Badboy of' Mine - Capítulo 4

| | |

- Garoto problema


SeuNome P.O.V's

Eu estava feliz, por incrível que pareça. Na verdade, quem eu estou querendo enganar, era muito mais que simplesmente feliz porque essa palavra não era o suficiente para descrever. As coisas estavam indo melhor do que eu esperava e aquele sorriso abobado da primeira vez que eu o vi não saía mais do meu rosto. David era tão maravilhoso comigo que parecia que só eu podia vê-lo, que ele não existia de verdade. Mas talvez isso fosse apenas uma desculpa da minha mente para não admitir que ele era o melhor cara que eu já tinha conhecido.
Depois de duas semanas e meia, eu ainda tinha que aguentar meu trabalho na cafeteria para pagar a metade das contas, nem preciso dizer que a maioria das pessoas eram o oposto de simpáticas e a minha chefe adorava me usar para fazer as coisas que ela não queria fazer e que simplesmente não tinham nada a ver com o meu trabalho em si. Mas é claro que eu não estava reclamando. As coisas estavam normais, mas eu estava meio aérea, onde quer que fosse estava pensando em David. Eu encarava meu dia cansativo só ansiosa para chegar em casa e ver ele lá, quase todos os dias estavam sendo assim. Inventei uma desculpa faltando cinco minutos para o horário de almoço dizendo que atarde eu tinha um compromisso inadiável e que não ia trabalhar a tarde, a velha Cindy resmungou e me encarou com completo descaso mas disse que tudo bem. Eu saí feliz da cafeteria após pegar minhas coisas, queria ligar para ele para avisar que eu estava chegando mas estava sem bateria. Eu sei, eu sei, até parece que eu estou virando uma psicótica, mas se você estivesse sentindo aquele sentimento devastador que é estar apaixonada, saberia como é horrível e maravilhoso ao mesmo tempo. Não demorei muito para chegar em casa, assim que entrei no apartamento, já vi o resultado das arrumações mal sucedidas da Maddie perto do sofá e armário. A sala tinha cheiro de churrasco, o que era quase impossível porque não tínhamos churrasqueira.

