Badboy of' Mine - Capítulo 7

| | |

- Luzes ao preto e branco


SeuNome P.O.V's

Obriguei Zayn a me deixar na casa do meu pai, e estacionar com uma quadra de distancia. Mas antes nós fizemos um juramento de não contar nada sobre o acontecimento surreal dele me salvar para o David. Eu estava trêmula, me sentindo exatamente como naquela noite, uma mistura de coisas ruins juntas. Assim que entrei em casa nem falei com a Meg -a vadia de apenas três anos amais que eu que meu pai se casou-, dei um rápido "oi" para a Clair que estava sorridente como sempre. Ela sempre me deixa feliz. Percebi que meu pai não estava em casa, e na verdade era totalmente normal porque o trabalho dele era difícil e ele apenas estava ali de manhã ou perto da madrugada. Pelo menos era assim antes de eu me mudar. Fui para o meu quarto e respirei fundo, peguei o celular e liguei para a polícia e eles já sabiam do assalto no banco e já tinham detido os caras, eu perguntei se as pessoas estavam bem e os baleados foram para o hospital e não corriam risco de vida, quando perguntaram quem eu era, desliguei. Rapidamente coloquei uma música alta para me acalmar do choque mesmo que eu soubesse que me recuperaria mais rápido do que imaginava. Eu era boa nisso. Recuperar.

Anoite, expliquei ao meu pai que me demiti da cafeteria, falei sobre o emprego na revista, que tinha sido contratada mas não consegui levar os papéis no banco -não falei nada do assalto-, e ele foi para mim anoite, agora estava tudo certo. Na segunda-feira eu ia começar. Falei com David e foi um pouco difícil não falar sobre o que aconteceu de manhã, mas eu consegui guardar segredo, assim como Zayn que pelo visto não falou nada. Pelo menos palavra ele tinha, eu esperava. Então David me veio com a ideia de comemorarmos meu novo emprego, meu emprego decente, tanto faz. Eu sinceramente não achei uma boa ideia, porque estava evitando sair de casa mas ele insistiu demais que eu não pude negar pela décima primeira vez.
No sábado de manhã, eu não pude evitar sair de casa, pois tive que ir comprar um celular novo. Acho que o ar da rua me fez bem, eu estava melhor. Durante a tarde e a noite, eu não fiz absolutamente nada, fiquei na internet e lendo algum livro, brincando com a Clair e só. Estava ignorando os telefonemas da Madison porque não ia mesmo voltar a morar com ela depois de todas as nossas brigas do mês, é claro que já havíamos brigado antes mas nunca tão sério assim. Eu não confiava nela. 
Quando o domingo chegou, tudo já estava combinado para sairmos. Iríamos na Ivy Nightclub que particularmente eu não conhecia, apenas já tinha ouvido falar embora nunca tive tempo ou vontade de ir lá. Quatro horas antes comecei a me arrumar, já que sempre demorava, tomei um banho bem demorado e após fazer o cabelo e uma maquiagem leve fui me vestir. Quando estava pronta, desci e fiquei esperando na cozinha. Meu pai entrou de pijama e pantufas ali e me olhou de cima abaixo ficando espantado.

