Badboy of' Mine - Capítulo 8

| | |

- Maldito fumante


SeuNome P.O.V's

Havia um gosto muito ruim na minha boca. Foi a primeira coisa que senti antes mesmo de abrir os olhos que pareciam colados, e logo em seguida um balanço me jogou rapidamente para cima e meu corpo se levantou indo para o lado, eu apenas abri a boca sem conseguir controlar o vômito quando ouvi gritos masculinos ao mesmo tempo fazendo-me assustar na mesma hora. Eu olhei para frente coçando os olhos para finalmente enxergar ali aqueles delinquentes amigos de Zayn, mas o que eles estavam fazendo ali? Aquilo era um...carro? E eu tinha vomitado atrás do banco. E eu estava deitada no banco traseiro, pelo que parecia tinha dormido ali. O porquê me incomodava. Analisei rapidamente a minha volta, minha cabeça latejava tanto que eu não conseguia continuar deitada, e eles me olhavam mas não com a mesma surpresa que eu os olhava. Antes que abrisse a boca novamente, fui interrompida por mais um grito de desespero.

- Não vomite!-um dos loiros disse. Os outros estavam rindo. Eles sempre estavam. E eu só queria perguntar o porquê de estar ali, mas não havia ninguém confiável que fosse me responder a verdade sem me zombar ou fazer coisas piores. Eu sentei no banco, afastada deles que ainda me olhavam. Haviam garrafas vazias de cerveja jogadas por todos os lados.
XXX: Dá pra vocês pararem de gritar? Eu vou bater esse carro. -uma voz conhecida disse e eu olhei para frente vendo Zayn ao volante.
Moreno3: Na verdade ele já quase bateu umas trinta vezes de madrugada. Mas nada com que se preocupar. -sorriu macabro pra mim. -Essa filha da puta vomitou no meu carro.
Moreno1: Caralho, eu falei que era péssima ideia o Zayn trazer o cachorrinho do irmão junto com a gente e ainda deixar ela atirada no banco de trás de ressaca.
Loiro2: Eu só não achei que fosse vomitar no minuto em que acordasse. -eu olhei pela janela vendo as árvores atrás do acostamento borradas na velocidade em que estávamos.
Eu: Onde estamos?-de repente todos apenas se calaram e ficaram me encarando. Um dos caras puxou algo com as mãos e eu vi que era uma peça de roupa. Na mão do outro ao seu lado estava a minha bolsa preta na qual eu tinha saído ontem aberta, ali eu percebi que tinham várias coisas minhas. 
Eu: Ei! Isso é meu, não toque nisso!-ele levou uma calcinha ao nariz e cheirou, eu fiz careta e ele guardou novamente. Era aquela da casa do David que nos fez brigar e eu coloquei na bolsa junto com as outras roupas. -EU PERGUNTEI ONDE ESTAMOS!
Zayn: Nevada cacete!-quase gritou do volante.
Eu: E o que eu estou fazendo aqui?-pus a mão na cabeça que doía. Eu estava ficando desesperada de estar tão longe de casa. -Ou melhor, com vim parar nesse carro com vocês, eu...?
Moreno2: O Zayn te trouxe por impulso, nós saímos da boate de madrugada e estava todo mundo muito bêbado, ele te jogou no carro e aqui estamos. -riu dizendo em tom de piada, como se tudo fosse uma brincadeira.
Eu: Eu não acredito! Só pode ser piada!-me desesperei ainda mais em lembrar que hoje era segunda. -Meu emprego!
Loiro1: Que foi gatinha? Tá afim de brincar com a gente já, é?-Malik riu.
Eu: ZAYN PARA ESSE CARRO AGORA QUE EU VOU TE MATAR, EU VOU ARREBENTAR ESSA SUA CARA! EU TINHA QUE COMEÇAR HOJE NO EMPREGO NOVO! FILHO DA PUTA!-parei de falar ao ver um dos caras pegando outra coisa na minha bolsa que ainda estava com eles, que quando ele levantou vi que era meu passaporte e meus documentos. -NÃO, POR FAVOR!- ele sorriu e rasgou meu passaporte no meio, depois em vários pedaços, eu ataquei-o com tapas e socos em seu peito e ele só ria em vez de sentir dor. -Filho da puta! Me dá isso!-tentei desesperadamente pegar de sua mão o resto dos meus documentos, mas ele jogou para outro cara que estava sentado no banco afrente de nós no carro. Eu tentei pegar deste mas ele e os outro três caras ali ficaram jogando meus documentos para cima, um para o outro me fazendo de "bobinha". Quando parou novamente no primeiro cara, ele rasgou minha identidade e os outros documentos todos juntos e gargalhou em seguida.
Moreno2: Isso é tão engraçado, agora você não existe mais. -eu me esquivei no banco, minhas bochechas ardiam de raiva, eu devia estar muito vermelha, queria chorar e gritar na cara dele, mas não sabia se contia isso por medo de levar um tiro. Agarrei minha bolsa e me afastei ao máximo de todos eles no banco do carro enquanto os caras me olhavam estranhamente, pareciam estar fazendo expressões de desejo o que me fazia acha-los ainda mais repugnantes.
Eu: Zayn, eu quero ir para casa.
Zayn: Regra número um do Malik gostoso: Não peço desculpas pelo que faço quando estou bêbado e dois, não dou a mínima para o que uma garota quer. Ou seja, não vou dar a porra da volta nem se a minha vida dependesse disso.