Eu: Oi gente, cheguei!-disse depois de deixar meu casaco e bolsa na entrada. Não tive resposta então entrei na cozinha e dei de cara com a Maddie comendo algo enquanto conversava com David. Ele estava tão bonito, aliás como sempre. Sorri e ele retribuiu, me dando um selinho.
Madison: Oi adiantada.
Eu: Eu consegui sair um pouco antes.
David: Deu uma desculpa de novo?-eu sorri.
Eu: É, exatamente. -Madison me encarava meio irritada.-O que?
Madison: Você sabe, já fez isso duas vezes essa semana, vai acabar se encrencando e sendo demitida.
David: Deixa ela. -concordei.
Eu: Onde conseguiram essa carne?
David: Sabe meu amigo Travis do décimo andar?
Eu: O seu companheiro de porre?
David: Isso, esse mesmo. -rimos. -Então, o pai dele tem uma churrascaria no final da rua.
Eu: E vocês vocês foram juntos até lá?-eles se olharam.
Madison: Sim, e daí?
Eu: Não, por nada. -eu confiava nos dois, só não ia dizer que odiava deixar David e Maddie fazendo coisas juntos enquanto eu não estava aqui. Simplesmente não era confortável pra mim.
David: Você deve estar morrendo de fome. -assenti. -Vem cá, vou fazer seu prato. -Maddie ligou seu ipod numa aparelho de som e ficamos ouvindo música enquanto David com aquele sorriso lindo fazia meu prato e nós conversávamos sobre a manhã dele na empresa, parecia tão cansativo quanto o meu trabalho mas pelo menos ele não tinha aqueles clientes chatos, e era isso que eu estava tentando convence-lo. -Qual é, não é tão ruim assim, ter que falar com aqueles velhos chatos no telefone e ter que entrevistar gente quase todo dia para trabalhar é muito pior.
Eu: Não não, você não tem que ficar em pé e nem aguentar um chefe.
David: Tem razão, eu sou o chefe. -eu bati em seu peito e ele começou a rir.
Eu: Seu babaca!-ele me puxou e eu ri pelo nariz.
Madison: Vocês são nojentos. -eu virei para ela ainda rindo e peguei meu prato pronto da mão dele indo me sentar numa das cadeiras altas do balcão. -Vou trabalhar, vejo você anoite SeuApelido.
Eu: Tchau Maddie. -ela passou por mim e foi para a sala, apenas ouvi o clique da porta e então David sentou a minha frente com uma cara de cachorrinho.
David: Você está brava?
Eu: Não! Corta essa de fazer carinha fofa.
David: Acho que nós dois estamos ficando idiotas desde que te pedi em namoro no sábado.
Eu: Tem razão, que chatice!-disse com os olhos arregalados mexendo com o garfo na minha carne. -Eu nunca quis ser como aqueles casais que dizem "plincesa" e "plinceso"-ele riu e eu acompanhei.
David: Parece estranho. -concordei. -Sabe, minha mãe queria te receber para jantar.
Eu: Ah mas n...
David: Exatamente, eu disse a mesma coisa pra ela, que não vai ser nada legal você aparecer por lá mas a Trisha quer muito te conhecer.
Eu: Eu também queria muito conhecê-la. -ele sorriu. -Mas, se o seu irmão estiver lá...
David: E se eu ligar para ela e pedir que ela o tire de lá. Você se sentiria melhor?
Eu: Muito melhor. -convinhas se formaram no seu rosto enquanto ele olhava para baixo. Ficamos conversando descontraidamente no almoço, David sabia exatamente como me fazer rir e fazer esquecer o resto do mundo. Logo a tarde chegou, ele teve que ir, disse que passaria ao anoitecer para me pegar. É claro que eu  não ia me negaria conhecer a mãe dele, mas estava torcendo para que aquele maloqueiro não estar lá, eu acho que toda a raiva daquela noite voltaria e eu acabaria fazendo alguma besteira. Fui tomar um banho após escolher uma roupa nova. Assim eu esfriava a cabeça mandando a sensação ruim para longe e voltava a pensar no quanto eu estava feliz com o David. E nada podia estragar isso.


Zayn Malik P.O.V's

Acordei com uma puta ressaca. Exatamente, daquela que me derrubaria por dias. Meu quarto estava completamente escuro, as cortinas lacradas uma na outra assim como a porta impedindo que qualquer feixe de luz sequer entrasse. Parecia que eu tinha ficado na maldita cama por meses. Mas infelizmente, eu ainda podia lembrar da voz irritante do meu irmão naquele discursinho sobre a garotinha da cafeteria. Como é que eu ia adivinhar que a filha da puta é namorada dele? Só pode ser castigo, os meus amigos terem a ideia de raptar ela. "Você vai se ver comigo se encostar nela de novo". Me sentei na cama sentindo que queria quebrar algum móvel só de lembrar daquela cena, fora ter que ouvir o meu pai reclamar sobre tudo. A minha mãe? Não preciso nem falar que ela pirou. E me ameaçou. É claro que depois de tudo isso eu enchi a cara e acabei todo Meu celular vibrava sem parar em cima do criado-mudo até cair do mesmo. Eu murmurei algum palavrão pensando que a tela devia ter virado caco. Me estiquei da cama para pega-lo ainda xingando e agradeci mentalmente minha mãe por ter colocado um tapete felpudo ali. É claro, ela sabe que meu celular vai cair. Tinham várias ligações e mensagens perdidas, acho que eu dormi demais. Abri uma delas e era o Alex, é claro que era. Eles estavam bravos comigo porque não voltamos para Las Vegas naquela noite, e agora estávamos ainda mais atrasados. Duas semanas e meia de atraso, isso sim é imperdoável. Mas eu não podia fazer nada, a Trisha ia ficar me vigiando depois do que aconteceu.
Me levantei e fui para a sala com a mesma roupa que dormi, passei pelo corredor me olhando no espelho e vendo que precisava fazer a barba e estava com cara amassada de travesseiro. Mas de qualquer jeito estava maravilhoso. Pisquei e fui para a sala, passando a mão por todos os móveis tentando achar meu maço de cigarros, não era possível que não tivesse ninguém em casa pela escuridão. Até parecia que tinham se mudado e finalmente esquecido de mim. Não, sonhos não se realizam.