Pai: Onde você pensa que vai?-bufei. Lembre do plano, SeuNome. Nada de discutir com ele se quiser sair.
Eu: Vou sair com um garoto muito legal...
Pai: Se for aquele imbecil do Malik, nem pensar. Sabe que eu odeio ele e sua empresa, maldita hora que fui fazer negócios com eles...
Eu: Não pai! Nada disso! Não é o Malik.
Pai: Mas eu achei que...-me olhava desconfiado. -Aquele dia da tal briga que você se envolveu ele que te trouxe aqui com a Madison, achei que vocês tivessem alguma coisa...
Eu: Não, ele é só um amigo dela. O cara que eu vou sair hoje quer até conhecer você, eu sei que vai gostar dele.
Pai: Hum, vamos ver. -deu a volta na cozinha abrindo a geladeira. Ouvimos uma buzina seguida alta lá de fora como se a pessoa que estacionou estivesse em ritmo de festa. Levantei indo olhar pela janela da cozinha, era ele.
Eu: Seja legal, pai. -ele assentiu segurando o riso. Eu estava torcendo para que desse tudo certo. A campainha rapidamente tocou e eu fui até lá, meu pai vinha atrás. -Oi Rick. -sorri.
Rick: Oi linda! Você está maravilhosa.
Eu: Ahm, obrigada. -virei para ele. -Pai, esse é o Rick, e Rick, meu pai.
Rick: É um prazer, senhor. -meu pai apertou sua mão e ele tremeu. Sabia que o aperto forte do meu pai ia fazer essa bicha estragar o plano. Eu o ouvi grunhir bem baixinho.
Pai: Meu também, para onde vai levar minha filha, rapaz?
Rick: Vamos jantar. Espero que não se incomode. -meu pai me olhou de rabo de olho e eu assenti.
Pai: É quase onze horas.
Eu: É que vamos num restaurante arábico e eles tem horas diferente.
Pai: Hum, sei.
Eu: Pois é, acho melhor a gente ir indo Rick. Tchau pai. -puxei Rick pela mão rapidamente louca para sair dali e meu pai acenou da porta.
Pai: Bom jantar pra vocês. -disse irônico e entrou, fechando a porta em seguida. Eu respirei fundo e Rick entrou no carro, no banco do carona e eu entrei no banco de trás. Assim que o carro começou andar senti David me beijar. Parti o beijo e me estiquei para frente para abraçar Rick.
Eu: Muito obrigada Rick! Salvou a minha pele.
Rick: Não foi nada, só estava segurando para não rir na frente do seu pai. -ri.
Eu: Que história era aquela de "Você está maravilhosa"?-nós rimos.
Rick: É assim que héteros falam?
Zayn: Exatamente, eu o ensinei o que falar no caminho para sua casa. -Zayn riu. Sim, Zayn infelizmente estava dirigindo, Rick do seu lado e eu e David atrás. Esse era o plano, já que meu pai odeia os Malik e o David por causa da briga que tiveram no hospital, não podia saber que eu ia sair com ele e ainda mais que namoramos a meses. Por isso pedi a Rick que fosse me buscar fingindo que íamos um encontro descente, aí David estaria me esperando no carro para irmos para a boate. Eu sei, está se perguntando o que Zayn está fazendo dirigindo. Acontece que por causa do castigo de sua mamãe ele não podia sair de casa sem o David, e então o fizemos de motorista em troca de uma noite de liberdade. Não é simples, eu sei. Mas conseguimos.
Eu: O importante é que conseguimos. -disse com um sorriso, sentindo a mão de David na minha perna.
Zayn: Ainda bem que os caras vão estar lá, porque de jeito nenhum que eu vou aguentar vocês dois. O acordo é, chegamos na boate e é tchau.
David: Lembrando que antes de amanhecer você tem que voltar para casa comigo, seu castigo ainda não acabou. -Rick riu ao lado de Zayn como se ele fosse uma criança e o mesmo o olhou feio. David me deu um beijo na bochecha e um selinho, que logo se transformou em um beijo maior, ficamos assim por algum tempo e eu não estava atenta ao que acontecia nos bancos da frente até...
Rick: Ah, é ali!-eu olhei desviando meu rosto de David, Rick apontava uma casa verde. Zayn diminuiu a velocidade quase parando na frente e Rick desceu, pegando seu casaco. -Valeu caras, boa festa pra vocês.
Eu: Obrigada de novo, Rick.
Rick: Que isso, prazer ajudar. -se distanciou após duas batidas no capô do carro que fez Zayn resmungar. Enquanto Rick acenava da porta da casa, Zayn já arrancava o carro com a maior grosseria o deixando para trás.
Zayn: GRAÇAS A DEUS! -bateu a mão no volante soltando o ar pela boca enfurecido- O cara ficava me secando!-eu e David rimos.
David: Acho que ele faz seu tipo.
Zayn: Acho que meu punho faz o tipo dos seus dentes. -agora eu que ri, e David ficou sério. -Se você não comer essa gostosa hoje, eu...
David: Cala essa boca Zayn, você sabe ser desagradável, hein. -eu olhava o movimento da rua pelo meu vidro. -Coloca uma música aí. -Zayn o fez, David me puxou devagar para o seu colo.
Zayn: EW. -disse alto. -Não quero ver isso não. -olhava pelo retrovisor. -E muito menos ouvir. -David me beijou de novo mesmo eu tentando afastá-lo com a mão e sussurrando que não era boa ideia. Zayn parecia estar entediado no volante, com cara de nojo e de alguma forma aquilo me incomodava. Nós o ignorávamos como sempre, meus olhos estavam fechados e minha mão no peito de David, ele me segurava beijando-me mas então em meio a escuridão eu senti a boca de Zayn na minha, quente e cafajeste se movimentando daquele jeito...eu estremeci, então abri os olhos vendo David e o afastando rapidamente ofegante.
Eu: Para!
David: Amor, o que foi?
Zayn: Caralho, vocês querem me fazer bater o carro?-eu sentei encostada na minha porta após David fazer um carinho no meu braço estranhando meu gesto tanto quanto eu. Fiquei quieta no meu canto olhando o movimento da rua com alguns pensamentos barulhentos, se não me conhecesse bem diria que cheguei a tremer ao lembrar do projeto de beijo com o Zayn, e pronto, agora eu estava febril outra vez. Eu devia estar muito louca para ter imaginado Zayn no lugar de David por um instante que fosse. Nojo de mim no momento. Respirei fundo sem que eles não notassem e agora o carro estava em completo silencio constrangedor.