Eu queria que o carro tivesse batido quando eu estava dormindo.

Eu: Você...-eu ia esbravejar, mas aqueles delinquentes estavam me olhando e eu não ia passar por maluca. -Assim que chegarmos eu...vocês vão me deixar voltar para casa?-eles riram.
Loiro1: Hm, nós estamos pensando, gata.
Eu: Eu prometo que não conto a ninguém sobre vocês, eu prometo.
Loiro2: Olha só gente, ela não vai contar. E eu aqui morrendo de medo! -eles riram e continuaram a beber.
Eu: Zayn!
Zayn: Tá caralho, tá! Pode voltar pra sua vidinha patética assim que a gente chegar. -assenti mesmo que ele não pudesse me ver.

Eu estava espremendo meu corpo na porta do carro para ficar o mais longe possível de todos eles no restante do caminho. Mesmo assim, com mil coisas na cabeça que definitivamente me incomodavam e com a ressaca que só piorava com os movimentos do carro, eu não conseguia deixar de ficar encantada com a visão da minha janela. Las Vegas era tão maravilhosa quanto eu tinha visto em fotos, mesmo de dia, o que me fazia ficar imaginando como seria anoite. Eu lutava contra a vontade de ficar para vê-la naquele jeito, coberta por luzes e perigosamente diferente de qualquer cidade do mundo. Mas eu estava ali contra a minha vontade, graças ao pior insolente que eu tive o desprazer de conhecer.
Em menos de vinte minutos, o carro estacionou em frente a um hotel bem movimentado para aquela hora. Eu estava a ponto de vomitar. Minha cabeça latejou novamente de ver meus documentos picados na minha bolsa, o que me fazia ter dificuldade de avançar no amiguinho de Zayn para bater assim que eles desceram do carro seguidos de mim. Todos entraram no hotel e eu tomei distancia deles, procurando um banheiro imediatamente. Assim que achei um bem perto da porta, fiz minhas necessidades e lavei bem meu rosto, principalmente minha boca e fui olhar meu celular, haviam várias mensagens de David perguntando onde eu estava, haviam chegado a algumas horas. Saí do banheiro com outras mulheres distraída discando o número de David e bati de frente com um corpo maior do que eu. Xinguei rapidamente tomando distancia e fechando a cara para Zayn.