XXX: Você mal acordou e já vai fumar?-bufei alcançando meus cigarros e indo até o sofá.
Eu: Mãe, pega uma cerveja pra mim?
Trisha: Não, Zayn. Eu nem preciso dizer que temos que conversar.
Eu: Por que vocês pais sempre querem conversar sobre alguma merda, hein? Alguém na casa solta um pum, todo mundo tem que conversar.
Trisha: Mas dessa vez realmente passou dos limites.
Eu: Cadê o controle? Essas suas arrumações viu, eu deixei bem aqui!-disse procurando e derrubando as revistas.
Trisha: Alguém tem que arrumar a casa. -finalmente achei e liguei aquela merda. Fiquei zapeando os canais até achar um jogo que prestassem, parece que ultimamente esses jogadores estão cada vez mais fracotes. -Vai fazer essa barba e tomar um banho, daqui a pouco o seu irmão chega. -revirei os olhos. -ANDA.
Eu: QUEM VOCÊ PENSA QUE É PRA ME MANDAR FAZER QUALQUER COISA?
Trisha: A SUA MÃE, QUERO RESPEITO MOLEQUE. -bufei ignorando-a e tentando prestar alguma atenção na tela. -Eu quero ter orgulho de você hoje.
Eu: Não se iluda. -ela sumiu indo para a cozinha. Logo o celular apita novamente e eu jogo do outro lado do sofá. Estava tudo tão bem, por que os meus malditos amigos tem que ficar fazendo perguntas estúpidas num chat? Eu odeio chats! E a minha mãe me enchendo o saco o tempo inteiro, eu sou maior de idade e posso fazer o que quiser, estou nem aí que ela é minha mãe. Só queria ficar no escuro da sala por um bom tempo, de preferencia o tempo que fiquei dormindo, e depois ser teletransportado para Vegas que é o meu lugar. Esse tal de San Diego sempre foi lugar de gente filha da puta, não via a hora de vazar dali. Pelo menos meu pai não estava em casa, eu esperava que ele e a amante estivessem bem longe.
Trisha: Filho, eu posso falar com você um minuto?-disse da porta da cozinha enquanto eu colocava um cigarro na boca.
Eu: A senhora é bipolar por acaso?-disse irônico. -Briga comigo e agora está toda educada?
Trisha: Eu sempre sou educada com você Zayn, mas você me tira do sério.
Eu: Talvez deva procurar uma ajuda, ou sei lá.
Trisha: É, uma ajuda pra você. -ela veio até mim e respirou fundo como se fosse para se controlar. -Querido, o David vai trazer a namorada aqui em casa, o seu pai concordou em conhecer a moça. Eu estou pedindo, por favor! Não estrague a noite. Eu sei que significa muito para o seu irmão. -comecei a rir.
Eu: Eu já falei que íamos sequestrar ela, né?
Trisha: Chega Zayn, já conversamos! Ele me ligou pedindo para que eu tirasse você de casa para termos uma noite agradável mas eu não vou fazer isso porque estaria te liberando do castigo e você não está merecendo.
Eu: Estou vendo que sou bem "querido" por esse pessoal todo. -ri.
Trisha: É bom você se comportar senão, nunca mais vai sair dessa casa e ir para sei lá onde quer -eu a ignorei e ela voltou para a cozinha. -E nada de fumaça na sala.
Eu: O papai trai você.
Trisha: Engraçadinho. -sorri e me levantei do sofá, após xingar ao ver que derrubei cinzas no estofado. Peguei meu celular e fui para o banheiro me vestir. Eu ia ficar ainda mais gostoso para receber a garota do meu irmão.

[...]