Alguns minutos depois me desviei dos pensamentos sentindo David se mexer do meu lado, ele procurava algo desesperadamente nos bolsos da calça e do casaco, sua cara era péssima. Foi então que disse que tinha esquecido a carteira com os documentos e o dinheiro em casa, é claro que eu e seu irmãozinho cínico achamos ruim mas ele deu um cavalo de pau rispidamente por cima da calçada voltando com o carro, pegando a direção da casa deles o mais rápido possível. Zayn ficou esperando no carro após parar alguns minutos depois em frente a casa, eu desci em seguida que David dizendo que queria acompanhá-lo mesmo depois dele ter insistido pra mim ficar no carro. Mas com o Zayn? Preferia morrer ao ficar sozinha com ele.
    Subimos até o segundo andar e estávamos no quarto de hóspedes onde David procurava rapidamente nas gavetas da cômoda a carteira enquanto eu sentada na beira da cama me olhava no espelho grande a minha frente. Enquanto ajeitava o cabelo percebi algo azul caído atrás da cômoda, não sei porque fiz, mas por instinto talvez, alcancei vendo um shorts muito familiar enroscado numa calcinha escura. Espera...aquilo era da Madison?! Eu virei a cabeça encarando David até ele parar de mexer as coisas e achar a carteira colocando no casaco.

David: O que foi?-eu levantei o shorts com a mão jogando em cima da cama.
Eu: O que é isso?-pedi desapontada.
David: Uma roupa?-ele riu ironicamente, mas eu estava fechada.
Eu: Esse shorts é da Madison. -ele me encarava, e eu a ele. -Fala!-segurei a vontade de gritar.
David: O que você quer que eu diga?! Isso só pode ser brincadeira sua!

