canudinho de pênis ashuashuashuashua esse Jack e esses amigos do Zayn me fazem rir demais amo BOM continua!

    ResponderExcluir
  8. AAAAAAAAH CRLHO " Mas eu sabia como me sentia. Era como tentar respirar de baixo d' água, sentir a brisa no seu rosto estando em alta velocidade, ver um nascer do sol, rir até a barriga doer ou pisar na lua, era se sentir um desastre e febril. A questão era, ele me deixava doente." essa parte me fez chorar demais, eu tava ouvindo ed sheeran ainda scrr esse fic é ar, terra, chão

    ResponderExcluir
  9. Nss
    Abandonaram o blog :(
    #Xatiada

    ResponderExcluir