Eu ainda estava no banheiro quando comecei a ouvir barulhos lá fora, eles haviam chegado mais cedo do que eu imaginava. Tinha vestido uma calça jeans rasgada e uma camisa cinza, passado meu melhor perfume e arrumado o cabelo jogado para frente num topete. Se ela queria que eu passasse uma boa impressão, então eu iria passar uma ÓTIMA impressão. Apaguei a luz e andei pelo corredor em direção a sala, já ouvindo com moderação aquela falação que aumentava a medida que me aproximava pisando confiante, nela continha a animação da minha mãe pela garota, do David e etc. Mas a medida que eu fui me aproximando ainda mais, percebi que todos pararam de se cumprimentar para me olhar. Era isso que eu queria, trouxas.

David: Ahm...o que ele faz aqui?-murmurou, provavelmente falando alto o que não queria.
Eu: É claro que eu ia dar a vocês a honra da minha presença. -andei até a garota pegando sua mão e beijando antes que ela pudesse ter qualquer iniciativa. -É um prazer te ver de novo, gracinha. -ela me encarou feio e soltou sua mão rispidamente. Começou bem. Mas aí para estragar dei de cara com o meu pai saindo da cozinha, com aquele sorriso típico dos Malik.
Yaser: O guisado está pronto, pessoal. Ah! Oi! Você deve ser a SeuNome de que ouvimos tanto falar!-disse todo animado indo abraça-la.
Trisha: Estamos felizes de finalmente te conhecer.
SeuNome: Eu também estou! O David falou muito de vocês...
Eu: Espero que tão ruim quanto é de verdade. -ri sozinho enquanto me encaravam. Meu riso foi parando e então respirei fundo com um sorriso provavelmente devastador. -Mas então, vamos comer, meu pai deve ter feito alguma coisa que preste.

Minha mãe tentava controlar o David por baixo dos panos e eu me divertia de saber que essas pequenas frases o deixavam irritado, eu estava conseguindo estragar a noite deles. Chegando na sala de jantar, minha mãe falou para o Yaser sentar que ela tirava a comida do forno, nos sentamos e eu estava super feliz em saber que a tal SeuNome não conseguiu pegar rapidamente uma cadeira para ficar longe de mim.

Zayn 2 X SeuNome 0.

SeuNome: Você disse que ele não ia estar aqui. -sussurrou para David mas eu pude ouvir. Direcionei para ela meu melhor sorriso sarcástico. Enquanto minha mãe chegava e colocava aquela comida na mesa, eu tive alguns segundos para olhar bem para ela. No escuro da noite de duas semanas atrás os traços da SeuNome não estavam bem desenhados a minha visão, mas agora com a luz do lustre acima de nós eu podia muito bem olhar para cada traço de seu rosto e ela era infelizmente linda. Tinha os cabelos ondulados presos atrás da cabeça deixando partes da franja soltas de cada lado do seu rosto. O jeito na qual fazia bico quando estava incomodada a deixava gostosa, isso porque nem falei do resto. Ela usava um vestido que modelava suas curvas com uma jaquetinha curta por cima, e eu agradecia por a mesa ser de vidro e eu poder ver suas pernas nuas. Dos namoros que eu já arruinei do David, esse seria o que mais me divertiria, simplesmente porque ela era irritadinha e gostava de enfrentar. Se eu não podia estar em Las Vegas com meus amigos fazendo o meu trabalho, eles teriam que pagar de algum jeito.
David: Está tudo bem. -sussurrou de volta enquanto eu a encarava na cara dura.
SeuNome: Meu Deus, eu acho que...preciso ir ao banheiro, tudo bem?
David: Claro princesa, é a terceira porta a esquerda. -ela assentiu com a respiração visivelmente mudada e se levantou pedindo "licença" a todos ali. Meu corpo jogado de qualquer jeito na cadeira sentiu um impulso de levantar e ir atrás dela, e de primeira eu controlei me distraindo com a mobília trocada de lugar pelo meu pai.