Zayn: Ligando para a mamãe?-disse com o sorriso cafajeste no rosto. -Nem se preocupe, eu liguei para o David vir te buscar quando estava na estrada. Ele vai chegar daqui uma hora mais ou menos, acho melhor você ficar na frente do hotel esperando. -lhe medi de cima abaixo com nojo dele. De suas atitudes de merda.
Eu: Você é a pior pessoa que eu já conheci.
Zayn: Obrigado. -sorriu novamente. Ele ficava mais irônico e diabólico em Vegas? -Não precisa me agradecer, te salvei de novo. -meu sangue ferveu.
Eu: Salvou? Você se embebedou e me trouxe pra cá desmaiada contra a minha vontade, seu amiguinho rasgou meus documentos por diversão e eu vou perder meu emprego porque não fui no primeiro dia! Você é um irresponsável, babaca, playboyzinho de merda, desgraçado e filho da puta, eu quero acabar com você!-lhe empurrei e soquei seu peito, seu pescoço e o empurrei novamente. Ele apenas riu e eu vi que estava me descabelando por nada. Não ia resolver, só ia diverti-lo. Mas a raiva que eu sentia, não desejava pra ninguém. Comecei a andar para fora do hotel que estava cheia de pessoas circulando, e encostei na parede olhando meu celular e tentando lembrar do que ia fazer até ver a figura desagradável do Zayn vindo até mim e parando do meu lado.
Eu: Vá fumar pra lá, não suporto esse cheiro.
Zayn: Eu sempre venho fumar aqui. Eu também conheço Las Vegas e você não. -olhava para frente ao falar- Esse é o meu lugar preferido no mundo -me olhou-, essa cidade é MINHA, gostosa. -eu fiz uma careta diante de seu comentário.
Eu: Então fique com ele. -fui andar em direção ao estacionamento e ele balançou a cabeça fazendo um barulho negativo. -O QUE?
Zayn: Eu sempre vou fumar aí também.
Eu: Então vou lá dentro, duvido que deixem você ficar na recepção.
Zayn: Sabe, eles não conseguem me pegar porque sou mais rápido. -sussurrou-Mas também fumo lá. -me encostei na parede olhando o celular, acabava de chegar uma mensagem de David dizendo que estava chegando. -Você devia saber o nome dos meus amigos, afinal, eles já te fizeram tanto mal, não é?-disse com uma expressão miserável, não me deixava saber se era feliz ou debochado. Apontou com a cabeça para o estacionamento onde estavam os outros delinquentes que acabavam de derrubar um carrinho e dois deles limpavam o meu vômito do banco de trás do carro. -Aquele é o Danny- apontou o loiro -, o Jack, Alex, e Frank. -ficou os olhando e agora estávamos em silencio. Eu queria, mas não conseguia não olha-lo de vez enquanto pelo canto do olho.
Eu: Devo perguntar o que vocês querem tanto fazer aqui o tempo todo?-ele me olhou mas não respondeu, em vez disso, soltou uma baforada. -Zayn Malik, cheio de segredos. -o fiz rir. -Não vai me responder? -inspirei- Não me encara, eu odeio.
Zayn: Não gosta que te encarem em geral, ou só não gosta que eu faça isso?
Eu: Até gosto que me olhem. Mas você não. -disse em tom irônico e ele mordeu o lábio inferior.
Zayn: Você é tão sexy sendo assim...-arranquei o cigarro de sua boca e joguei no chão, pisando em cima.
Eu: E você é um maldito fumante. -ouvi uma buzina bem na minha frente que fez-me olhar para a entrada do estacionamento por onde haviam vários carros entrando e saindo ao mesmo tempo, mas meus olhos direcionaram direto para o de David que estava vindo rápido. Antes que eu pudesse ir até lá, Zayn segurou rispidamente meu braço. -Escuta aqui babe, a próxima vez que você arrancar o MEU cigarro da MINHA boca vou fazer você me chupar. -o olhei com desprezo e puxei meu braço da mesma forma que ele pegou.
O carro de David deu a volta no estacionamento e parou bem na nossa frente. Eu estava um pouco mais calma agora. Tentei novamente não olhar para Zayn e entrar no carro para ir embora logo. Mas David saiu me surpreendendo e vindo até nós antes, eu não pude ter nenhuma reação ao vê-lo acertar um soco certeiro no rosto de Zayn que o fez tombar.
David: Não leve a mal. Você mereceu, o que estava pensando? -disse balançando seu punho no ar para fazê-lo parar de doer.
Zayn: Tá, foda-se. Eu mereci. -disse ficando de pé novamente. -Leva essa vadia pra casa, ela só dá problema. -me olhou feio e saiu andando em direção aos caras.
David: Você está bem?-eu respirei fundo, ele parecia ainda tentar fazer a mão parar de doer.
Eu: Obrigada por ter vindo. -ajeitei minha bolsa no ombro e ele me encarou.
David: Eu não sei você, mas quero subir um pouco.