Eu: Não! Eu reconheço essa roupa, eu dei pra ela ano passado, tem uma calcinha enroscada aí. -eu não sabia como estava me sentindo diante daquilo. -Ela esteve aqui!
David: Você está ficando louca! -era isso, ele ia me chamar de louca?- Qual é, você deve ter emprestado dela e aí nós ficamos nesse quarto e você esqueceu.
Eu: Não, eu nunca empresto as roupas dela! David, não minta pra mim, se aconteceu alguma é bom você me falar antes que eu dê na sua cara. -senti meu rosto se contrair, eu queria gritar com ele sem parar. -FALA DESGRAÇADO, VOCÊ ESTEVE COM ELA?!
David: NÃO GRITA SEUNOME, VOCÊ SABE QUE NÃO!-eu o encarei. -Eu juro amor, você deve ter vindo um desses dias aqui com essa roupa e deixou aqui, você sempre esquece alguma coisa aqui, sabe que sim tanto quanto eu. -se aproximou devagar de modo que pudesse olhar bem pra mim e respirasse antes de dizer. -Não faça isso, eu te amo. Eu nunca te trairia, você é tudo pra mim e sabe disso.

Eu: David...se isso for mentira, eu...
David: Mas não é. Eu juro. -seus olhos me encaravam seriamente e eu fiquei alguns segundos lhe testando, ele não parecia estar mentindo por mais nervosa que eu tivesse ficado. Os dias foram estressantes, eu passei por bastante coisa e devo mesmo estar ficando paranoica com o David. Ele é praticamente tudo que eu tenho agora. -Vamos, a gente vai se atrasar. -me soltou indo até a porta e me chamando novamente com a cabeça, eu assenti e o segui.

[...]


As luzes estavam pulsando freneticamente na mesma intensidade que minha cabeça rodava. A minha volta haviam tantas luzes misturadas ao preto e branco e eu podia enxergar ao longe a caixa enorme na qual pulsava enquanto ao lado alguém deslizava os dedos por um disco colorido para trás e para frente da maneira como eu queria estar quicando no colo de alguém. Talvez alguma coisa na minha cabeça estivesse errada porque eu estava desconfiada, e quebrada, e com raiva. Mas não era porque eu era uma péssima filha, e não respeitasse muitas das escolhas da minha família, não porque eu tenha me mudado muito cedo de casa para ficar só e acabei por brigar com a minha melhor amiga e uma das únicas que eu já tive meses depois, nem por atrair azares, nem por viver tropeçando nos caminhos errados mesmo que agora eu estivesse comemorando algo que deu certo por eu ter feito algo direito, e sim por odiar alguém e ainda sim estar sem querer imaginando ele nos lábios de David naquele carro. Eu tremia de ódio por pensar nisso, e ele não havia me traído, mas eu estava muito viciada no meu namorado para duvidar dele por mais que minha cabeça estivesse doendo por isso.
             Ouvindo a batida frenética e altíssima de Halestorm, cheguei perto do bar com um sorriso no rosto ao lado de tantos outras risonhas e barulhentas pessoas insanas por causa da vida noturna e senti-me hipnotizada com a cena de um copo em neon ser cheio por várias saídas da mesma coqueteleira e em seguida o barman chacoalhou com as mãos quando senti alguém tocar nas minhas costas.

