Badboy of' Mine - Capítulo 5

| | |

- E essa é a minha vida


SeuNome P.O.V's

-SeuNome, olha eu nem sei direito o que dizer, se há que tem alguma coisa a dizer depois do que houve. me desculpa...-eu segurei sua mão sobre o freio, e então ele suspirou fundo, dando partida no carro em seguida. O caminho inteiro foi silencioso, eu não sabia exatamente como me sentir sobre o que tinha acontecido. David parou bem na frente do meu prédio, a rua estava deserta. -Eu acho que nós não devemos mais nos ver.
Eu: P-por quê? Você sabe que não precisa ser...
David: Eu não consigo ter um relacionamento sequer por causa dele, eu devia saber que não conseguiria dessa vez. Me desculpa por ter te envolvido nisso e ainda te levado lá. Essa noite foi a gota d' água.
Eu: Eu não vou deixar isso ficar entre nós. Não é justo. -ele me olhava nos olhos. Se virou no banco ficando com o corpo de frente para mim com uma expressão de que não diria coisa boa. Eu estava vendo...ele ia...
David: Não, saiu do limite. Eu não quero que você se machuque, então...
Eu: Entendi.
David: Me desculpa, mas é o melhor. Vamos tentar nos afastar, pelo menos. -eu sorri tristemente e sua mão tocou meu rosto. Eu amava quando nos beijávamos no carro. Mas aí seus lábios foram em direção a minha cabeça decepcionado-me e me beijou a testa fazendo-me fechar os olhos. Eu soltei sua mão devagar evitando olha-lo e abri a porta do carro, então o olhando.
Eu: Adeus. -ele sorriu triste.
David: Me ligue se precisar. -assenti e entrei no prédio em seguida. Tentei não chorar no elevador mesmo que o prédio estivesse completamente vazio e silencioso naquela hora da noite. Entrei no apartamento fazendo o mínimo de barulho possível e achei Maddie dormindo no sofá com alguns papéis ao seu lado. Eu peguei uma coberta e coloquei em cima dela com cuidado, em seguida indo para o meu quarto e trancando-me no quarto. Joguei minha bolsa na cama irritada e soltei rapidamente meus cabelos, sentando num canto afastado da porta e encostada na parede, coloquei as mãos na cabeça a apertando e sentindo-a quente, eu não conseguia parar de pensar, olhava para meu celular sabendo que não conseguiria dormir nem se tentasse ou tomasse comprimidos.
Mas eu tentei.
Chorei até minha cabeça começar a doer e sentir aquela febre a flor da pele, eu estava apaixonada por ele, por que é que tinha que o deixar? O mundo não é justo mas isso é o cúmulo. Eu queria matar Zayn aos poucos. Pela vergonha e raiva que me fez passar, isso porque eu nem o conhecia. Havia apenas visto ele três vezes e já queria matá-lo. Aquele jeito debochado e a maneira como se torturava tentando não rir das suas próprias maldades. Ele gostava daquilo e isso era o mais desprezível.
Encostar a cabeça no travesseiro era completamente perda de tempo, nada que eu fazia me ajudava a dormir. Eu chorei mais, sabia que estava me limpando por dentro, e era bom saber disso afinal não queria trabalhar com raiva, isso faria mal pra mim e é isso que Zayn queria. Ele estava conseguindo, eu odiava saber que David achava que não podia ter um relacionamento, pois o irmão sempre estragava. Eu chorava de ódio por causa de tudo isso. Vi a madrugada passar mais rapidamente do que imaginava, deitada na cama, e com a mente barulhenta. Alguns minutos antes do sol nascer, eu estava sentada com a cabeça encostada na lateral da minha cama, com o celular na mão. Nenhuma mensagem, nenhuma ligação. Queria saber como ele estava, mas não queria ser a primeira a ligar. Desisti, e fui para o trabalho.
Nas madrugadas seguinte da semana, eu ainda me sentia doente. Decidi ligar, eram 4:57 da manhã, e após duas chamadas ele atendeu.