[...]

Eu só queria passar quanto menos tempo possível naquele lugar. Cheguei a dizer várias vezes ao David que não era uma boa ideia nós pegarmos um quarto, mas ele estava insistindo dizendo que ficaríamos só um pouco, ele precisava se acalmar da viagem e nós podíamos pegar a estrada em algumas horas. Na recepção eu o esperei ir pegar a chave de um quarto, sabia que era difícil reservar um quarto de ultima hora e talvez nós não conseguíssemos o que era no fundo o que eu queria. Era bom saber que o Zayn ia ficar ali em Vegas e nós íamos ficar em completa paz em San Diego por um tempo, mas eu só queria ir embora dali naquela hora. Não fiquei muito contente quando David voltou com a chave e nós fomos esperar o elevador que acabava de abrir, assim que entramos, fechei a porta antes que as outras pessoas entrassem. Bufei cruzando os braços e olhando para frente.

David: Que foi, SeuApelido?
Eu: Nada Malik, nada. -bufei de novo.
David: Sei, o que eu fiz? Você queria ter ido direto pra casa, é isso?
Eu: É que...eu estou com medo de perder esse emprego e ter que voltar para a lanchonete.
David: Olha, a gente fez burrada de se embebedar ontem, foi irresponsabilidade nossa! E eu já bati no Zayn por ele ter te trazido aqui. Mas quer saber? Você não foi no primeiro dia mesmo, então não vai fazer diferença nós ficarmos algumas horas. Eu só quero deitar um pouco, ta legal? Prometo que aí nós vamos embora.
Eu: Ok, tem razão. -suspirei me encostando na grade do elevador. -Vamos ficar um pouquinho.
David: E eu...sinto muito pelos seus documentos, nós tiramos outros..-assenti, as portas se abriram e eu saí, David veio logo em seguida, comecei a procurar 204 pelo corredor largo e extenso. Não parecia muito fácil de achar, David foi na minha frente e andamos até o final do corredor até finalmente achar a porta. Passou o cartão em um sensor de ultima geração e entramos no quarto. Ele era enorme e tão lindo quando via nos filmes. Ou até, melhor. Ele abriu um enorme sorriso soltando o casaco num canto e eu mesmo aborrecida, tentei parecer feliz por estarmos ali. Eu nunca havia ido á Las Vegas e mesmo eu ter achado essa a PIOR maneira de conhecer o lugar, nós poderíamos descansar antes de pegar a estrada de volta.
David: Uau!-se jogou na cama como um garotinho e começou a pular com os joelhos. -É tão fofinha! SeuNome, você tem que experimentar! Ai meu Deus, eu estou muito apaixonado por esse quarto!
Eu: Mais uma vez, me trocando. -David deu um pulo da cama e me pegou pela cintura. O empurrei mas acabei por só por cair sentada na cama e em cima dele. -SAI DAVID!
David: Não! Me conta o que foi ciumentinha.
Eu: Ai, deixa de ser idiota. -lhe dei um tapa no ombro.
David: Não foi só ter vindo aqui e o emprego, ainda está brava por causa das roupas?
Eu: Talvez. 
David: SEUNOME!-me virou na cama ficando por cima de mim. -Eu amo você.
Eu: Mentira David.
David: Verdade amor. -senti seu toque no meu rosto. -E sabe de uma coisa?-falou baixo.
Eu: Ahm?