David: Finalmente te achei, ainda está brava por causa daquilo? -me metralhou rapidamente. Eu balancei a cabeça sem me virar.
Eu: Mais uma! -disse alto.
David: Não, não faz isso de me ignorar SeuNome. Vem dançar comigo. -eu balancei a cabeça negativamente e ele me puxou pelas mãos me arrastando de volta para a pista enquanto eu quase nem podia ouvir meus próprios pensamentos de tão alta a música. Bufei e me deixei levar, ficamos dançando, eu me soltava aos poucos depois de algumas doses alcoólicas. Ele logo estava rindo perto do meu ouvido. -Segunda tudo vai estar diferente, temos muito a comemorar, hein. Como se sente sabendo que agora tudo vai mudar, princesa? -eu ri e ele me girou.
Eu: Muito melhor!-disse alto sem conseguir controlar minha voz. Ele pegou outro drink de uma garçonete que passava com uma bandeja. As pessoas eram tantas que estavam quase se esfregando em nós também. David tentou me beijar e eu senti um gosto amargo na minha boca, sentindo-me completamente mau ao imaginar que poderia imaginar Zayn. Eu levantei a cabeça e ele beijou meu pescoço, ficamos dançando e bebendo por mais tempo, as luzes escuras e claras refletiam ao mesmo tempo deixando todos ali coloridos e do jeito que eu estava vendo tudo muito engraçado, logo vi de longe alguns caras na qual reconheci fazendo minhas pernas esfriares e logo subiu para minha espinha. Eles riam e se esfregavam em algumas garotas, eu deixei de olhar e voltei a rir para David. Ele queria me provocar e me fazia rir mas eu senti que logo vomitaria se não saísse dali, quando várias pessoas já tinham passado a mão boba por nós e tudo que fazíamos era rir mais e conversar já que estávamos bêbados demais para fazer qualquer outra coisa, eu lhe avisei que queria ir e David me puxou para fora, bem naquela hora havia muita gente na porta, e isso era sinal de briga segundo ele que estava mais acostumado com boates do que eu que só ia da casa para o trabalho, e com dificuldade conseguimos passar vendo caras se socando e chutando o rosto um do outro, muitas pessoas riam do que eu achava completamente miserável. Alguns casais vieram até nós (nós tínhamos os encontrado assim que chegamos, eram amigos do trabalho de David), e nos cumprimentaram, uma das garotas estava falando da minha roupa e ela era querida, os caras iam em direção da fila onde os carros estavam estacionados. Íamos rindo e conversando até lá, eu mal podia ficar de pé. Isabelle tinha uma garrafa de Jack Daniel's pela metade na mão e do jeito que balançava ia acabar derrubando logo. Eu tomei dela e bebi, em seguida Annabell também fez isso me fazendo rir.

Isabelle: Temos que nos encontrar outras vezes. -disse com dificuldade e eu sentia a mão de David nas minhas costas mostrando que estava me acompanhando.
Eu: Temos. É claro, eu sabia que vocês se apaixonariam por mim, eu sou um amor de pessoa, e linda e gostosa, e...
David: E muito humilde, por isso eu te amo. -ele me deu um beijo molhado e ouvi um grito de aprovação a minha volta.
Isaac: Vem gata, agora vamos...-beijou Annabell a puxando em direção ao carro deles.
Anabell: Vamos ficar mais um pouco.
John: Olha lá a briga! O cara tá apanhando demais, vamos ficar aqui e ver já que não são nem 3 ainda. -ria sem parar, ele era o que mais parecia maluco.
David: Ah, a SeuNome tem compromisso na terça...quer dizer, na segunda. -soluçava. -Nós todos temos...-ouvi risos e logo meus olhos acompanharam a multidão por trás da fila de carros na frente da boate, as pessoas estavam tão locas. Eu não pude evitar quando meus olhos encontraram ele...assim que chegamos, nos separamos completamente e fazia horas sem vê-lo, o que era ótimo. Eu semicerrei os olhos para tentar enxergar melhor em vez de ignorar como de costume. Ali junto e em meio a tantos bêbados, drogados e completamente fora de si, havia nitidamente em especial a figura extremamente parecida com David. É claro que não como muitos acham, eles eram diferente aparentemente e ainda mais por dentro. A não ser, por suas vestimentas visivelmente mais largas em baixo e uma blusa colada com uma jaqueta de couro que deixava os braços de fora com as mangas formadas de tatuagens, mesmo totalmente fora de mim, eu agora tinha prestado atenção, fora a cabeça erguida e a expressão de "não se meta comigo". Eu estremeci na hora ao vê-lo passar quase que em câmera lenta pelos outros caras com garotas que eu havia visto lá dentro a sua volta como se fossem uma barreira pra ele. Eu tinha medo/ódio de pronunciar o nome, ou sequer de pensar nele. As risadas histéricas do meu lado me tiraram desses devaneios e eu vi que David e os seus amigos não estavam mais ali, eu os procurei e os vi de costas, caminhando para o carro do Isaac, as duas garotas conversavam entre si do meu lado e em seguida uma delas se foi atrás deles. Eu falei algo confuso com Isabelle e ela concordava.