David: SeuNome...?
Eu: Ahm, David, como você está?
David: Você está bem? O que aconteceu, sua voz está...-disse agitado, ignorando o que eu disse. -Está chorando, onde você está?
Eu: Em casa, e -suspirei-, não estou nada bem.
David: SeuNome...
Eu: Eu te quero de volta. -ele ficou em silencio por um segundo. -Você não me quer?
David: É claro que quero...quer dizer, mas estou fazendo isso por nós.
Eu: Não, eu não estou nem aí. Estamos apaixonados, e eu pensei muito no que é justo. Ele não pode ficar entre nós, e eu não quero que se preocupe se eu vou me machucar.
David: Não me preocupar? SeuNome, você ainda não conhece meu irmão. Eu sei, eu sei, fiquei o dia inteiro pensando em você e mal consegui ficar na empresa.
Eu: Está vendo? Não podemos deixar um babaca fazer isso conosco, eu te amo.
David: Mas eu...
Eu: Escuta, me pediu para ligar se precisasse de algo e eu preciso de você. Quando nos conhecemos pediu para confiar em você e eu confiei. Agora estou pedindo para confiar em nós.
David: Tudo bem. -suspirou calmamente. -E eu amo você também. Sinto sua falta mais do que imagina. Pode me encontrar mais tarde?
Eu: Sim. -afirmei convicta -E eu sei que estamos fazendo o certo.
David: Espero que sim. -olhei para baixo, tentando colocar a cabeça no lugar. -Vou direto pra aí depois do trabalho. -assenti e nos despedimos, então desliguei.

Me levantei saindo do meu quarto, eu não queria sair de casa mas não tinha escolha. A editora ainda não tinha me ligado e eu estava começando a perder a esperança nisso. Na pequena cozinha dei de cara com a Madison, ela tomava um copo d' água, ali não estava muito iluminado mas eu podia enxergar bem seu gloss.

Madison: Oi, viu a correspondência?
Eu: Ainda não. Estou sem ânimo para isso. -ela sorriu, parecia bem contente com alguma coisa. Então começou a me encarar com extrema felicidade, tanta que estava até me deixando com medo. Maddie tirou das costas com a mão que escondia algo um envelope da faculdade. Será que...não podia ser...Eles revisaram as inscrições e eu entrei? Meu coração começou a disparar.
Madison: EU FUI ACEITA NA FACULDADE! AH!-gritou muito alto balançando o envelope.
Eu: Ah, o quê?! Deixa eu ver. -ela me deu e senti como um chute no estômago quando li "Madison Bluevor, Status: Aprovada". -Não pode ser...
Madison: Não é demais?! -perguntou com os olhos arregalados. Madison era maravilhosa pra mim, e me confortou, eu nunca deixaria de ficar feliz por ela.
Eu: É sim! Você merece. Parabéns Maddie! -ela pulou em mim me abraçando.
Madison: AHH EU ENTREI, EU ENTREI! NÃO VOU TRABALHAR HOJE E VOU PRO BAR AGORINHA! Você vem?-pediu me soltando.
Eu: Não, mas, divirta-se. -ela sorria largamente.
Madison: Vamos?! Eu te acompanho até a rua.
Eu: Vou terminar de me arrumar. -fui para o banheiro assim que ela deu de ombros, tranquei a porta e joguei água no rosto. Eu esperava que Madison não tivesse ouvido meu grito de frustração. E meu grito foi longo. Eu não queria dar uma de invejosa, estava feliz que ela entrou mas porque não nós duas? Eu deixei de fazer tantas coisas para ficar estudando, passei noites estudando e não passei! E Madison não, ela nem ao mesmo estudava para as provas! Por que isso estava acontecendo comigo?