David: Nós já namoramos a um mês e ainda não fizemos amor, a gente só se agarra, percebeu? -eu fiquei muda e o selei para que ele não falasse. Eu não sabia bem se queria.
Eu: N-não David.
David: Por quê?
Eu: Sei lá. Alguém um dia me disseram que namoro sem sexo é respeito.
David: Devia ser uma velha de sessenta anos virgem, né?-eu ri.
Eu: Não! Foi a minha mãe seu boiola! -ele riu e fez força para frente, colado no meu corpo. Eu ri pelo nariz sentindo que ele estava animado. -Para Dav. -Ele fez força para frente de novo fazendo com que eu abrisse as pernas ficando uma de cada lado de sua cintura. Prendi meus pés em suas costas e isso fez minha intimidade esquentar, David começou a ir para frente e para trás simulando uma penetração, eu ri sentindo que estava ficando bem excitada. Seu corpo deitado em cima do meu, nós estávamos completamente colados. Ele se mexia para frente e para trás fazendo sua ereção tentar me penetrar por cima das nossas roupas, eu gemi ao sentir que uma hora ele quase conseguiu. Sexo com roupa? Isso era bizarro e hilário. Minhas mãos estavam em seu ombro, eu estava segurando para não rir.
David: Vai SeuNome, grita. -disse rindo e eu gemi enquanto ele entocava mais forte, cada vez mais forte e rápido. Então nós nos soltamos na hora, assim que eu senti um gelado na minha entrada. David estava de pé na frente da cama olhando para sua calça toda molhada de ereção. Eu comecei a gargalhar sem parar, ele fez cara feia tentando não rir também e acertou uma almofada na minha cabeça. Enquanto eu ria ainda mais, David foi para o banheiro e eu levantei tirando aquela calça e colocando um shorts que estava junto com as coisas na minha bolsa. Em seguida, olhei a janela enorme que tinha no quarto, a vista era sensacional. Os prédios eram praticamente colados uns nos outros e do quarto em que estávamos dava para ver bem de cima as fontes na parte da frente do hotel que desaguava numa enorme área cercada por palmeiras. Eu tinha que concordar que aquele lugar era um sonho de primeira vista. 
David: Se eu te falar, você vai querer me matar. 
Eu: Eu já quero te matar por ser irmão daquele imbecil e...-disse sem pensar. 
David: Você só pensa nele, SeuNome. -o clima ficou estranho. -Eu sou mais do que irmão do Zayn Malik se quer saber. 
Eu: Me desculpa, estou com tanta coisa na cabeça...Mas me diz o que é. 
David: Será que você não quer descer e...
Eu: Se for o que eu estou pensando, pode esquecer!
David: Mas estamos em Vegas, SeuNome! Quem vem pra cá e não joga?  
Eu: Você falou que ia descansar para pegar a estarda. 
David: Exatamente. -saiu do banheiro com a parte da frente da calça branca e deitou na cama. Eu comecei a rir sem conseguir controlar. -Que foi? É talco! A gente descansa enquanto espera a minha calça secar e aí a gente desce. -riu. -Jogamos um pouquinho e vamos embora. 
Eu: Ah! Você não vai querer que eu concorde com isso!-deitei do lado dele. 
David: Eu prometo que vai ser rápido, até anoite nós já chegamos em San Diego. -fiz careta e tentei fechar os olhos um pouco.

