Unfaithful - Capitulo 09

| | |
- Minha Garota, só minha

Harry P.O.V's 

Coloquei uma roupa qualquer, e peguei a minha carteira. Estava pensativo. Minha mulher gata não parava de me encher o saco, e por isso, eu desliguei o meu celular. Depois inventaria uma desculpa qualquer para ela. Liguei o iPod e deixei rolar no modo aleatório, e então, fui correr. 

Algumas horas correndo, eu passava pela banca de sorvetes expresso. Reconheci muito bem uma pessoa que estava parada lá, se lambuzando de sorvete. Meu brother, Nialler. 

- E ai, parceiro! - Falei chegando de surpresa e batendo a mão no ombro dele. 
- Hey, Harold. - Ele riu.
- Quem é a gatinha?! - Susurrei, perguntando da morena que estava escolhendo um sorvete. 
- Prima da SeuNome. - Ele falou, como se fosse óbvio. 
- Por isso tanta beleza. - Deixei escapar dos meus pensamentos. - Não, não, eu não estou interessado nela, ok? - Falei rindo. 
- Tá brother. Vamos lá para a casa da SeuApelido? O pessoal tá lá .. - Ele falou lambendo a colher do sorvete. 
- Acho melhor não ... - pensei. 
- Que nada, você vai sim. 


[...]

- CHEGAMOS! - Niall soltou um grito escandaloso, fazendo todos se virarem para nós. SeuNome fez uma cara surpresa. Ficando séria, logo depois. 
- Niall, vamos para a cozinha, agora.. POR FAVOR. - o puxou e eles sumirão

SeuNome P.O.V's

- NIALL JAMES HORAN. - Ela gritou baixo. 
- O que foi? - Ele falou desentendido.
- Porque diabos você trouxe seu primo para minha casa? Eu nem o conheço. 
- Ah, qual é.. Você se dá bem com todos, não é com ele que você vai brigar. Pode confiar. - Ele pegou uma colher e saiu da cozinha como se nada tivesse acontecido. A Mandie chegou em seguida.

- SeuNome?! 
- Ah, Madd... - falei abaixando a cabeça e coçando o casco do cabelo. 
- O que houve? - Ela se aproximou. 
- Ah tudo.. Minha vida tá fudida, eu .. ah, tudo da errado. 
- Que isso SeuApelido, não fala assim, pare de besteira! 
- Vou subir, eu não estou com cabeça para ficar dando bola para meus amigos idiotas. - Surgiu um pequeno sorriso em meus lábios. Mas ao passar pela sala, se desfez. 

Subi correndo, não queria ver a cara dele nem por um segundo. Deitei na cama, e comecei a fitar o teto. As lágrimas insistiam em cair sob o meu rosto. Mas, porque eu estava chorando mesmo? Por causa dele. Eu o queria. Mas não podia te-lo. Nem posso. Ou eu foco na vida, ou eu estrago ela! 

Meu celular começou a vibrar. Era meu namorado, William. Faz semanas que ele não me liga. 

- Will? - Falei como um ralho.
- Oi meu amor. Que saudades suas, do seu cheiro .. estou morrendo sem você, sabia?! 
- Porque não me ligou? - Soltei irritada.
- Querida, aqui os treinadores são rígidos. Não tenho tempo nem para respirar. 
- Para comer as vadias você tem tempo não é WILL. - Falei aos berros. - QUE MERDA. 
- Não fala assim SEUNOME. Eu te amo. Nunca faria isso, se acalma. Hoje a noite eu vou chegar ai. Meu voo já esta marcado. Se controla meu doce. 
- AH, VÁ A MERDA WILLIAM. - E desliguei o telefone.

Eu sabia que aquele homem pode pegar qualquer mulher só com o olhar. Porque ele não faria? Ele esta lá, sozinho, e de boa. Eu gosto muito dele, vivi 4 anos com ele, e confesso que sentia ciúmes e raiva. Mas agora, é só estresse mesmo. Peguei o iPod, e deixei a playlist tocar. Mas um infeliz interrompeu meus 12 segundos de música. Levantei bufando e abri a porta. 

- Harry, eu não vou transar com você. Pode ir embora. - Falei direta, sem olhar em seus olhos. 
- Eu vim conversar com você. - Ele disse sério. 

Sinceramente eu não sabia o que fazer pra resolver meu problema.
Eu tinha um namorado, certo? E estava de quatros por outro, certo?
Seria tão mais fácil se eu pudesse ter os dois... Nossa, SeuApelido, quando foi que você ficou tão pervertida? Ah sim, no dia em que eu dei pra um cara estranho...

Harry P.O.V's

Ela afastou a porta para que eu pudesse adentrar em seu espaço. Era típico de garotas britânicas. Cheio de frescurinhas, posters de bandinhas, e essas coisas. Ela sentou na cama e ficou me fitando. Acordei da transe e comecei a me pronunciar. 

- Sabe, aquela vez, que ambos sentimos sede, no meio da noite, e nos esbarramos na cozinha? Mudou tudo. Você. Uma bela mulher, que me atraiu como um imã, e me enlaçou como uma corda. Pois é, o que parecia ter sido uma brincadeira, uma ficada, ou algo nada muito importante ou fora do cotidiano, foi ficando cada vez mais forte. Aquele desejo de te-la em todo instante, de toca-la, sentir o seu cheiro de morango. - rimos. - Tudo foi ficando mais forte. Eu me apeguei a você. Aprendi a gostar de você, e desse seu jeitinho tímido, sincero e medroso. Aprendi com você, que tudo na vida tem limites, mas não quando você esta por perto. Juntando tudo como um todo, você tenta se afastar de mim, mas o destino nunca vai conseguir te livrar de mim, baby. Eu gosto de verdade de você, muito, incondicionalmente. Você é um marco na minha vida e você disse que simplesmente, não podia. O que te impede de ficar comigo? O que? 