-Alguém lá em cima não gosta de você. -disse Rick em um tom engraçado.
Eu: Não é possível! E você está achando engraçado, seu babaca!-brinquei lhe dando um tapa e percebi que Cindy nos olhava de longe com uma cara péssima que provavelmente questionava o porquê de não estarmos trabalhando e sim conversando. Eu queria mostrar o dedo do meio mas controlei essa vontade. -E essa é a minha vida!-disse a ele dando de ombros e indo atender um cliente. Rick atendia ao meu lado a fila da esquerda.
Rick: Pelo menos você tem um cara lindo.
Eu: -ri- Seu gay, ele é meu namorado, olha o respeito.
XXX: Ô mocinha, vai atender ou conversar? -um cara atrás do que eu atendia disse.
Eu: Espera aí droga, eu sou uma só!-Rick ria sem motivo.
Rick: Se eu fosse você ficava feliz, e aproveitava para ficar amiga do irmão dele também. -dessa vez eu ri.
Eu: Querido, isso nunca vai acontecer.
Rick: Então tá, você fica com o David, e eu fico com o irmão. -eu ri alto, e dei o troco para o homem.
Eu: Desculpa a demora moço, essa cafeteria tem péssimos funcionários. -meu amigo gay ria com a indireta.
Ele: Tanto faz, me dá um frappuccino.
Rick: Olha o namorado dela é dono de empresa, olha como fala. -disse em tom de humor mas o cliente não estava nem um pouco afim de ser simpático. Eu fiz uma careta e fui servi-lo de uma vez.

[...]

Um mês havia se passado, e tudo estava igual.
Talvez nem tudo.
Eu e David voltamos a namorar e eu estava feliz novamente, mas por alguma razão eu sentia que estava algo mudando. Porque eu estava sentada no sofá da casa dele, e sem medo de ter uma bala na cabeça, ou um órgão perfurado por cigarros ou objetos pontudos. Ao meu lado estava David, um de seus braços estava a minha volta e nossas mãos dadas, e na outra havia o controle da tv. No outro sofá estava Waliyha, a irmã mais nova de David que até duas semanas atrás eu não conhecia e mal sabia que ele também tinha mais duas irmãs, Doniya e Safaa. Elas estudavam em outro estado, em uma escola apenas para garotas e estavam aqui por causa das férias. Elas eram maravilhosas e nos demos bem logo de cara o que pareceu deixar David feliz. Eu estava entrando em uma família grande, ao todo os pais e cinco filhos, e de todos eles, apenas um me odiava completamente. Exatamente, Zayn ao longo dos dias e semanas continuou nos provocando e fazendo ameaças, mas tudo já estava ficando muito chato. Será que ele nunca ia entender que eu não tinha medo dele? Não como as outras? Provavelmente não.
David levantou do sofá dizendo que ia na cozinha pegar uns salgadinhos, Waliyha passou a me olhar e eu sorri.