Não conseguimos ficar nem dez minutos deitados sem fazer bagunça. Então resolvemos descer e comprar algo para almoçar, e em seguida, descemos para o piso do primeiro andar. Seguimos para dentro do cassino enorme e lotado de gente onde ao lado esquerdo eu logo localizei o bar. Depois do almoço, eu só queria beber um pouco, mas não exagerar como ontem, claro. Perder mais tempo do que o necessário ali estava fora de cogitação. Eu e David seguimos para o bar e pedimos dois uísques cada um, fiquei observando as mesas cheias de gente jogando, apostando, perdendo e ganhando fortunas. Aquele sim era um mundo bem legal, diferente de tudo que eu conhecia. Estávamos bebendo e conversando descontraidamente e eu poderia dizer que estava ótimo estar ali.

David: SeuNome, vou pegar o dinheiro para comprar fichas.
Eu: Fichas? Quer jogar agora?
David: Quero amor, claro. -as mesas lotadas- Nós queremos, né?
Eu: Sei lá, eu nunca joguei antes. Esses caras parecem meio mal encarados. 
David: Tanto faz amor, ninguém perde coisas importantes aqui.
Eu: Tem certeza?-ele pegou as minhas duas mãos com cara de quem queria alguma coisa. 
David: É claro. Vai, vamos lá SeuApelido!
Eu: Beleza, vamos então. 

Eu fiquei com umas mulheres ali esperando no bar enquanto meu namorado subia para pegar mais dinheiro. Eu só rezava para que ele não pegasse tudo porque eu morria de medo daqueles filmes em que a pessoa está confiante demais e aí perde tudo, não tem nem mais onde morar. Em alguns minutos, ele desceu. Fez um sinal para mim que ia pegar as fichas e eu assenti de longe. Logo David voltou até mim com os braços cheios de fichas vermelhas. Eu sorri e fomos andando pelo cassino, os jogadores das mesas pareciam atraídos pela quantidade de fichas que David carregava por isso alguns faziam até sinais para ele sentar na mesma mesa que eles. Também, que ideia a dele. Sentamos em uma mesa que ele escolheu e que começava uma nova jogada. Eu estava ansiosa ao mesmo tempo que aflita. Mas não conseguia tirar o sorriso do rosto. 

[2 horas e meia depois...]

Eu nem fazia ideia de quanto tempo estávamos ali jogando na roleta. David jogava mais que eu, e na maioria das vezes ele acertava os números. Já estávamos com mais do quádruplo de fichas do que quando chegamos e ele e eu gritávamos como se estivéssemos ricos. Ou ainda mais. 

Jogador¹: Qual número senhores?
Jogador²: 15. -falou decidido e eu revirei os olhos zombando e David assentiu.
Jogador³: Qual amor? Será que eu jogo no 12?-sussurrou para a mulher loira ao seu lado e ela sussurrou algo para ele. -Não! No 16!
Eu: Queremos o 10. 
David: Não, dez não! Vamos no 08, amor. 
Eu: Não, não 10. Olha a posição dos dados e da bolinha, tenho certeza que vai parar no 10!-sussurrei a ultima frase e David me olhou bravo. 
David: Não SeuNome, vamos no 08. 
Eu: Que tal no 10?-disse irônica. 
David: Que tal no 08?
Jogador¹: Decidiram, casalzinho?-riu. 
David: Sim, vai ser no 10. -bufou e eu o olhei orgulhosa. Todos jogaram os dados e a bolinha ficou girando, girando demais...até parar no 10. 
Eu: RÁ!-pulei tentando gritar na cara de David. Ele sorriu largamente e me entrelaçou levantando-me no ar. 
Jogador³: Vocês não prestam!-fez um gesto engraçado com a mão. 
David: Na próxima rodada eu escolho. Os meus sempre ganham. E não me venha dizer que você acertou dessa vez, foi tipo, pura sorte. 
Eu: Vamos no 15. 
David: Hum...16, só pra te contrariar. -eu bati no braço dele e os outros escolheram. Jogamos e logo caiu no número de David. Ele comemorou pegando as fichas dos outros caras enquanto a esposa loira de um deles me olhava de cima abaixo. Recalcada, porque ela e o marido que não são o "casal sorte" desse cassino. Tivemos mais uns oito jogos e perdemos 3 para o jogador esquisito de barba e o casal idiota. 
Eu: Já chega, vamos para outra mesa. -falei alto por causa do barulho infernal em volta. 
David: Tá, tem razão. -olhou em volta procurando algo. -Oh amigo! Vem cá cara, me trás um carrinho por favor? Eu quero ir para outra mesa. -olhei para a direção que David olhava e um cara de uniforme que devia trabalhar ali assentiu vindo rapidamente até nós com um pequeno carinho prateado. Ele colocou as fichas ali e levou até a mesa que dessa vez eu escolhia. Eu olhei para David com um sorriso e apontei uma mesa com alguns lugares vazios, ele disse que era uma ótima ideia e aí seus olhos se desviaram para algum lugar na multidão infinita de cabeças. 
David: Ah não, ele de novo não. -bufou.