XXX: Oi SeuNome. -eu virei vendo que Zayn me olhava com o sorriso que me lembrava muito o do gato da Alice na qual eu assistia na minha infância, ele sempre me deixava com medo mas mesmo assim eu não podia deixar de olha-lo. Era assustadoramente atraente naqueles seus traços tão delicados. -Curtindo a noite? -sua voz era tão arrastada quanto a minha. Vozes de trás dele o chamavam desesperadamente o deixando meio irritado, tanto que eu até pensei em sair andando atrás dos outros. -Me apresenta a sua amiguinha. -Isabelle sorriu sem jeito do meu lado.
Eu: Eu acho você um nojento sabia? Vai se ferrar. -tropecei ao tentar andar, fazendo os caras rirem, fora as outras pessoas ali que riam até de um inseto voando.
Zayn: Me ame menos, você deixa isso no ar. -riu. Os outros ainda gritavam para Zayn enquanto se livravam rapidamente das garotas que estavam. -Vem, você ainda me deve pelo salvamento no banco, tá lembrada? Sou seu herói.
Eu: Não devo nada a você, eu devia é te socar.
Zayn: Mas se tentar vai cair. -tentei andar e ele me segurou de novo, Isabelle tinha desaparecido na multidão e eu a procurava com os olhos.
Eu: Merda, solta! Não tenho medo de você, isso se chama ÂNSIA, é diferente. -disse enrolado enquanto ele me puxava em meio dos carros e das pessoas que pareciam meio borrões a minha vista.
Zayn: Vou te mostrar como pode pagar aquele salvamento do banco. -disse enrolado, minha cabeça rodava tanto, eu só vi os rostos dos dois loiros e de um moreno borrados rapidamente junto com outros antes de me fazerem entrar num carro diferente na qual eu cheguei ali. Meu corpo bateu no banco traseiro e eu olhei aquele sorriso enquanto os outros caras diziam "Finalmente, Las Vegas" antes da porta fechar.


CONTINUA...
E então, estou aqui asjebylwqi. Eu sei que demorei, mas se eu tenho inspiração tenho que escrever vários capítulo senão depois para voltar e me lembrar os detalhes e continuar é f*da. 
Mas enfim, estive vendo as fichas de vocês e estão uma melhor que a outra, vocês são demais cara! Vai ser uma decisão difícil. Boa sorte a todas e byee!
Bjuss

6 comentários:

  1. Ah!!! Que capítulo f***
    Lizzy minha diva, você vai perder uma leitora para a morte senão continuar! Continue, o capítulo esta perfeito e você escreve super bem.

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus, que perfeição! Eu estou amando, você escreve muito bem, princesa.

    ResponderExcluir
  3. AAAAAAAAAAAAAH QUE PERFECT. MDS, O QUE SERA QUE VAI ACONTECER COM A SN. EU NÃO ACREDITO QUE O ZAYN VAI LEVAR ELA PRA LAS VEGAS, CARALHU. OLHA, AMEI A PARTE DO AMIGO GAY DELA E DA SN ACHANDO QUE O DAVID TRAIU ELA. PRA MIM TRAIU SIM A MADISON SÓ FAZ MERDICE MESMO
    BEIJOS E CONTINUAAAAAAAAAAAAAAAAA AI QUE AMOÇAUM

    ResponderExcluir
  4. Aaaah perfeitoooooo! Continua logo Lizzy!
    xx Luh

    ResponderExcluir
  5. Tá pfto continua loogooo! >o<

    ResponderExcluir
  6. Divo, maravilhoso, perfeito!
    Vc é a melhor escritora daqui, nunca esqueça disso, te amoooooo continua logo divaa!

    ResponderExcluir