Waliyha: Você é muito bonita, o David já disse?
Eu: Já sim. E você também é. -ela sorriu. -Como é a escola só para meninas?
Waliyha: É legal, mas não dá pra namorar. Eu tenho bastante amigas lá mas não é nada como a escola normal.
Eu: E você preferia a normal?-ela assentiu.
Waliyha: Uma vez eu e a Doniya trouxemos uma amiga aqui em casa mas não deu certo porque o Zayn ficou provocando ela e a garota ficou com medo porque viu uma arma falsa e achou que era real. Eu deixei de ser amiga dela porque espalhou para a classe inteira e as pessoas começaram a ter medo de mim. Por isso mudamos de escola.
Eu: Eu sinto muito por isso.
Waliyha: Tudo bem. -o celular em suas mãos apitou e ela foi olhar, eu vi de relance Zayn passando pelo corredor, e então atravessou a sala nem nos olhar e como a sala estava bem iluminada com a luz do sol, eu podia ver claramente que em seus braços haviam tinta ou algo parecido que cobria algumas tatuagens assim como na camisa. -Oi Zayn, estava falando de você.
Zayn: Ah é? Espero que bem mal. -ela riu. -Como é que tá SeuNome?-perguntou grosso.
Eu: Nós dois sabemos que você não se importa. -ele riu e pegou um maço de cigarro na prateleira.
Zayn: Tem razão. Mas olha, eu estou de bom humor e nem a sua presença vai estragar. -colocou o cigarro na boca bem na hora que David apareceu com os salgadinhos.
David: Achei que não estava em casa. -Zayn tirou o sorriso de cafajeste fechando a cara.
Zayn: O prazo da mãe ainda não acabou. Odeio fugir da velha mas vou fazer isso daqui a pouco, está difícil ficar aqui.
David: E daí? Quando está aqui ou você fica trancado no quarto ou no estúdio. -isso era verdade, durante o mês que se passou eu vinha praticamente todos os dias na casa de David e Zayn estava sempre lá.
Waliyha: Ei, a Clarisse me convidou pra ir na casa dela, eu tenho que ir! -continuou -É aniversário dela.
David: Sabe que a mamãe não gosta que você veja seus antigos amigos de San Diego.
Waliyha: Argh, você é muito certinho. -se levantou. -Me leva até lá Zayn.
Zayn: Vá se ferrar, eu nem posso ir embora daqui, até parece que vou te levar na casa daquela vadiazinha.
David: ZAYN, chega! -o repreendeu- Tá Waliy, eu levo você.
Zayn: Capacho. -David o empurrou mas os dois riram, o que era meio estranho, vê-los juntos e rindo juntos embora não se dessem nada bem. De certa forma era algo bom. -Cansei dessa sala, está cheia demais. -me encarou feio e saiu andando, sumindo no corredor.
David: Eu não quero te deixar sozinha aqui, SeuNome, com ele, você sabe. -disse baixo.
Waliyha: Anda David, olha a hora!
Eu: Tudo bem, eu espero vocês. -sorri. -Vou ficar bem, prometo. Ele não vai mais sair de lá pelo visto.
David: Quando nós sairmos, vai na cozinha e olha na ultima gaveta do armário da direita. -disse isso já na porta guiando a irmã.

Ouvi o clique da fechadura e peguei o controle, queria ter certeza absoluta que eles haviam saído completamente para ir até a cozinha. Eu estava sorrindo já imaginando o que poderia ser, enquanto zapeava os canais na tv. Parei para prestar atenção no quanto eu tinha ficado íntima de David, eu nunca tinha pegado o controle de algum namorado para ver tv na casa dele. Isso era porque nunca tive algo sério com um garoto. Fiquei ali por alguns minutos e então me levantei num pulo praticamente, indo para a cozinha. Fui procurar no armário ao lado da porta e então achei uma caixinha azul de veludo no canto da última gaveta. Eu a abri e havia um anel com um papel enrolado nele. Eu o desenrolei e comecei a ler.

"Demorei para deixar oficial, mas eu rodaria o mundo por você. Te amo"

Coloquei o anel com um sorriso no rosto, eu nem sabia explicar o quanto estava feliz. Não sabia se merecia um cara tão maravilhoso. 