CONTINUA...
Genteeeeeeeeee
Eu sei que está chato, desculpa! Eu estou melhorando, no capítulo 9 e 10 as coisas vão mudar completamente de rumo e a ação vai começar. Digamos que a SeuNome vai ter que passar mais tempo com o Zayn do que gostaria. 

PS: Gente, o blog fez dois anos na segunda (16) mas infelizmente eu estava sem internet pra fazer um post como ano passado, então me desculpem. Eu estou muito feliz por já estar aqui a dois anos e três dias com vocês uashahaha. Tenho muito orgulho de ter conseguido tornar o blog o que ele é hoje e muito obrigada a vocês que tornam isso possível! Amo muito cada uma de vocês e parabéns Imaginação Directioner, meu bebê! kk Bjus!


11 comentários:

  1. Meu Deus! não preciso nem falar, né? Ta engraçado, perfeito, você explica muito bem as coisas e eu to pirando. Meu Deus, to muito ansiosa, continua loogoooooo! Por favor! Você é a melhor escritora EVER.
    CONTINUA

    ResponderExcluir
  2. Meu isso ta muito maravilhoso, ta perfeito, continua logoo

    ResponderExcluir
  3. amandooo *-*
    continua logo por favor

    ResponderExcluir
  4. Mds eu tô amando continua nessa linha eu tô me identificando porque sempre quando sonho com o zayn ele é desse jeito super badboy meio estúpido mas eu acabo amando ele do mesmo jeito

    ResponderExcluir
  5. Mds tá perfeito eu tô me identificando porque sempre quando sonho com o zayn ele é desse jeito super badboy meio estúpido mas eu acabo ficando com ele do mesmo jeito
    Você é uma ótima escritora uma das melhores fics que eu já li

    ResponderExcluir
  6. Mds eu tô amando continua nessa linha eu tô me identificando porque sempre quando sonho com o zayn ele é desse jeito super badboy meio estúpido mas eu acabo amando ele do mesmo jeito

    ResponderExcluir
  7. Amando, ai que perfeição! Minha diva voltou!

    ResponderExcluir
  8. Cara eu n sabia disso n, parabens atrasado, bem atrasado mas antes tarde do q nunca né kk Enfim cara eu achei que a Seunome e o David teriam uma noite hot heuheu pena que não rolou, continua não vejo a hora da Seunome ficar esse "indesejado" tempo com o Zayn
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
  9. *-* Continua! O David e A Sn não fizeram....ainda?! O.O

    ResponderExcluir
  10. Próximo...Ansiosa estou adorando!!

    ResponderExcluir
  11. E essq demora para postar hein ?? :////

    ResponderExcluir