Ele e David começaram a conversar um papo chato sobre trabalho e novas responsabilidades, meu pai até perguntou se meu irmão pretendia casar com ela e esse comentário me fez ter ânsia de vomito. Até parece, SeuNome não passava de mais uma namorada do David e ele estava careca de saber, David tinha pose de bom moço mas no fundo, talvez prestasse menos que eu. Se é que isso é possível. Levantei da mesa sem nem ser notado e fui para o corredor longe de todos, a alguns metros do banheiro onde SeuNome estava provavelmente tomando forças para aguentar o jantar todo comigo, isso era tão cômico que eu jurava sentir borboletas de satisfação no estômago.
Quando a porta do banheiro se abriu e a luz apagou, os saltos dela bateram no chão se aproximando e eu segurei-a pelo braço rapidamente com uma mão enquanto com a outra tampei sua boca impedindo seu grito. Elas sempre gritavam mas qual é, nem estávamos na minha cama ainda.

Eu: Então nos encontramos de novo, gracinha. -ri- É engraçado não é? Você ainda tem dificuldade de respirar. -apertei seu quadril na parede e ela ousou tentar escapar mas segurei mais forte. -Escuta bem, se gritar quando eu soltar você, vou fazer muito pior do que fiz naquela noite. -sussurrei em seu ouvido e afastei seu cabelo com a ponta dos dedos, ela estava com a respiração descontrolada como naquela noite mas eu podia jurar que havia menos medo e mais curiosidade dessa vez, senti sua pele se arrepiar onde eu tocava. Isso me fez rir perto dela, ai como eu gostava daquela coelhinha assustada presa dentro daquela garota, quando notei que não iria gritar e preferia me encarar com desprezo, permiti que se soltasse. E assim ela fez, cheia de raiva. -Garotas educadas não gritam, achei que você fosse educada e não tentaria.
SeuNome: Você não sabe nada sobre mim, e nenhuma garota do seu nível deve ser educada. -haviam chamas em seus olhos cheios de ira direcionados a mim. -Por que não me esquece, você deve ter coisa melhor pra fazer tipo roubar velhinhos. -riu se achando o máximo mas a tranquei no corredor, que vadia. Ela tinha coragem, sinceramente.
Eu: É porque você é realmente gostosa. E porque tentar entender você a partir de hoje é meu jogo preferido, é divertido.
SeuNome: Então arrume outro jogo porque não vou cair nessa. Me deixe em paz.
Eu: Paz?-ri- Você não sabe onde se meteu, na família de quem se meteu. Você nunca mais vai ter paz.
SeuNome: Deixa de ser grosso, te deixa ainda mais repulsivo.
Eu: E você adora que eu seja grosso com você. Te deixa excitada. -sorri meu melhor sorriso malicioso. -Pra que tanto ressentimento? Eu pus você em risco por acaso? -ri.
SeuNome: É claro que sim, você sabe exatamente que sim.
Eu: Que foi? Machuquei você? Vai me dizer que não gostou da dor? Que não gostou de ter homens te perseguindo e principalmente, EU te perseguindo? Pode dizer que não, mas não passa de mentiras.
SeuNome: Pelo amor de Deus, você é muito doente.
Eu: Pode ir SeuNome, mas quando eu quiser você realmente, eu vou ter. E sabe por quê? Porque eu posso. E você vai adorar porque por mais que você faça todo esse doce, no fundo é uma maldita masoquista, e, querida -segurei seu queixo. -Eu amo isso em você.

SeuNome bateu na minha mão livrando seu rosto e passou por mim. Eu sabia que ao chegar naquela mesa ela não contaria nada, claro que não. Essa era difícil mas no fundo ela era como as outras, e elas nunca contavam. Que merda, eu já estava vendo que esse certamente era um jogo perigoso. Mas ela ia se propor a jogar, ah, ia sim. Só teria que ter muito cuidado para não apostar seu coração e perde-lo pra mim. Mais um coração para a minha prateleira, que bonitinho. E o de SeuNome Completo eu faria questão de colocar na primeira prateleira. Com esse pensamento divertido, voltei a me juntar a mesa.