XXX: Diz uma pesquisa que quem dá anel para a namorada tem pinto pequeno. -meu sorriso se fechou quando ouvi sua voz. Suspirei ironicamente.
Eu: Você acabou de inventar isso. Eu sinto pena da sua inveja. -ele riu sarcástico. 
Zayn: Inveja? Acho que não hein. Mas...-eu me virei, encarando-o de braços cruzados. -Me deixa ver como ficou. 
Eu: Sai fora, fica longe de mim. -disse quando ele ia se aproximar. O moreno colocou as mãos para cima rapidamente, então abaixo-as sem recuar. 
Zayn: A gente não se fala muito né? Mas eu sei que você tem vindo muito aqui.
Eu: E ainda bem que eu quase nunca vejo essa sua cara.
Zayn: Qual é caralho, eu estou tentando ser legal, por que tanto mal humor? O David não tá dando conta de você? -eu devia estar vermelha de constrangimento. Esse cara não tinha mesmo um pingo de vergonha nessa cara deslavada. -Qual é a porra do seu problema?
Eu: Você. -o encarava. -Você tem sido meu problema nas últimas seis semanas se quer saber. -ele se aproximou um pouco e eu recuei, até meu quadril bater no armário. -Pare! Estou avisando.
Zayn: Você tem medo de mim. -lançou a conclusão precipitada no ar com o sorriso de canto.
Eu: Você não é o criminoso que pensa que é. É só um trapaceiro. -disse firme. -Não tenho medo de você.
Zayn: Hum, decidida. -ele pegou minha mão me surpreendendo e olhou para o anel. -É bonito.
Eu: Você está quente, está com febre. -disse friamente puxando minha mão e me virando, mas antes que pudesse me mexer para sair do ponto em que estava encurralada, senti sua presença bem atrás de mim.
Zayn: Não é febre, você que me deixou assim. -eu queria poder respirar naquele momento. -Ei, eu falei que te pegaria sozinha de novo. -sussurrou e eu saí da sua frente indo para a sala e me sentando no sofá rapidamente me sentindo mal. O nervosismo de um mês atrás havia voltado. Fiquei olhando para a tv frustrada e tentando ignorar por completo aquela terrível companhia que estava tendo, então Zayn saiu da cozinha com um cigarro aceso na boca. -Por que é que você fica fugindo?
Eu: De você? Não consegue nem ter uma ideia? -disse sem desviar os olhos da tela. Ele ficou alguns segundos parado, eu não tinha certeza mas minha intuição dizia que estava me olhando até agora. E se eu fosse julgar pelo tempo e por nem se mexer, diria que era aquele olhar que se lança quando quer matar alguém.
Zayn: Você está gostosa.
Eu: Você é nojento.
Zayn: Sei lá, você devia usar shorts sempre, como agora. -ele estava parado encostado na porta com jeito de cafajeste de sempre e me encarando de uma maneira constrangedora.
Eu: Vá se ferrar. -ele riu. -Acho que você nunca disse "Você está linda" para uma garota não é? -ele levantou uma sobrancelha. -Eu sabia.
Zayn: Olha só, estamos tendo uma conversa.
Eu: Não é uma conversa.
Zayn: Você está falando e eu estou falando...
Eu: Então fecha essa boca!-falei alto e nos encaramos. Ele abriu a boca para dizer algo mas a campainha tocou. Zayn me olhou feio e então foi atender. Não era David, infelizmente, porque se fosse teria a chave. Fiquei vendo a tv enquanto ouvia baixo vindo do corredor vozes de Zayn e uma garota enquanto ela dava em cima dele. Alguns minutos depois, ele voltou para a sala com um sorriso idiota. -Ela deu uma desculpa para vir aqui.
Eu: Bom pra você.
Zayn: Mas ela estava procurando pelo David. -falou em tom de provocação -Alguém foi traída aí...
Eu: Cala a boca.
Zayn: Você sabe que ele faz sucesso com as mulheres em todos os lugares não é? É a única coisa que temos em comum. -eu o ignorei para não mostrar raiva na sua frente.
Eu: Se deu bem com a garota?
Zayn: É claro que sim, quem consegue resistir a esses olhos castanhos? E a esse sorriso? -disse apontando-se.
Eu: Ahm, talvez eu? -disse ironicamente.
Zayn: Vamos ver até quando! -eu fingi não ter ouvido e Zayn passou por mim indo para o corredor. -Ah vá a merda, você é só mais uma, o David arranja coisa melhor. -Ele entrou em uma das portas que iam para o porão e eu a esse ponto estava a ponto de explodir por dentro. Quem ele pensa que é? Será que achava normal esse comportamento? E que pode dizer essas coisas e sair andando assim? Eu queria coloca-lo num moedor de carne e já não era de hoje. Me levantei e o segui, aquela porta era um dos únicos lugares da casa que eu não conhecia. Dali havia um pequeno corredor escuro com uma porta de madeira que diferente da casa linda e bem decorada, estava aberta a um lugar completamente branco que cheirava a perfume forte e cigarro. Eu adentrei o lugar vendo uma sala vazia com pichações por toda parte e branca em outras. Lá estava o estorvo, movimentando a mão na parede com a maior prática formando um desenho de gotas.
Eu: Quem você pensa que é? -pedi categórica e ele se virou com desdém me olhando rapidamente e em seguida virou-se novamente para a parede. -EI! Eu estou cansada dessa merda, você não se toca nunca de que faz as pessoas infelizes com esse seu jeito de revolta? O que foi que eu te fiz? -disse erguendo as mãos num gesto final de desespero.
Zayn: Você tem coragem, eu não mexeria comigo no seu lugar.
Eu: E no seu lugar eu apoiaria sua família e deixaria de ser babaca! -ouvi o som da porta batendo.
Zayn: Cala a sua boca, você está no meu estúdio. -se virou me encarando e dando alguns passos na minha direção.
Eu: POR QUE VOCÊ NÃO VEM ME FAZER CALAR SE É HOMEM O BASTANTE PRA ISSO?
Zayn: NINGUÉM GRITA AQUI A NÃO SER EU, VADIA.
Eu: NÃO SE META ENTRE MIM E O DAVID, SEU MONSTRO.
Zayn: VOCÊ JÁ DEU ORDENS DE MAIS. -ele se aproximou tão rapidamente que eu mal tive tempo de pensar, suas duas mãos seguraram o meu rosto e sua boca encostou a minha enquanto minhas mãos tentavam afastar seu peito como se ele me queimasse, mas suas mãos puxaram minha cintura com tanta grosseria que eu nem podia soltar. O empurrei várias vezes mas ele se aproximava num passo mais rápido.
Eu: AH! ME SOLTA!
Zayn: Grita o quanto quiser, ninguém pode te ouvir aqui embaixo. -sussurrou divertidamente com o meu desespero e sua boca quente tocou a minha se mexendo novamente me deixando febril e eu rapidamente lhe dei um soco no rosto afastando-o na mesma hora.
Eu: Encosta sua boca imunda na minha de novo pra ver o que te acontece.
Zayn: Eu estou ansioso para descobrir...gostosa.