- Ela soltou um longo suspiro. - Hazza, tem muitas coisas que eu não posso te dizer .. eu .. não posso de verdade te dizer. - Ela abaixou a cabeça. - Mas eu sinto o mesmo por você, sei que é algo sim, mas ..
- Eu não me importo se você não quer me dizer, apenas fique comigo.. por favor.. pequena
- Harry .. jura que não vai se importar com o que eu não posso te contar? Nem implicar comigo por isso? Não é nada de mais, mas .. eu não posso te contar. E eu confio em você, mas não posso. É coisa minha e tudo sabe ..
- EU JURO, minha pequena. - Ela levantou da cama e se entrelaçou em meus braços. Como eu sentia falta dela.  

Ela era uma gracinha. Envergonhada e nervosinha, tão sexy. Como eu já esperava, não resisti à tentação e a arrastei para a cama. O interessante foi que ela não falou nada, nem protestou. Algo me dizia que ela estava aceitando essa relação fora dos padrões. E eu estava amando isso. 
Percebi que já tinha aceitado o fato de ser infiel e estar me apaixonando por uma estranha. Era esquisito, mas era real. 
Joguei-a na cama e fiz tudo que tinha vontade. Sentia-me um animal selvagem quando estava com ela. Mas ela gostava e isso era evidente toda vez que eu a tocava e a fazia gemer feito louca. 
Amava aquele jeitinho meigo e confuso, aquele cheiro de fêmea no cio, e aquele corpo macio e delicioso que insistia em rebolar sob mim. Ela me deixava com um tesão absurdo, como se eu não tivesse transado a décadas. E quando nossos corpos se fundiam, era como se uma reação em cadeia se manifestasse, e sempre clamavam por mais e mais. Isso é que chamam de química? 
Depois do sexo gostoso, na cama e na banheira, fomos comer. Não conversamos muito sobre nossas vidas pessoais e isso já estava me incomodando. Queria saber mais sobre ela, onde estuda, o que faz da vida, quais suas preferências e pretensões para o futuro. Queria saber tudo. Mas ela não parecia empenhada em me contar muito. Havia algo que a deixava com um pé atrás e eu esperava que não fosse outro homem. Não suportaria dividi-la, nem conseguia imaginá-la sendo tocada por outro! Ficava nauseado só com a suspeita. 
Não, ela não poderia ser tocada por outro que não eu. Possessivo? Apenas cuidando do que é meu.

[...]

Já passavam das 23:00 quando saí do apê da SeuNome. Acelerei o meu carro e cheguei em casa 15 minutos depois. O pior de tudo é que a desculpa que inventei era horrível, se a minha noiva vai acreditar eu não sei, agora é só esperar pra ver. 

- Acordada a essa hora amor? - Falei de mansinho.
- Nossa, Hazza, você não está bem, né? Nem um beijinho eu ganhei... - ela resmungou dengosa. 
Virei-me pra olhá-la e ela fazia biquinho. Quase falei que isso não fazia mais efeito em mim, mas melhor deixar como está, né? 
- Desculpe, querida, não devo estar bem mesmo... - o que não deixa de ser verdade, afinal, tinha uma pentelha me deixando fora de sintonia. 
Comi uma porcaria congelada enquanto conversava amenidades com minha noiva. E, pra variar, ela só falava nos preparativos do casamento. Fato este que já estava me irritando profundamente. 
- Hum, tô quebrado, vou dormir... - murmurei sonolento. 
- Dormir?! Mas não mesmo!! – ela falou e eu apenas suspirei. 

O que mais eu poderia fazer? Negar eternamente? E me conhecendo do jeito que ela conhece, iria suspeitar da minha súbita falta de “tesão”. Fomos pra cama e eu tentei tirar a SeuApelido de meus pensamentos enquanto fazia amor com minha garota. Não que eu tenha conseguido, foi mais forte do que eu. Me senti desconfortável com isso. Não era certo fazer isso com ela. Eu tinha que amá-la do jeito que sempre amei, ela merecia, mas não consegui. Não era mais a mesma coisa. 

Continua ....

Olá amores! Sinto muito pela demora, mas, eu estou em época de provas (tive 2 hoje, em pleno sábado .-.)

6 comentários:

  1. Tenho pena dassa mulher :/. Fic ótima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também! Ashuashua'
      Que bom que acha isso amore ;D

      Excluir
  2. Que do da noiva iludida... Pobrezinha!
    o capitulo ta MARA (com diz minha prima) ansiosisma |ñ sei como se escreve| pro proximo!
    bjos Tay Manuela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, ashuashuashua.
      Que bom que esteja gostando flor.
      Beijos!

      Excluir
  3. nossaaa q bosta duas provas e ainda no sábado hahaha, sinto muito, tadinha da noiva do Harry mas ele é meu agr rsrsrs bjos continuaa
    by:Duda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma bosta mesmo, mas finalmente já está acabando o ano, graças a Deus.
      Tadinha mesmo, verdade. ashuashua'
      Beijos !

      Excluir