Trisha: Prontinho, pelo cheiro está delicioso amor. -meu pai sorriu para ela. Que coisa nojenta esses dois. Minha mãe se sentou do lado dele e começaram a cortar a comida, sem parar de falar, é claro. -Como você está SeuNome? Quer dizer, o David disse que estava se recuperando daquilo e...
Eu: Tudo bem, mamãe. Você pode dizer "perseguição". -pisquei os olhos de uma maneira que parecesse fofo. -Quer dizer, todos aqui somos adultos não é? A SeuNome...
Yaser: Chega. -a mesa ficou silenciosa por alguns instantes.
SeuNome: Ahm, respondendo a pergunta, eu estou muito bem sra.Malik. -eu ri da formalidade dela.
Trisha: E o trabalho, querida?
Eu: Já falei que eu queimei ela com o cigarro?-todos me olharam. Haviam vários olhares de ódio direcionados a mim. -Ali ó, bem no canto do pescoço dela, dá pra ver se afastar o cabelo, afasta o cabelo dela por favor David?-falei tomando meu suco.
David: Eu vou quebrar a sua cara.
SeuNome: Calma. -pegou no braço dele. -Por favor. -ele respirou fundo. -No trabalho está tudo bem, eu acho que serei chamada por uma editora em breve por causa das minhas fotografias.
Yaser: Que incrível, com certeza será. -ela sorriu enquanto os pratos terminavam de serem servidos.
Eu: Tira fotos pelada também?
David: ZAYN! CALA A BOCA!-gritou e eu me calei. Por enquanto. Eles voltaram a conversar coisas idiotas do dia-a-dia, aquelas que no fundo ninguém quer realmente saber e só pergunta para passar o tempo. Eu me desviei das provocações ao sentir meu celular vibrar e então fui ver uma mensagem dessa vez do Jack perguntando onde eu estava e porque estava sumido. Resolvi responder pelo menos essa.

"Aqueta esse pau, nós vamos em alguns dias. Tá difícil segurar a onda da minha família. "

Trisha: Filho, desliga esse celular e come. -eu olhei para ela de canto e desliguei, colocando de volta no bolso.
Eu: E aí David, que perfume é esse que você está usando?-ele estranhou a pergunta. Provavelmente por não ter nenhum insulto em oito palavras.
David: Calvin Klein, por quê?
Eu: Não tinha para homem?-sorri e o vi morder a boca para não me xingar. Minha mãe ignorou novamente meu comentário iniciando outro.
Trisha: Então, você mora com a sua amiga não é?
SeuNome: Sim, a Madison. Faz dois anos.
David: O apartamento delas é maravilhoso mãe, e SeuApelido, a gente podia fazer uma churrasqueira lá se vocês quisessem.
SeuNome: Seria legal. -deu um empurrãozinho nele.
Yaser: Mas onde vocês se conheceram?
SeuNome: -riu- Foi no elevador do meu prédio, acho que ele me cantou. -eles riram. Disso todos riram? Qual é.
Eu: E aí vocês transaram?
Trisha: Meu Deus! Ignorem ele, por favor. -ela estava totalmente constrangida, todos estavam, menos eu que segurava o riso.
David: Cala essa sua boca, Zayn. -comi uma garfada.
Eu: Ah, mas eu aposto que transaram. -ri- Olha a cara dela, está corada. Transaram sim, vai. -minha mãe respirou fundo na tentativa de incentiva-los a continuar a me ignorar. Coitada.
Trisha: Seus pais estão juntos, SeuNome? É que é uma tradição nossa conhecer os pais da nossa nora. Nós adoraríamos visitá-los.
SeuNome: Infelizmente não, a minha mãe mora no exterior desde a separação.
Trisha: Sinto muito, querida. Mas tem algum irmão ou irmã?
SeuNome: Tenho uma irmã...
Eu: Se ela for tão gostosa quanto você, eu...
David: CHEGA ZAYN!-deu um soco na mesa de vidro. -EU CANSEI, VOCÊ NÃO CONSEGUE SER NORMAL NÉ? NÃO CONSEGUE VER ALGUÉM FELIZ E PRINCIPALMENTE EU SENDO FELIZ, VOCÊ É A PIOR DESGRAÇADA DESSA FAMÍLIA. -eu me levantei.
Eu: Tem razão, chatear você é legal. Isso porque eu sempre fui melhor que você, não vai contar para os nossos pais o quanto você apanhou dos meus amigos? Eu faria tudo de novo. -David fechou o punho e SeuNome já de pé segurou seu braço enquanto minha mãe já estava chorando. -ESTÁ CHORANDO POR QUÊ? SE TIVESSE ME DEIXADO IR PARA VEGAS EU NÃO TERIA ESTRAGADO SUA NOITE DE MERDA, ESTÁ FELIZ PORRA?-ela saiu dali e meu pai me encarou feio antes de ir atrás dela.
SeuNome: Como pode fazer isso, você é um monstro. -me encarava, cadê o medo de quando nós a perseguíamos?
David: Me desculpa por ter te trazido aqui...
Eu: Não se desculpe David, pelo menos agora ela sabe quem é o melhor. Você soube né SeuNome, desde a primeira vez que nos vimos? Eu sou melhor que ele em tudo. E além do mais é só uma questão de tempo para eu te pegar sozinha de novo e você não vai resistir, nenhuma delas resistiram.
SeuNome: Ah, seu filho da puta, eu vou te...-disse tentando me atacar mas David a segurou.
David: Quem tem que resolver isso sou eu, para de lutar SeuNome!-dizia enquanto ela tentava se soltar dele. Eu comecei a rir, porque aquela cena não tinha preço.
Eu: Até já deixei minha marca em você. Só que dá próxima vez vai ser mais em baixo. -David a soltou de uma vez e então eu só vi seu punho vindo em minha direção.