Franzi a testa nervosa e saí dali, batendo a porta atrás de mim e chegando na sala a tempo de ver David com algumas sacolas de compras nas mãos.


CONTINUA...
EAE. 
Gente, eu não sei se vocês estão gostando, eu estou sentindo muitas coisas e estou inspirada mas parece que não consigo colocar com as palavras. Sei lá, foi bem imbecil isso. Mas é verdade. 
As coisas vão voltar a ficar confusas, eu estou planejando a fic e lidando com os meus pais enquanto eles lidam comigo, está bem difícil. Mas enfim, espero que estejam gostando, qualquer sugestão é bem vinda, obrigada por tudo lindas :)

9 comentários:

  1. O Zayn tá foda, tá fodão! É bom um pouco de perigo, deixa super original e diferente. O David é fofo, a SN é bem forte, né? Ela é tipo, uma guerreira. Eu amo ela! Cara, a SN é muito diva, com uma personalidade beeeeeeeeem original! Continua!

    ResponderExcluir
  2. Ta perfeita lizzy ! Continua !
    Thatahxx

    ResponderExcluir
  3. Meu ta muuuito perfeita, vc escreve muito bem serio! Continua logo rsrs

    ResponderExcluir
  4. Acho que o zayn ja pode pegar a seu nome, só acho sabe, to ficando meio louca aqui de tanto esperar

    ResponderExcluir
  5. Caraaaaa to adorando vc tem q continuaaar
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
  6. Perfeitooo! Continua tá muito foda!
    xx Luh

    ResponderExcluir
  7. Lizzy continua ta perfeito. Já te disseram que vc escreve muito bem? Cara sua fic é perfeita <3

    --Sah--

    ResponderExcluir
  8. Oi gente leiam meu imagine porfavor
    http://rebeldeeuute.blogspot.com.br/2014/05/imagine-chamel.html?showComment=1400635044218&m=1#c6427074811338779033

    ResponderExcluir