CONTINUA...
Heeeey! Pessoal, eu estava com saudades do blog. Me perdoem a demora, eu nunca estive com tanta coisa para fazer, mal consigo dormir mais de quatro horas e acho que estou ficando doente. Mas enfim. OS MENINOS FINALMENTE CHEGARAM! Essas fotos que saem a cada segundo que nem água estão me deixando com inveja das garotas que estão na frente do hotel deles. Eu acho que nunca estive tão feliz assim. Mas enfim, eu estou sem palavras, vou postar mais tarde provavelmente, ainda não sei. O Zayn é um carinha difícil mesmo nesse fic, mas tudo vai melhorar. Espero que gostem  :)

8 comentários:

  1. JESUS, KK É ISSO. TA MUITO PERFEITA. O ZAYN TA TÃO PERFEITO, E FOFO E FODA. ELE TA SUPER BADBOY E VC FAZ O LEITOR SE INDENTIFICAR COM O PERSONAGEM. VC É UMA FILHA DA PUTA COM TODO O RESPEITO. EU TE AMOOOOOO A SN TA MUITO PFTA, N É ESSAS SEUNOME CHATA. TA PERFECT, CONTINUA. VC ESCREVE MUITO BEM. MELHOR FIC EVER BJUS

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAH , Sua fic ta Maravilhosa! Mal posso esperar pelo proximo capitulo :)

    ResponderExcluir
  3. Loooooool! Sua fic é perfeita!! Continua logo!
    xx Luh

    ResponderExcluir
  4. Continua logoooooo pfff
    Ta perfeita essa fic
    É a melhor q eu ja li em toda minha vida
    Lizzy nn abandona o blog d nv nn :/
    A gnt ama vc
    Xx Nah

    ResponderExcluir
  5. QUE FIC PERFEITA! POSTA MAIS POR FAVOR ANJO??? PF??
    A MELHORRR

    ResponderExcluir
  6. Esse Zayn ta complicado hein, que carinha maluco hehehe
    Amando a fic completamente princesa! bjoos

    ResponderExcluir
  7. Q vontade de socar o Zayn kkk bem q fiz u.u continua
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
  8. Mds, o Zayn é muito pfto assim, amei ele "badboy". O David é mó fofo, mas parece que ele e a Madison tem alguma coisa slá, eu não deixaria eles sozinhos. Tadinhos dos pais do zain, ele foi foda ashua continua logo ou eu morro! bjus

    ResponderExcluir